MENU

10 de agosto de 2009 - 1:18Curiosidades, História

Momentos importantes que você não viu… porque ninguém mostrou!

Transmitir uma prova automobilística pela televisão é uma tarefa complicada. São necessárias dezenas de câmeras, centenas de profissionais e, principalmente, um operador de switcher muito atento, para garantir que o telespectador não vá perder momentos importantes de uma corrida ou treino de classificação.

O trabalho é duro e nem sempre houve as facilidades de hoje, com muitas câmeras espalhadas por todo o circuito, onboards em todos os carros e mesas digitais de última geração. Quando as transmissões ao vivo começaram, no começo dos anos 70, a infraestrutura era ainda muito precária e muitos momentos da corrida precisavam ser interpretados pelo narrador ou por quem assistia, dada a impossibilidade de exibir tudo o que estava acontecendo.

No entanto, mesmo com a melhora consistente das transmissões a partir dos anos 80, muitos momentos importantes, alguns históricos, simplesmente não foram registrados. Seja por uma distração do câmera ou por um erro de leitura do diretor de transmissão, o fato é que há momentos da Fórmula 1 dos últimos anos que ninguém nunca viu. E o Blog do Capelli relembra quatro importantes cenas inéditas da categoria. E que assim permanecerão.


4. Acidente de Gilles Villeneuve – 1982

Foto: Reprodução/TV

Foto: Reprodução/TV

Ídolo ferrarista, Gilles Villeneuve perdeu a vida a bordo de um dos carros vermelhos, num acidente com Jochen Mass durante os treinos para o GP da Bélgica de 1982. O canadense tentou ultrapassar a March do piloto alemão, que vinha em volta de desaceleração, mas acabou batendo sua roda dianteira esquerda na traseira direita do adversário. Com isso, o carro decolou e deu diversas piruetas no ar. Quando caiu no chão, já bastante destruído, o piloto foi ejetado do cockpit, sendo lançado contra o guard-rail.

O final do acidente, com o corpo inerte de Villeneuve voando, foi registrado e mundialmente difundido. Mas o choque entre os carros e o vôo fatal da Ferrari nunca foram vistos, pois o câmera não percebeu o que ocorria, mantendo no quadro o lento carro de Mass. Apenas no canto esquerdo do quadro percebe-se, sutilmente, o carro de Villeneuve subindo. E, depois, a imagem segue acompanhando a March.

Importante lembrar que não foi o impacto com o guard rail que tirou a vida de Villeneuve. Tal pancada apenas provocou-lhe uma fratura na clavícula. A causa mortis foi o estrangulamento por um cinto de segurança mal posicionado durante as piruetas que dava no ar. Justamente as cenas que não foram registradas.


3. Acidente de Roland Ratzenberger – 1994

Foto: Reprodução/TV

Foto: Reprodução/TV

Outro acontecimento importante mal registrado pelas câmeras que acompanhavam um treino de classificação. Em 1982, com poucos recursos, a falha poderia até ser justificada. Mas, 12 anos depois, ninguém conseguiu ver exatamente o que aconteceu com a Simtek de Roland Ratzenberger.

O piloto austríaco perdeu o controle de seu carro na curva Villeneuve, no circuito de Imola, durante o treino classificatório para o fatídico GP de San Marino de 1994. Passou reto, de forma inexplicável, até chocar-se contra o muro de contenção. Ratzenberger morreu com lesões neurológicas, mas ninguém conseguiu entender bem como o acidente aconteceu.

Mais tarde, viria a explicação: a Simtek teria perdido uma asa dianteira, deixando o carro absolutamente fora de controle. O problema é que nenhuma imagem retrata em detalhes o momento em que a asa se desprendeu. A hipótese da perda do aerofólio surgiu através de uma cena parcial, registrada por acaso. Uma câmera, apontada para a curva Tamburello, registrou a passagem da Simtek, mas ficou parada, aguardando o próximo carro. Até que, no canto superior direito do quadro, surge um pedaço de carenagem voando.

Supõe-se que é o registro da perda da asa dianteira, algo que nunca foi confirmado. Aquela carenagem pode ter se soltado quando o carro saiu da pista e entrou pela grama. Dados de telemetria confirmaram que Ratzenberger realmente perdeu pressão aerodinâmica na frente, deixando o carro sem controle. Mas a asa que aparece na imagem é motivo ou consequência do acidente? Nunca se saberá.


2. Batida de Senna em Mônaco – 1988

Foto: Reprodução/TV

Foto: Reprodução/TV

O acidente de Ayrton Senna no GP de Mônaco foi decisivo para que o brasileiro conquistasse o título de 1988, por mais paradoxal que possa parecer.

Senna liderava a corrida com folga, com quase um minuto de vantagem sobre Alain Prost, seu companheiro na McLaren e então líder do campeonato mundial. A vitória parecia simples e era só questão de tempo. Até que, a 12 voltas do fim, o brasileiro distraiu-se, perdeu o controle do carro e bateu no guard-rail externo da curva Portier, que leva ao famoso túnel do circuito de Monte Carlo.

O abandono foi decisivo na briga pelo título porque foi, a partir dali, que Senna tornou-se um piloto mais cerebral. Percebeu que velocidade pura apenas não bastava – coisa que Nigel Mansell, por exemplo, não aprendeu nunca – e passou a administrar suas corridas com mais inteligência e foco no resultado. Fez daquele insucesso um aprendizado que lhe garantiu uma carreira de tricampeão do mundo.

O grande problema é que, um momento tão importante da história da Fórmula 1, nunca foi registrado. As únicas cenas existentes são do carro de Senna parado já com o brasileiro fora do carro, retirando o capacete e deixando a pista muito irritado com a besteira que fez. Para sua sorte, ninguém testemunhou a burrada.


