MENU

28 de abril de 2008 - 22:34Curiosidades, Estatísticas, História

Os confusos números de Barrichello


Rubens Barrichello escolheu o GP da Turquia, daqui a duas semanas, para comemorar a quebra do recorde de 256 GPs disputados, que pertence ao italiano Riccardo Patrese. Digo “escolheu” porque, na prática, ele não atingirá tal marca em Istambul, segundo os critérios estatísticos mais adequados.

O brasileiro já esteve presente em 257 finais de semana de Grande Prêmio, mas só participou de 253 corridas. Em sua própria conta, porém, ele já tem 256 GPs disputados. Por que tal discrepância?

No GP de San Marino de 1994, Barrichello bateu na sexta-feira, foi levado ao hospital e ficou impedido de correr. Esta prova ele não conta, ótimo. Mas o pomo da discórdia está em outras três corridas: GP da Bélgica de 1998 e GPs da Espanha e França de 2002. Tudo por que, nestas ocasiões, ele não estava presente no grid quando a largada oficial foi dada.

Na Bélgica, ele até largou uma vez. Foi aquela carambola histórica e, com o caos instaurado, a direção de prova anulou a partida. Uma nova largada foi dada, sem Barrichello, cuja Stewart estava destruída.

Na Espanha e na França, duas ocorrências semelhantes. Na partida para a volta de apresentação, sua Ferrari ficou estancada no grid. Os mecânicos recolheram o carro para o box e Rubens Barrichello não pôde correr.

Sendo assim, tais etapas não devem ser consideradas como GPs disputados, pois o piloto não participou de nenhum trecho do Grande Prêmio. Mas, na conta de Barrichello, elas valem.

A grande incoerência, no entanto, está no uso de critérios distintos para configurar tal recorde. Se partirmos da premissa de que “conseguiu classificação para o grid, estava presente no autódromo, então vale”, Barrichello terá mesmo 256 GPs. Porém, se o mesmo critério for adotado para Riccardo Patrese, ele continua sendo o recordista. O italiano teria 257 corridas no currículo, já que esteve presente no GP da Argentina de 1979, conseguiu classificação para o grid de largada, mas não alinhou por problemas mecânicos. Ou seja: não houve recorde igualado de 256 GPs na Espanha. No máximo, o recorde de 257 participações em finais de semana.

Como se vê, o piloto deve ter contratado o mesmo matemático que calculou os mil gols do Romário e os mil GPs narrados do Galvão Bueno. Confira na tabela abaixo:

Critério GPs Barrichello GPs
Patrese
Quando vem o recorde?
Participação em fim-de-semana de GP 257 257 Próxima corrida, em Istambul.
Classificação para o grid de largada 256 257 GP de Mônaco, em 25/05
GPs disputados 253 256 GP da França, em 22/06

Comentários do Facebook

comentários

34 comentários

  1. Andre Santos disse:

    O cara corre mais de 300 corridas, não termina um terço delas, só ganha onze, nunca chegou a lugar nenhum no campeonato, foi vice por acidente, e acha que é pra comemorar?

    Só se for pra comemorar os rios de dinheiro que ele ganhou tirando onda de piloto.

  2. Gustavo Lovatto disse:

    Curiosidade: O Patrese teria de ter 258 participações, mas ele não estava presente (!) no GP do Leste dos EUA de 1978, quando pilotaria pela Arrows.

  3. Fábio Mandrake disse:

    Quem jogou as bombas foram os cretinos dos americanos e não einstein.Se fosse por isso santos dumont seria o cão tb.Pois inventou o avião que depois além de transporte virou maquina de matar!Aliás os inventores da bomba foram o Projeto Manhattan – chefiado por Oppenheimer – envolveu vários dos melhores talentos da Física, como o italiano Enrico Fermi, o alemão Hans Bethe ( que descobriu o mecanismo de produção de energia nas estrelas), o húngaro Leo Szilard e Richard Feymann. Eles apenas usaram a teoria de Einstein.
    O que a falta de cultura não faz!

  4. Tempest disse:

    “Gênios pra mim são Einstein…”

    Não acho que os moradores de Hiroshima e Nagasaki tenham se beneficiado tanto com as descobertas de Einstein.

  5. Luiz Sergio disse:

    Capelli, o Rubinho já quebrou o galho, pois ele queria contar os inumeros GPs que ele estava na ARQUIBANCADAS do autrodomos.
    Rubinho Barbieuquero, merece sair pelo menos com alguns records.
    O de deixar passar o companheiro de equipe para vencer um grande premio; o de maior velocidade nos box.

  6. Nikolas Spagnol disse:

    Acho que é universalmente aceito que só “participar do fim de semana” não conta como GP disputado. O Senna, por exemplo, disputou 162 GPs, pois não conta o de San Marino em 1984, quando não se classificou para largar.

