MENU

8 de junho de 2008 - 16:50Curiosidades, Estatísticas

Três anos depois, Barrichello volta à ponta


Rubens Barrichello ocupou hoje, ainda que por pouco tempo, a primeira posição do GP do Canadá. O piloto da Honda assumiu a ponta durante sete voltas, no período entre os pit stops dos verdadeiros líderes.

Tal feito, considerando o fraco carro da Honda, encerrou um jejum de três anos. Desde o GP dos Estados Unidos de 2005, ainda na Ferrari, o brasileiro não sabia o que era receber uma placa com a indicação “P1″.

O mesmo vale para a Honda. O time de Rubens Barrichello não liderava uma prova há quase dois anos, desde que Jenson Button venceu o GP da Hungria de 2006. Aliás, foi a primeira vez que Rubens liderou uma prova guiando um carro da equipe nipônica.

Comentários do Facebook

comentários

9 comentários

  1. Anonymous disse:

    Acho uma covardia o que fazem com o Barrichello. Não sei se eu escolheria o que ele escolheu, ser escudeiro do Schumacher, mas daí a dizer que o cara é ruim…. Ele erra muito pouco e fez boas corridas com Stewart e Jordan. Não tem um estilo ofensivo, como outros, mas deveria ser mais respeitado, principlamente por quem conhece e entende as dificuldades de um F-1. Capelli, o Massa fez alguma boa corrida pela Sauber? Não me lembro de primeira.

  2. dado andrade disse:

    Eu fiz um c omentario e o mesmo foi atribuido a um anonimo!!!!Aquele comentario que diz respeito ao Rubinho e ao pol;aco tem autor!!!! DADO ANDRADE

  3. Anonymous disse:

    Esta ficando chato ler comentarios maldosos e estupidos com referencia a pilotos de F1,partindo de pessoas sem o menor gabarito para criticar campeonato de cuspo a distancia.Vamos enaltecer o RUBINHO,a vitoria do Polaco Kubtsa,tanto valorisado pelo Galvao,e criticado por tantos boboes.Sds DADO ANDRADE

  4. terramex disse:

    Não liga não, Capelli, isso se chama “analfabetismo funcional”….

  5. Capelli disse:

    Felipe, acho que você está lendo só o que quer ler. No mesmo texto que você critica, existe a frase:

    “Tal feito, considerando o fraco carro da Honda”

    O texto diz que ele obteve um feito, guiando um carro fraco.

    Sobre os “verdadeiros líderes”, é simples questão de observação. Barrichello liderava, mas obviamente não venceria a corrida. Era um líder ocasional, não de fato. Como também foram Heidfeld, Coulthard e Glock.

    Nenhum demérito a eles. Mas o fato é que eles lideraram só enquanto os verdadeiros líderes pararam no box. Tanto não eram os verdadeiros ponteiros que perderam o primeiro lugar assim que todas as paradas de box foram realizadas.

    Parem de procurar pêlo em ovo…

  6. Fabricio disse:

    Parabens Barrichelo, existem muitos brasileiros que te apoiam. Todos os pilotos tem direta ou indireta participação na estrategia da equipe, e hoje o Rubinho(e sua aquipe) foi muito boa. Diferente de outros que estragam o seu carro e ainda dizem que foi dificil andar 6 voltas com o carro só com uma marcha (quem foi o idiota que mandou estragar? a proprio cara? putz, mas ele sabia guiar? :|:| )

  7. Anonymous disse:

    Concordo com o Felipe…

  8. Felipe disse:

    Só não entendo o porque da expressão “verdadeiros líderes”? E Rubens por acaso não foi o verdadeiro líder durante 7 voltas? Ou era só de mentirinha? Porque depreciar o feito dele com um carro absolutamente medíocre?? Tô começando a me enojar com esse blog, vou lá pro do Téo José onde o blogueiro respeita mais o talento dos outros…

    Aqui é sempre assim, preferem dizer que ele foi beneficiado pela estratégia, que teve sorte porque os outros abandonaram, e tudo o mais e se esquecem que com uma Honda fez verdadeiro milagre hoje. Não precisa dizer que ele fez milagre, mas é visível e falta de parcialidade. Nunca ele é citado ppor sua habilidade e/ou experiência.

  9. terramex disse:

    Esse é o Barrichello. Nada, nada, nada, e NADA!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>