1. Problema de Mansell em Mônaco – 1992

Foto: Reprodução/TV

Foto: Reprodução/TV

Essa fica em primeiro lugar porque foi, certamente, uma das maiores trapalhadas em uma transmissão de Fórmula 1 em todos os tempos. Nigel Mansell dominava tranquilamente o GP de Mônaco de 1992, até que cometeu um erro e tocou um de seus pneus em um guard-rail, dentro do túnel.

O pneu furou, Mansell ficou lento, chamou sua equipe pelo rádio e avisou que precisaria de uma troca. A Williams se preparou, o inglês entrou nos boxes, trocou pneus e voltou em segundo lugar, dando a liderança a Ayrton Senna.

Até aí, um acontecimento absolutamente normal em corrida. O problema: a transmissão não exibiu absolutamente nada! Distraídos com a briga pelo terceiro lugar entre Riccardo Patrese e Michael Schumacher, os responsáveis pelo corte de imagem não viram nada do que aconteceu. Mansell era o líder e, de repente, apareceu em segundo. Do nada, os créditos da televisão passaram a mostrar Senna em primeiro lugar, o que inicialmente parecia um erro. Não era. O Leão tinha ficado para trás e começou ali uma das mais emocionantes disputas pela vitória em Mônaco, um final de corrida épico com Mansell tentando passar e Senna segurando, nas últimas voltas. Mas os responsáveis por mostrar o GP de Mônaco para o mundo não devem ter descoberto até hoje como a briga se originou.

Comentários do Facebook

comentários

106 comentários

  1. Ricardo Hirooka disse:

    Boa materia, Capelli. Parabens.
    Mas gostaria de compartilhar uma informacao.
    Moro no Japao ha muitos anos e assisti o GP de Monaco de 1992 pela TV Fuji. Naquela epoca, o canal ja tinha reporter de campo nos pit e ainda tinha camera exclusiva. Pois bem, o reporter, que se chama Kawai, avisou o locutor que a Williams estava se preparando para uma troca de pneus e imediatamente a camera mostrou o box da equipe inglesa e em seguida, o Mansell entrando para fazer a troca. E quando o Leao voltou pra pista, o narrador imediatamente informou que Senna estava agora na lideranca.
    Ou seja, so os japoneses entenderam aquela troca de posicoes enquanto o resto do mundo ficou confuso.  

  2. Stig Racer disse:

    Prezado Capelli,

    Parabéns pelo site e pelos seus posts sempre interessantes.
    Achei sua seleção perfeita e gostaria de fazer uma pergunta. No GP do Brasil em 1991, o Senna liderava quando começou a ter problemas no câmbio, e o Mansell que estava se aproximando, rodou por problemas na transmissão. Tudo que lembro era de ver o Mansell girando na fumaça de pneus, destruindo de vez o câmbio e abandonando. A Globo
    perdeu a imagem da rodado do inglês?

    Aproveito para dizer que a qualidade do seu site me inspirou a colocar num blog (http://arquivosdaformula1.blogspot.com/) alguns arquivos raros que acumulei com o tempo. Tenho até o acidente do Wendlinger comentado pelo Igor acima, mas meu foco é em grandes momentos dos campeões.

    É apenas um começo, mas espero dividir essas informações com os amantes da F1.

    Um abraço,

    Stig Racer

  3. Igor disse:

    Capelli, muito bom este post. Sempre me interessei por esse tipo de curiosidade.

    QUero registrar tb o acidente com o Wendlinger em Monaco no ano de 1994. Pelo que eu já pesquisei as únicas imagens que aparecem é do carro já escapando no final da reta do túnel.

    Abraço

  4. Momentos importantes da f1 q ninguem viu. Grande materia do @ivancapelli http://tinyurl.com/nkbkg3

  5. Rafael Poliszuk, nao digo desligada, e sim, “confiscada”. Por decisão da FIA, talvez, ninguem nunca mais veja as imagens da batida!

    • Luciano disse:

      Também fico na dúvida, quando o assunto é essa polêmica camera on-board na Williams de Senna, que foi desligada a Hora-H… Mas cá entre nós: Faria sentido esconder a imagem da colisão, que certamente mostraria “apenas” (não interpretem mal esse “apenas”!!!) o golpe fatal da suspensão no capacete do nosso campeão? Acho que o ângulo de filmagem da câmera não acusaria o desprendimento da barra de direção, e ainda que mostrasse, será que a FIA daria “esse boi” pro time do Frank? Realmente, parece que estamos vendo conspiração onde não há.

  6. Odinabo disse:

    Capelli, tem uma batida do Schumacher em Monaco 2000 que as câmeras não mostraram e que erroneamente foi declarada como quebra de suspensão.
    Ele aparece com a suspensão traseira esquerda quebrada ao adentrar a “reta” de chegada mas bateu na Anthony Noghes.

  7. MAURO disse:

    Parabéns pela matéria. Certamente, se pesquisarmos a história da F1, encontraremos diversos outros casos semelhantes.
    Capelli, gostaria de aproveitar este espaço para perguntar a você e seus leitores se alguém sabe onde posso encontrar o vídeo da morte do piloto de Stock-Car (da época do Opala) Zelimir Gregoricink (não sei se o nome é exatamente este), que morreu queimado, tendo saído do carro e rolado na grama do autódromo para tentar apagar o fogo. Alguém se lembra disso? Tenho 38 anos, não tenho nem idéia de quando foi que isso aconteceu…