    Não alinhar no grid mesmo tendo classificado também não conta. E me desculpe o Rubinho, mas alinhar no grid e não sair do lugar também não é considerado GP disputado na estatística de ninguém.

    O verdadeiro pomo da discórdia fica sobre as largadas abortadas. É um pouco estranho, por exemplo, considerar que o Ronnie Peterson ou o Riccardo Palleti morreram em acidentes em corridas que não disputaram. Mas muitos estatísticos consideram só a largada “oficial”.

    Assim, a dúvida é se o Rubinho tem 253 ou 254 GPs disputados – se contar Spa ’98, onde participou só da 1ª largada.

  7. Fábio Mandrake disse:

    Uma correção eu confundi o Laffite realmente tem 176GPS.
    O Graham Hill que correu 175GPS.

  8. Fábio Mandrake disse:

    Romário e pelé foram gênios assim como Garrincha, Schumacher, Senna e Piquet além do Guga.Não gosto de comparar esportes e até pq eu detesto futebol nem copa do mundo eu vejo.Aliás me corrigindo GÊNIOS?
    Nenhum desses contribuiu em nada d+ pra sociedade, apenas foram “heróis no esporte” Gênios pra mim são Einstein, Bethoveen, Villa Lobos, Stephen Hawking, Ghandi, Madre Teresa…
    Mas como um amigo ai em cima disse, o que vale é que ele mesmo assim irá bater o recorde, isso que temos que reconhecer!Barrichello é esforçado e não teve mta estrela na F1 apesar de ter sido vice 2 vezes e ganho 9 corridas, mais que mto campeão da categoria.

  9. Bricktop disse:

    c@pr37z

    Por que “papagaiada do Romário”? Quando o Pelé fez o mesmo, ninguém o criticou, pelo contrário, é endeusado até hoje.

    Com certeza isso é recalque de paulista ou de framenguista (se não for de ambos).

  10. Fábio Mandrake disse:

    A regra da FIA diz que para contabilizar uma participação em GP o piloto deve ao menos largar, nem que ande apenas 200m(como Gugelmin em 1988) mas se não largar, abandonar no warm up, na volta de apresentação, ou no caso da largada ser abortada por incidente e o piloto não puder relargar por problemas no carro, aí não conta o GP.
    No site http://www.statsf1.com mostra isso bem claro, Laffite por exemplo tem 175Gps.É só olhar lá vale a pena pois o site é espetacular.
    Abraços a todos

  11. Anonymous disse:

    O piloto mais talentoso mercenário da história.

  12. Joubert Amaral disse:

    Concordo com todo mundo acima.

    Pq não fazer uma coluna glorificando essa marca, em vez de tentar criar uma polêmica?

    Inclusive, um grande jornal espanhol realizou uma matéria muito interessante sobre o recorde igualado por barrichello.

    Na verdade, gostaria de entender o por que de tanta birra da imprensa com o Rubens Barrichello.

    O cara tá lá fazendo o trabalho dele, é um exemplo fora das pistas como bom chefe de família e também mantêm uma ong.

    Ai um idiota como o Ronaldo Fenomeno resolve sair com três prostitutas, descobre que são travestis, vai parar na delegacia e a imprensa tem a coragem de falar que ele esta sendo vitima de uma armação? Pô tenha dó… o cara é represenante da UNICEF…

    Acho que os valores estão invertidos!

  13. Bruno Lemos disse:

    “se fosse o barrica nao contaria o GP da austria em 2002, aquele em que o schummy o passou nos metros finais.

    ali rubinho assinou para o mundo inteiro sua sentenca de morte como piloto. nao é um homem, e sim um saco de batatas.”

    Do Barrica todos falam, mas um outro piloto brasileiro deixou o companheiro de equipe passar logo após a última curva…

    E não me venham com esse papo de que pelo menos ele ganhou o campeonato.

  14. Fernando Justini disse:

    Acho que seria legal se o Barrichello aparecesse com um casco homenageando Riccardo Patrese ;))

  15. Anonymous disse:

    Algum motivo para o casco modificado em azul e prata?

  16. Tempest disse:

    Tanto é que não foi este o argumento que os carros que usavam Michelin usaram naquele malfadado GP dos EUA de 2005?

  17. Tempest disse:

    Na minha humilde opinião, o que deveria contar é a volta de aquecimento. Antigamente, quando as vezes se dava duas voltas de aquecimento, tirava-se uma volta do total. Então…

  18. trutaphotos disse:

    se fosse o barrica nao contaria o GP da austria em 2002, aquele em que o schummy o passou nos metros finais.

    ali rubinho assinou para o mundo inteiro sua sentenca de morte como piloto. nao é um homem, e sim um saco de batatas.