  8. ELF_TL72 disse:

    Janus, o automobilismo é um esporte cheio de mistérios. Esses mitos de imagens secretas, que podem ou não no futuro se confirmar, são muitos. Imagens do acidente Icks X Bellof, da on-board completa do Senna no acidente de Imola, a foto de Senna no IML, dentre outras, fazem parte do imaginário da F1 da mesma forma que, por exemplo, os arquivos do assassinato de JFK ou do incidente em Roswell. Tem sempre um clima de conspiração no ar que ajuda a fazer crescer a curiosidade sobre esses assuntos.
    Outra enorme curiosidade que tenho, é saber quem foi o Piloto de F1 que filmou “Rendezvous in Paris” de 1978. O filme rendeu até a prisão do diretor, que depois “desmentiu” a participação do amigo e assumiu sozinho a culpa pela condução do carro.
    Porém, para mim, não tem desculpa: só um profissional pilotaria daquele jeito. Para quem não conhece a história, vale a pena uma espiada no YouTube. É de tirar o fôlego. E quem tiver um palpite…

  9. [...] F1: 10 momentos importantes da F1 que você não viu… porque ninguém mostrou [...]

  10. Janus disse:

    “ELF_TL72″, li certa vez num forum, já extinto, que o acidente entre Ickx e Bellof em Spa foi sim filmado, mas que as imagens estariam guardadas em algum cofre da Porsche. Mais uma daquelas histórias que nunca se confirmarão, provavelmente, mas pelo menos nesse caso existe a sequência fotográfica que também explica bastante, coisa que nesses casos citados nesta excelente matéria do Capelli também não há, infelizmente.

  11. Agra disse:

    Parabéns. Muito bom o post.

  12. Alexandre Nami disse:

    Ivan Capelli, alguns anos atrás num especial sobre Roland Ratzemberger, foi publicada uma foto tirada por um ”arquibaldo” de um toque entre Ratzenberger e uma Lotus, se não me engano Johnny Herbert, onde na volta anterior ao acidente Ratzenberger toca levemente seu bico no Lotus do Ingles, onde Roland não deve ter notado a gravidade do problema, pois era um trecho de baixa, no entanto, na Villeneuve os carros atingiam velocidades acima dos 300km, e o ”peso” gerado pelo downforce deve ter forçado a asa a um ponto de se romper.
    Creio que foi no GPtotal que vi essa foto.
    Salu2.

  13. Clenio A. Vilela disse:

    Vou repetir o que muitos já disseram: MUITO BOA MATÈRIA!
    Mas, falando em câmeras on board, acho que a F1 poderia copiar a FIndy e instalar as câmeras giratórias que ficam posicionadas acima da cabeça do piloto. São boas, principalmente nas ultrapassagens.

  14. Luís Morais disse:

    Melhor tópico de algum blog neste ano, creio eu. Como sou muito novo (no acidente do Ratzemberger eu tinha apenas 3 anos), foram erros despercebidos por mim.

    Mas, ainda hoje temos alguns erros, alguns até concertados. No último treino, naquela da mola soltando do carro do Barrichello, era algo que devia ser mostrado na hora, ao invés da volta de desaceleração do Kovalainen.

  15. Heliovaldo disse:

    Olá Capelli, parabéns pelo Post. Até recentemente com câmeras onboard em todos carros , etc. Ainda as transmissões deixam a desejar. Por exemplo, no GP do Japão de 2007, o Vettel havia sido punido com perda de dez posições do grid na próximo corrida, por ter batido na traseira do carro do Webber quando estavam atrás do Safety Car. Porém um vídeo amador feito da arquibancada foi postado no youtube e mostrou que o culpado foi o Hamilton que se descuidou da velocidade e teve que frear forte para não passar o Safety car, então o Webber também freou para não passar o Hamilton, o que causou o acidente. A Toro-Rosso entregou este vídeo para a FIA e após analisá-lo retirou a injusta penalidade do Vettel (e não puniu, como deveria, utilizando o mesmo critério, o Hamilton). Ah, se não fosse o Espectador!!! Ahh diga-se de passagem, a FIA entrou com ação contra o Youtube pedindo para retirar o vídeo de circulação, pelos direitos de imagem serem dela!

  16. Marcelo disse:

    As transmissões eram fracas mas a F1 era fantástica. Lembro que os comerciais eram inseridos no meio da corrida, ou seja; a transmissão parava para que o comercial fosse veiculado, não era como é hoje, apenas um banner e nada mais. E tem outra, naquela época os carros quebravam demais… então era comum o cara estar liderando uma corrida, entrar o comercial e quando a transmissão voltava o lider era outro…. vinha apenas a imagem do cara parado…. BONS TEMPOS AQUELES QUE A GENTE NÃO VIA UM MONTE DE COISAS E AINDA SOBRAVA OUTRO MONTE PRA VER!!!! Hoje a gente fica de olho nas paradas de boxes!!! QUANTA EMOÇÃO!!!!

  17. Cláudio Costa disse:

    Lembro também de um grande premio do Canada, quando na largada o carro de Riccardo Paletti pegou fogo, mas a locução (narrador e comentarista) ficou discutindo se o piloto haveria saido do carro, embora dava para ver nitidamente nas imagens o capacete do piloto ainda dentro do carro, antes da fumaça tomar conta de tudo. Infelizmente o piloto veio a falecer.

  18. ELF_TL72 disse:

    Apesar de não ter ocorrido na Fórmula 1, um dos maiores momentos importantes que ninguém mostrou aconteceu com pilotos da F1, em um autódromo da F1: o acidente entre Stefan Bellof e Jack Icks, em Spa, no ano de 1985, pelo campeonato de protótipos.
    As únicas imagens (pelo menos que eu tenha visto) são da on-board do carro de Icks, e não revelam muita coisa. Lembro que na época houve muita discussão de quem afinal tinha sido a culpa. A polêmica foi muito grande principalmente porque havia uma rusga entre os dois pilotos, o que levou a diversas pessoas a atribuir a culpa ao Icks pela manobra imprudente, ao cruzar a frente de Bellof na tomada da curva, motivado pelo desejo de não ser ultrapassado por um piloto a quem havia anteriormente vetado na equipe.
    A falta de uma tomada aberta, fora do carro, vem fomentando ainda nos dias atuais essa discussão. Eu particularmente acho que Icks fechou Bellof de maneira abrupta, mas sem imagens fica difícil afirmar com certeza.
    Agora, epecificamente da F1, além dos lembrados aqui tanto pelo Capelli quanto pelos leitores, nunca vi imagens do acidente de François Cevert. Lembro somente da imagem terrível do carro capotado sobre o guardrail e da remoção das ferragens como cockpit coberto por uma lona.

  19. Roberto Taborda disse:

    Ta na hora de vc colocar os Momentos importantes que a tv não viu mas os fas lembram.. hushsusa… Simplesmente incrivel essa sua reportagem! e os comentarios( exceçao de 1..) mostram como o blog hoje é referencia! Abração Capelli!

  20. CAPELI;
    BELÍSSIMO TRABALHO E PESQUISA.
    MEUS CUMPRIMENTOS.
    VICENTE MAJÓ DA MAIA

  21. http://bit.ly/14T9wK MUITO LEGAL, quem tiver curiosidade entra na url ai !

  22. Marcelo Aiquel disse:

    Capelli, parabéns pelo blog.

    Quanto a esta matéria, especialmente sobre o Roland Ratzemberger, uma curiosidade trágica: lendo a reportagem do GPtotal (L. Pandini) me dei conta que a homenagem da Toyota nas 24Hs de Le Mans de 1994, dois meses após o acidente de Ímola, colocou o nome dele ao lado do J. Krosnoff, americano que veio a falecer em 1996 no Canadá (F Cart).

    Abraço

  23. Gustavo disse:

    Capelli, me lembrei de uma outra coisa que me pareceu interessante a partir do seu post: no acidente fatal do Jochen Rindt, em Monza 1970, existe a filmagem do final do acidente, mas não a do momento em que a saída da pista ocorre. Tudo bem que no final da década de 1960 as filmagens fossem ainda mais precárias, mas o que impressiona é a quantidade de fotos do atendimento ao piloto, com o rosto sangrando (e, não, não estou confundindo com seu acidente em Montjuic. Há fotos de Rindt antes de entrar na maca e já nesta. Há também uma fotografia do carro, sem as asas dianteiras, retiradas para a tentativa da pole position, percorrendo o que parece ser a reta oposta logo antes da Parabolica). A lição seria de que a cobertura já estava no lugar certo, ainda que reste a dúvida sobre a ausência de imagens.

    Claro que posso não ter visto imagens que existem, mas ainda não achei. Pra mim é uma situação muito parecida com a do Villeneuve. Por fim, já vi esse vídeo amador da batida do Ratzenberger, mas não achei o link.

    abraços

  24. Adriano Santi disse:

    A câmera onboard do Senna não foi desligada, o que ocorreu foi que o diretor da transmissão cortou para outra câmera. À época, não eram arquivados os tapes de todas as câmeras, mas somente o que ia ao ar.

  25. Rodrigo Vilela >>>> todo mundo concorda que a câmera de Ayrton foi desligada propositalmente?

  26. Roberto Zimmerman disse:

    E pensar que ter uma transmissão profissional MESMO disponível de graça pra todo mundo (pq a da F1 Digital+ era paga e restrita a alguns países), só começou de forma tímida em 2004, qdo a FOM, com o pessoal da extinta F1 Digital+, começou a ser geradora de algumas corridas, até tomar conta de quase todo o campeonato em 2007. Esse ano, os amadores (entenda-se as TVs locais) só fizeram o GP de Mônaco, e assim será até o final da temporada. Um viva aos novos tempos!

  27. Bruno disse:

    O do Gilles Villeneuve não deixa de ser uma surpresa…Na Bélgica as transmissões sempre foram ruins, no Youtube tem a transmissão do GP de 1985 (Globo), que enquanto Senna cruzava a linha de chegada em primeiro, a TV fazia o favor de mostrar o Thierry Boutsen caminhando depois de abandonar a prova…

  28. Algumas menções:

    1- A camera onboard do Senna, em Imola, foi desligada de proposito…

    2- O abandono do GP da Italia de 1988 foi resultado de um toque entre ele e o Schlesser.

  29. Cultura inútil, só pra falar do acidente do Martin Donelly… foi praticamente um milagre ele ter saído inteiro do acidente. O Bernie até disse que foi a maior alegria da vida dele quando, no dia de seu casamento, o Donelly entrou na igreja andando!

  30. Condes disse:

    Muito bom, obrigado pelo seu trabalho.

  31. Vocês já viram o acidente do Ratzemberger completo no youtube? è um vídeo feito por um amador, nas arquibancadas …. o carro decolou e girou no ar depois (sim, depois) da batida…

  32. Vocês sabiam que quando Sid Waltkins foi avisar a esposa do Gilles sobre sua morte, ela não se surpreendeu? E ainda disse: Eu sabia que quando ele saía de casa, poderia nunca mais voltar …… Esporte interessante.

  33. Pandini disse:

    Capelli, idéia sensacional que resultou em um post excelente. Parabéns!

    Alguns leitores citaram momentos importantes de treinos que não foram capturados. Eu lembrei de um de corrida: o momento exato em que Alan Jones manda Nelson Piquet para o muro após a primeira largada do GP do Canadá de 1980. O corte foi rápido, mas por pura infelicidade a mudança de câmera acabou perdendo o momento exato do toque. Pode-se ver Jones indo em direção ao lado interno da pista, onde estava Piquet, e em seguida tudo o que aparece é Piquet rodando depois de bater no muro e um monte de carros colidindo.