  19. Luiz G disse:

    Pô Capelli, eu acho uma tremenda má vontade das pessoas que, nem isso querem dar ao Barrichello. Eu acho que, se alinhou, então é participação. Acho até que vale o GP de San Marino de 94, pois se não alinhou, ele bateu nos treinos oficiais. Em 98 e 2002, ele estava no grid, oras! Barrichello esteve presente e compromissado com todos os GPs da F1 desde sua estréia e isso merece uma reverência. A falta de respeito que o Brasileiro tem com o Barrichello é vergonhosa.

  20. Anonymous disse:

    Concordo com o Breno Mossaro lá de cima. Um fato curioso, a imprensa de todos os países sempre tentam aumentar os recordes de seus desportistas, menos no Brasil ou no caso do Barrichello.

    Capelli, mudando de assunto, vc nao vai comentar nada do casco novo do Barrica?

    Abs

    Diogo

  21. Ricardo Fernandes disse:

    o fato é que ele será o recordista absoluto, pois tem uma temporada toda pela frente, pelo menos.

    uma corrida a mais ou a menos, não vai tirar o mérito do cara.

    isso seria motivo para um post homenagem, e não uma polêmica irrelevante.

  22. Brett Lunger disse:

    Pô Capelli, acorda camarada, até você polemizando sobre isso… quer provar o que?

  23. Zalex disse:

    Capelli, você mesmo está alimentando a polêmica… Veja por exemplo o caso do Senna no Brasil, na estréia na McLarem, ele trocou de carro depois do sinal, foi desclassificado pois o GP já estava iniciado. Ponto final! Com o Rubinho, ele não partiu mas o GP já estava inicializado!!!
    Simples, né?

  24. L-A. Pandini disse:

    Capelli, só uma observação. Na Argentina, em 1979, Patrese não largou porque destruiu seu carro em um acidente no warmup. Isso abriu espaço para a participação do primeiro reserva (ou seja, o 25º colocado nos treinos – na época, só alinhavam os 24 mais rápidos). Se não me engano, era o Arturo Merzario. Abraços. (LAP)

  25. Vermeulen disse:

    Mas acho que Barrichello não esteja de todo errado. Jacques Laffite se tornaria, ao lado de Graham Hill, o piloto com mais GPs disputados em Brands Hatch/86. Quebrou a perna na primeira largada e, obviamente, não participou da 2ª, que entrou nas estatísticas. E ainda assim, cpnsideram aquele prova válida para Laffite.

    Ao menos, Rubens pode se dar no direito de comemorar duas vezes.

  26. Máximo disse:

    O que diz o site da Formula 1?

    no further questions…

  27. Anonymous disse:

    Tá parecendo o caso Isabela…

  28. Gus disse:

    mas no gp da argentina do patrese ocarro chegou a ir alinhar pra volta de apresentação pelo menos?

    Acho que isso que conta. Sento no carro, colococo capacete, desfilo com todo mundo, alinho o carro e esse não saiu do lugar… bom, ele tava lá. Se nao chega a clocar o carro na pista, nao conta =D

  29. c@pr37z disse:

    Ah, numa boa, grande Capelli, mas acho que vocês estão pegando demais no pé do Rubens. Nem se compara com a papagaiada do Romário, né? E o próprio Rubens nem se importa com a diferença dos números, como disseram aqui, no fim do ano, seja qual for a conta, ele será o recordista mesmo. Abraços downforcianos. :)

  30. fernass20 disse:

    Acho q essa conta nao deve ser resumida apenas na corrida de domingo, mas sim no Grande Premio como um todo, q envolve os treinos de quinta e sexta, a qualificação de sábado e a corrida de domingo. Com isso creio eu q Barrichello conte 256 Grandes Premios, e não somente a corrida.

  31. Fábio Mandrake disse:

    Uma coincidência Capelli, o Patrese estrou na F1 em um gp de Mônaco em 1977.O matemático dele deve ser um bela droga mesmo.
    O mesmo do romário com certeza e do pelé.Daqui a pouco o Guga vai contabilizar quantas raquetadas ele deu, e se usar o matemático devem ser umas 50.000 raquetadas.
    Abraços

  32. breno mossaro disse:

    Perdoe-me, Capelli, mas sinto um tom de preconceito futebolístico toda vez que você se refere aos mil gols do Romário. Por que não cita também os mil gols do Pelé, que são pra lá de duvidosos? Por que sempre questionam os mil gols do Baixinho e nunca os do Pelé?
    A própria revista Placar, que foi uma das que proclamou aos quatro ventos que o Romário não estaria a ponto de fazer o seu milésimo gol, admitiu que este teria mais gols em jogos oficiais (que no fundo é o que vale) do que o Rei.
    Por que essa discriminação? Não é a primeira vez que você cita o tal “matemático que calculou os mil gols do Romário”. Que tal citar também o matemático que calculou os mil gols do Pelé pra variar?
    Quanto ao Galvão Bueno, esse sim é uma unamidade. Uma mala unânime.

    Abs

    Breno Mossaro

  33. Diego disse:

    Tanto faz, final da temporada ele ja vai ter mais gp’s que td mundo mesmo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>