    Esse lance acabou decidindo o título da temporada. A corrida foi paralisada e Piquet pegou o carro reserva, que por erro do chefe dos mecânicos estava com um motor de classificação que não resistiu a mais que 25 voltas. A única combinação que dava o título por antecipação a Jones era o australiano vencendo e Piquet não pontuando. E foi o que acabou ocorrendo.

    Sobre a dúvida do Márcio Vilarinho do Amaral: a TV italiana, colocou no meio da corrida o momento em que Alboreto parou seu Arrows nos treinos – provavelmente para mostrar aos telespectadores italianos o momento em que ele perdeu definitivamente a chance de se classificar para a largada. Não sei houve falha do responsável pela geração das imagens para o exterior ou se havia impossibilidade técnica de mostrar Alboreto apenas para a Itália. O fato é que, sem a narração apropriada, muita gente comeu mosca – nesse caso, justificadamente.

    A TV brasileira só começou a mostrar os treinos oficiais ao vivo em 1991. Antes disso, meu ritual pré-corrida era comprar o jornal e conferir todo o grid, começando de baixo para cima para ver quem NÃO havia se classificado para a largada. E, justamente antes do GP de San Marino de 1990, eu não fiz isso – havia ido para uma festa, voltei tarde da noite e acordei em cima da hora da largada… Fato é que eu só fui notar a barbaridade no dia seguinte: a “Folha de S. Paulo” deu uma nota a respeito, com o título “Errows”.

    Abraços! (LAP)

  34. Gláuber disse:

    Márcio Vilarinho Amaral nesse link você pode ter uma luz: http://pt.wikipedia.org/wiki/Grande_Pr%C3%AAmio_de_San_Marino_de_1990_(F%C3%B3rmula_1)

    E nenhuma Arrows se classificou.

  35. Maurobala disse:

    nessa corrida de Mônaco , os bandeiras , davam a AZUL pro Senna , eu ficava louco vendo na TV …

    e sobre : “se o carro é dele, vem buscar ! ” corrobora o fato dele ir direto pra casa , nessa hora não é ser BURRO , é estar P com alguma coisa.

  36. Wagner Campos disse:

    Capelli vc esqueceu de uma importantíssima tb, talvez até mais q essas: A câmera onboard do Senna no momento do acidente fatal, q justo no momento em q vemos o carro se dirigir reto pro muro é cortada…. azar do diretor de imagens ou corte proposital?
    Parabéns pela matéria, os demais blogueiros de F1 poderiam mostrar coisas interessantes assim enquanto a F1 tá parada. Valeu

  37. Mauro disse:

    Parabéns, ótimo texto.

  38. Italo Azevedo disse:

    Sobre a corrida de Mônaco 1992, Mansell diria depois, “Nunca vi uma McLaren tão larga na minha vida, era impossível ultrapassá-lo”.

  39. Rodrigo Rocha disse:

    Excelente, como sempre.

    A do Mansell foi absurda, eu tinha 10 anos, torcedor do Mansell (sério!) e a TV o perdeu por meia volta…
    A do Villeneuve me parece mais absurda ainda…tem um carro a uns 4 metros de altura, capotando, e a TV mostra o Mass super lento…incrível!

  40. Carlos disse:

    Parabéns Capelli!! Ótima reportagem…

    A questão do Mansell em 92 foi inesquecível….ele sozinho em primeiro e de repente aparece em 2º.

  41. Verde disse:

    O mais incrível é que o acidente do Philippe Streiff em Jacarepaguá foi capturado pela TV! Até um tempo atrás, ele rolava por aí no Youtube. Imagine, uma câmera da Globo filmando um teste de pré-temporada de um piloto da AGS no ano da graça de 1989… altamente improvável.

    Os acidentes do Ricardo Paletti e do Ronnie Peterson foram capturados naquela típica precariedade vigente na época. Ambos capturados à distância em uma época na qual cada ponto da pista tinha apenas uma câmera. Como os diretores tinham de concentrar a exibição das imagens no pelotão da frente (mais precisamente nos líderes), acidentes como esses eram capturados apenas de relance.

    Fora outros momentos que poderíamos ter visto de uma maneira mais digna, como o pileup de Monza/1995 e o acidente de Clay Regazzoni em Long Beach. E não consigo acreditar até hoje que existiu apenas uma câmera para aquele monstruoso acidente de Spa/1998. Pela época na qual aconteceu, aquilo deveria ter sido filmado por pelo menos umas três câmeras.

    Por fim, eu recomendo que você dê uma olhada em vídeos antigos da F3000, mais precisamente entre 1985 e 1990. Tem vários no Youtube. Os diretores de imagem conseguiam a proeza de perder QUASE TODOS os bons momentos das corridas.

  42. Jim Jones disse:

    Genial! Parabéns pelo trabalho!

  43. Luis Skinner disse:

    Schumi não voltará mais (ao menos esse ano)!

  44. Stanis disse:

    Capelli, existe uma foto que mostra que uma volta antes do acidente fatal, Ratzenberger havia danificado sua asa dianteira numa espacapada. Fica a dúvida então: asa ou aerofólio?

    A imagem:

    http://www.gptotal.com.br/entrevista/ratzemberger2.htm

    Quanto à falha na transmissão, as câmeras estavam postadas aguardando a passagem de Damon Hill que fazia volta rápida naquele momento.

  45. Hamilton disse:

    A propósito do acidente do Villeneuve, eu que não era nascido nos anos 70, quando vejo corridas dessa época (e do começo dos 80 também) nunca entendi o porque daquelas telas (alambrado) de arame. Aquilo lá parece ser mais perigoso do que realmente algo de segurança. Imagino um piloto que se enrosque naquilo e poderia morrer decepado ou então ter dificuldades para sair de um carro em chamas porque ficou todo enrolado naquele negócio de arame.

    Alguém saberia me explicar qual a idéia daquele arame todo e porque e quando deixaram de usá-lo??

  46. Mateus Fernandes disse:

    o acidente do PIRONI só tem as imagens do socorro ?

    não tem ele acertando o alan prost ?

  47. SPEEDWEIDER disse:

    muito bom capelli.
    gosto muito do seu blog
    abrço.

  48. Nikolas Spagnol disse:

    “Capelli, quanto ao acidente do Ratzenberger, o Jean Alesi, que estava numa das arquibancadas da curva Villeneuve pois tivera um problema qualquer na Ferrari dele, disse numa entrevista que o carro do austríaco estava sem uma parte do aerofólio dianteiro.”

    O Alesi estava de “espectador” naquela corrida porque estava se recuperando de um acidente em um teste particular, onde fraturou uma vértebra. No lugar dele correu o Nicola Larini (que ficou em 2° naquela fatídica corrida).

    Pelo que me lembro nunca houve dúvida sobre a causa do acidente do Ratzenberger. A equipe Simtek apresentou a telemetria do carro dele, onde constava uma escapada de pista na volta anterior que teria comprometido a asa dianteira (mas que permaneceu aparentemente intacta). Mas ao enfrentar a grande pressão aerodinâmica do trecho mais rápido da pista (na tomada da curva Villeneuve) a peça se soltou, tornando a Simtek ingovernável a mais de 300 por hora.

    Mas o momento em que a peça se soltou não foi registrado, mesmo porque a Simtek não era exatamente o centro das atenções das câmaras de TV até então…

    • Capelli disse:

      Nikolas, talvez eu não tenha me expressado bem. Não há dúvidas de que a causa foi a perda de uma asa. A questão é que ninguém filmou a asa voando. Existe uma imagem que mostra um pedaço de carenagem no ar, que supõe-se que seja o momento da asa voando. Mas pode ser apenas consequência do impacto no muro, ou na saída para a grama.

  49. walter disse:

    Genial! Grande sacada listar esses ‘angulos cegos’ da cobertura da Fórmula 1!
    O oposto dessa cegueira é a filmagem do acidente de Lauda, em Nurburgring / 76, uma corrida que não era bem filmada, numa pista impossível de cobrir televisivamente e, ainda assim, havia alguém com uma câmera a filmar tudo.

  50. “Assisti” três dos quatro casos apresentados, mas sempre tive receio de mencionar que achava terrível a transmissão não tê-los captado. Este post deu voz aos meus pensamentos.

  51. Jonny'O disse:

    Perfeito Capelli , nem lembrava mais dessa de Mônaco em 92.

  52. Batida de Senna em Mônaco – 1988

    A muitas controversas quanto a esta batida do Senna em Mônaco dizem as mas línguas que a batida teve interferência de Ron Denis
    Como foi relatado pelo nosso amigo Cepelli:
    Senna liderava a corrida com folga, com quase um minuto de vantagem sobre Alain Prost, seu companheiro na McLaren e então líder do campeonato mundial. A vitória parecia simples e era só questão de tempo. Até que, a 12 voltas do fim, o brasileiro distraiu-se, perdeu o controle do carro e bateu no guard-rail externo da curva Portier, que leva ao famoso túnel do circuito de Monte Carlo.
    Mas existe um versão diferente desta, Senna liderava a corrida com folga, com quase um minuto de vantagem sobre Alain Prost, ai vem a outra versão, Ron Denis entrou no radio de Senna e disse: para diminui-se o ri timo para não da uma volta em Prost, nisso Senna não concordou com o Dirigente da McLaren. Como não ouve uma cooperação da parte de Senna , Ron foi mas ríspido e disse que fizesse que era uma ordem, que o carro erra dele,quem manda na equipe era ele e tinha que obedecer.
    Ouvindo esta ordem ditatória Senna de uma forma bem clara disse: que não iria acatar a ordem e disse mais, se o carro erra dele, ele que viesse buscar e simplesmente bateu no guard-rail externo da curva Portier, que leva ao famoso túnel do circuito de Monte Carlo, de propósito. Não sei se e verdadeira esta versão, mas o fato que e vira um mito e nunca saberemos se realmente foi verdade.

    abraços a todos do Blog do Capelli

  53. Felipe Siqueira disse:

    Matéria interessantíssima e vem um mala fazer uma crítica nem um pouco construtiva…

    Desde quando relembrar fatos históricos a partir de um gancho é estúpido?

    ainda bem q esse disse que não volta mais, pq não faz falta nenhuma

  54. greyhound disse:

    Capelli :

    Talvez vc não lembre mas em 1994 uma tomada por trás da Simtek foi mostrada (antes da batida) e nitidamente percebe-se o spoiler do lado esquerdo voando (na época o Galvão Bueno comentou, ficando assim, registrada sem a menor dúvida, a causa do acidente de Ratzemberger. Um abraço.

  55. Alessandro disse:

    Atualmente a cobertura de vídeo na Fórmula Um está tão avançada que pôde-se perceber o momento em que 02 peças se soltaram do carro do Barrichello em Budapeste. E o mais incrível: pôde-se ver a mola com excelente detalhe atingindo o capacete de Massa. É uma tecnologia incrível uma câmera conseguir mostrar objetos com detalhes a mais de 200km/h. Isto só tem a colaborar com as investigações de acidentes na F-1.

  56. Carlos disse:

    Sem esquecer do acidente envolvendo o Alonso, em 2004, no túnel de Mônaco. A batida MESMO, ninguém viu. Quando a imagem é retomada, já fora do túnel, a Renault já vem dançando de lado, bem destruída, o que levou a espanhol a fazer aquele conhecido gesto com o dedo médio em riste para o “simpático” Ralf Schumacher…

  57. Márcio Vilarinho Amaral disse:

    Capelli, tenho uma dúvida que, se você conseguir esclarecer (e/ou alguém aqui puder ajudar) me tirará uma dúvida que perdura 19 anos. Em 1990, então com 15 anos, eu acompanhava a F-1 com três tabelas: pilotos, construtores e as posições de largada. Em Imola, os jornais daqui de Pernambuco não publicaram o Grid completo (como costumavam fazer em todos os treinos oficiais), então eu tive que torcer para a Globo ajudar. De olho, eu descobri quem eram os doze primeiros, além de já saber que Moreno era o 24º. Ao longo da corrida, fiquei de olho para descobrir, ao menos, quem eram os 26 (e, consequentemente, os quatro que sobraram; os da pré eu já sabia). E em determinado momento da prova a TV italiana mostra Michele Alboreto encostando o Arrows no acostamento. Só que, incluindo ele e os pilotos que a TV mostrou ao longo da corrida, eram 27 pilotos. No final do ano descobri que Alboreto não se classificou para a largada. Alguém pode me explicar o que houve?

    • Capelli disse:

      De fato, o Alboreto não se classificou para aquela largada. Aliás, nenhuma das duas Arrows. Não lembro disso, mas talvez a TV tenha creditado outro piloto erradamente.

  58. Rodrigo disse:

    Capelli,

    Faltou falar da câmera in-board do carro do Senna em Ímola 94 que foi desligada (conforme versão oficial) no momento em que o carro começa a guinar para fora da curva. Por conta desse capricho do destino o mundo não pode ver o volante estersado para a esquerda e o carro rumando reto levando Senna como passageiro. Abraço

  59. Alexandre NT disse:

    Outro acidente impressionante e menos trágico foi o de Didier Pirroni, então companheiro de Villenueve na Ferrari. Algumas semans após o trágico acidente de Gilles, aconteceu um acidente parecido com Pirroni. Com as mesmas características, saída da pista, capotamento. Para a sorte de Pirroni, ele permaneceu no carro (na célula de sobrevivência) o que certamente salvou a sua vida.

  60. Nelson disse:

    Essa matéria mostra duas coisas interessantes. Em primeiro, fica claro como alguém pode jogar tempo pela janela escrevendo uma matéria estupida dessas. Em segundo, e mais terrível, um péssimo blogueiro pode tomar um tempão de vida útil de um pobre leitor desavisado. Nunca mais apareço aqui.

  61. Capelli, quanto ao acidente do Ratzenberger, o Jean Alesi, que estava numa das arquibancadas da curva Villeneuve pois tivera um problema qualquer na Ferrari dele, disse numa entrevista que o carro do austríaco estava sem uma parte do aerofólio dianteiro.

  62. Carlos Alberto Petry disse:

    Caro Capelli, o Gilles Villeneuve, no acidente fatal, não bateu em guard rail nenhum e sim em uma tela de arame, onde segundo especulações, quebrou a cervical com rompimento integral da medula,

  63. Sempre com histórias interessantes da F1, esse blog… http://tinyurl.com/nkbkg3

  64. Guilherme disse:

    Eu acho que há mais imagens do acidente do Senna, é que a administradora da F1 não mostra o que foi filmado de outras câmeras, eles liberaram só o que saiu ao vivo. Não sei se eles esconderam ou se está em segredo de justiça.

  65. Guilherme (RJ) disse:

    Capelli,

    Esse vídeo aqui mostra a equipe Williams se preparando, logo a seguir o Mansell entra nos boxes para a troca do pneu furado e sai como um louco atrás do Senna. Pelo menos temos algumas imagens do fato. O final de prova foi realmente eletrizante.

    http://www.youtube.com/watch?v=fHoe5SztgMc

    Parabéns pelo post!

    Abraços!!!

    • Capelli disse:

      Caraca! Essas imagens eu nunca tinha visto.

      Pelo jeito, eram câmeras exclusivas da TV do Japão. Porque a transmissão oficial da corrida não mostrou isso.

  66. Renan do Couto disse:

    Parabéns cara! Belo trabalho

  67. CESÃO disse:

    RT @fabio_seixas: Acidentes importantes da F-1 que a TV nunca mostrou (nem mostrará), post genial do @ivancapelli: http://bit.ly/9iQxn

  68. Fabio Seixas disse:

    Acidentes importantes da F-1 que a TV nunca mostrou (nem mostrará), post genial do @ivancapelli: http://bit.ly/9iQxn

  69. Fabio Seixas disse:

    Acidentes importantes da F-1 que a TV não mostrou, post genial do Capelli: http://bit.ly/9iQxn

  70. Paulo Renato Pinheiro disse:

    Capelli,

    Sei que não tem a ver com o post, mas fica aí a dica para um novo post.
    http://esportes.terra.com.br/automobilismo/formula1/2009/interna/0,,OI3912955-EI12988,00.html
    Não encontrei imagens desse novo casco ainda.

    Paulo.

  71. Excelente post Capelli!
    (:

  72. Malu Mello disse:

    Muito bom post! Que faz a gente ler até o final ;)

  73. ButecoRacing disse:

    Em Monza/88 a situação era bem confortável.
    Se não me engano faltavam 3 voltas, a Ferrari do Berger vinha há 12 seg da McLaren do Senna. O Schlesser, retardatário com uma Williams abre na chicane para o Senna passar, ou então erra e abre a primeira perna, não dá pra saber ao certo. O Senna, corretamente, coloca por dentro e ainda deixa um bom espaço na segunda perna para que o Schlesser voltasse. Só que o cara vem como uma vaca brava e pula a zebra atingindo a roda traseira da McLaren.
    Não acho que tivesse qq erro do Senna aí. Muitas outras ultrapassagens foram feitas em situações muito mais difíceis sobre retardatários e isso não aconteceu.
    O imponderável foi que o retardatário era um estreante na F1, e que depois nunca mais voltou.
    Alguns tentar impingir tb ao Montoya um erro na ultrapassagem sobre o retardatário Jos Verstappen no GPBrasil de 2000, quando liderava depois de ultrapassar MSchumacher. Montoya foi atingido na traseira qdo freiava para a curva do lago. Erro total do Verstappen.

  74. Sam disse:

    @Oswald Martins

    No Gp de Monza, a situação do Ayrton estava confortável sim, ele se precipitou ao fazer a ultrapassagem na chincane. Ate os gênios erram e isso não diminui em nada o grande piloto que ele foi.

  75. Pit disse:

    Excelente post!! :)

  76. Momentos importantes que você não viu… porque ninguém mostrou! http://migre.me/4W8d #f1 #blog

  77. Bruno A. disse:

    esses “sumiços” do Capelli são propositais. =P
    ele some uma semana, aí vem sempre com posts cada vez mais interessantes.
    tudo pra alavancar audiência.
    hhahahahah!!

    #TeoriaDaConspiração

  78. Oswald Martins disse:

    Bom, essa corrida de Monza, a situação do Ayrton não estava confortável.
    Eu li que ele estava começando a sofrer um problema de motor tal qual o que tirou o Prost da corrida.
    Vinha perdendo rendimento e o Berger já estava bem próximo a ele, não queria perder tempo.
    Tem um video que mostra quando o carro do Senna ainda está virando, a Ferrari surge e o passa.

    Outra burrada que eu comparo, em partes, a de Monaco foi o GP Brasil de 1990.

  79. Tempest disse:

    Muito legal o texto Capelli. Só tem uma coisa que não concordo muito. Quando vc diz: “…O abandono foi decisivo na briga pelo título porque foi, a partir dali, que Senna tornou-se um piloto mais cerebral. Percebeu que velocidade pura apenas não bastava…”.
    Bom, para mim, acho que se Senna aprendeu, foi só por algumas corridas, e logo esqueceu. Lembrando que no mesmo ano, na Itália, Senna perdeu a corrida ganha de Monza.

  80. Ron Groo disse:

    Sensacional texto, uma sacada de mestre, genial…

    SE superou nesta Capelli.

  81. Helio Carreira disse:

    Parabéns Pelo Post !

  82. Tem ainda um outro caso que não da pra ser considerado bobeada de direção de TV, e sim sacanagem pura pra encobrir algo decisivo: cadê o último 1.8s da onboard do Senna em Imola? Ah é, “desligaram” a câmera logo ali… ahan… bullshit!

  83. Pois é Capelli, não é só o locutor brasileiro que não presta atenção…
    Por outro lado, creio que o GUGA confundiu as coisas, a curva Villeneuve é a próxima depois da Tamburello, a asa do carro se soltou no fim da reta entre elas, nada de dar uma volta completa sem a asa.

  84. Stanis disse:

    Realmente, faltou a menção ao acidente de Donnelly, em Jerez 90. E o abandono de Barrichello, na Hungria, em 1995..na última volta.

  85. Moyna disse:

    Essa lista aumentaria enormemente se incluíssemos aí os GPs dos anos 70 que transmitiram também para o Brasil. Mas, para não sair do seu escopo, que tal a “zona” que foram as últimas voltas do GP de Mônaco de 1982? Com o devido desconto que nem o melhor diretor de imagem do mundo conseguiria registrar como tudo aquilo se deu em poucos minutos, mas o fato é que nem nós nem o vencedor Patrese sabíamos o que estava acontecendo.

  86. richarley disse:

    Momentos importantes da F1 nos últimos anos que ninguém viu: http://migre.me/4VNm (via @ivancapelli)

  87. Roberto Taborda disse:

    Grande Capelli! Excelente matéria! Mas ficaria totalmente completa se vc citasse o acidente do Martin Donnely em Jerez 90, que terminou muito parecido com o do Gilles, porem o piloto teve a vida salva. Abração de Uruguaiana.

  88. guga disse:

    Grande Post, Capelli, sempre em grande nível.
    Em relação ao acidente de Gilles, confesso que já tinha esta noção do toque ao ver as imagens, que estão algures no youtube.

    Em relação ao Roland, acho pouco provável ele fazer quase uma volta completa com pé embaixo, sem parte de uma asa; porém por ser um piloto estreante podia mesmo ter cometido esse erro.

    Quanto ao Senna, tinha 7 anos, e lembro como se fosse hoje, foi uma burrada tremenda, mas nunca mais repetida.

  89. Belo post! ótimas informações! coisas que eu nem imaginava!

  90. Speeder_76 disse:

    Excelente matéria, Capelli! Neste parado mês de Agosto, ler uma coisa destas até é bom, pois pode-se ver que no tempo em que não havia câmeras em todos os lados, em todos os carros, as coisas eram bastante menos sofisticadas. E acho que no primeiro caso, o cameraman estava mesmo distraído…

  91. F1 ao vivo disse:

    RT: @ivancapelli: Momentos importantes da F1 nos últimos anos que você não viu porque não tinha ninguém filmando. Aqui: http://migre.me/4VNm

  92. DKRc disse:

    Sobre a batina do Senna em Monaco, uma coisa curiosa.

    Segundo relatos, ele saiu do carro e nao foi para o Pitstop ou para uma area da organizaçao.

    De tao irritado que estava ele simplesmente foi pra casa dele, que ficava a algumas quadras dali.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>