MENU

13 de setembro de 2009 - 11:25Análises

Rapidinhas: GP da Itália

Foto: Divulgação/Brawn

Foto: Divulgação/Brawn

- Vitória de Rubens Barrichello em Monza, dando uma aquecida no campeonato. A segunda posição de Jenson Button, no entanto, mostrou ao brasileiro que a disputa pelo título vai ser mesmo apertada.

- Barrichello venceu com méritos na Itália. Tal qual em Valência, seguiu fielmente o script desenhado pela equipe para chegar na frente com base na estratégia. Foi competente, rápido, preciso, vencedor. No final das contas, ficou claro que seu adversário na briga pela vitória era mesmo Jenson Button, que tinha a mesma estratégia de uma parada, e não Lewis Hamilton, que fez um bom começo de prova e depois perdeu o ritmo.

- Button, por sinal, fez sua melhor corrida desde o GP da Turquia, quando venceu pela última vez. Depois de sucessivos maus resultados, conseguiu largar bem, ultrapassando a McLaren de Heikki Kovalainen, e manteve-se o tempo todo no encalço de Barrichello. Se não tinha como ultrapassar, fez o que era necessário para um líder de campeonato: garantiu uma segunda posição e oito pontos muito preciosos.

- Lewis Hamilton, apesar do bom começo de prova, foi uma decepção. Não conseguiu andar rápido o suficiente no segundo stint para fazer valer a estratégia de duas paradas e caiu para o terceiro lugar. Na última volta, ainda escapou da pista e bateu. Fiquei com a sensação de um problema no pneu traseiro, mas pode ter sido um erro do piloto. Daqui a pouco ficaremos sabendo. Mas a lamentar a perda de um pódio assim, nos últimos metros.

- Bom para Kimi Raikkonen, que herdou um terceiro lugar no finalzinho da corrida, dando aos tifosi a alegria de ver uma Ferrari no pódio. Aliás, a melhora da equipe italiana é significativa nas últimas provas.

- Adrian Sutil marcou seus primeiros pontos na Force India com um ótimo quarto lugar. Fez uma corrida discreta, mas muito correta e eficiente. Se não deu pódio, foi porque as Brawn estavam irresistíveis mesmo.

- Decepção das Red Bull: Mark Webber abandonou na primeira volta, depois de um toque com Robert Kubica. E Sebastian Vettel chegou em oitavo, marcando pontos graças ao acidente de Hamilton. A 26 pontos do líder faltando apenas quatro corridas, dá adeus a qualquer chance concreta de título. A briga ficará mesmo entre as duas Brawn.

- Foi o primeiro pódio de Button em seis corridas. No entanto, o suficiente para manter a ponta no Mundial de Pilotos. A vantagem cai de 16 para 14, mas convenhamos: é uma boa diferença quando há apenas 40 em disputa.

- Gosto muito de avaliar o campeonato considerando uma vantagem relativa de pontos, computando a proporção entre a diferença do líder e a quantidade de pontos em disputa. Assim se tem uma noção mais real da situação do campeonato. E, embora Barrichello tenha hoje descontado mais dois pontos de Jenson Button, relativamente a vantagem aumentou.

- Antes, eram 16 pontos a descontar em 50 a disputar. Ou seja, a vantagem relativa de Jenson Button era de 32% dos pontos a disputar. Hoje, com 14 pontos em 40, a vantagem cresceu para 35%.

- Um campeonato só é encerrado quando a vantagem relativa chega a 100%, o que mostra que ainda há boas chances para Rubens Barrichello. Mas o volume de pontos a descontar ainda é grande.

- Para ter chances concretas, o brasileiro precisa ainda de uma corrida de exceção, com um ótimo resultado combinado com um abandono ou mau resultado de Button. Como disse há quinze dias, perdeu essa chance na Bélgica. Hoje venceu, mas com o piloto inglês em sua cola.

- A vitória é sempre boa porque dá uma bela injeção de ânimo, mas não adianta: ainda falta a tal corrida de exceção para deixar o campeonato totalmente aberto. Como dificilmente Barrichello conseguirá vencer todas as quatro corridas restantes, Button pode conquistar o título apenas subindo ao pódio em todas as provas, mesmo que em terceiro lugar. E, considerando a retomada da Brawn, isso é bem possível.

- A considerar ainda o câmbio de Barrichello, que provavelmente terá de ser trocado antes da corrida em Cingapura, o obrigando a perder cinco posições no grid.

- Mas, ainda que a situação de Button seja cômoda, é muito bom ver um final de campeonato assim. Jamais imaginei que chegaria a tanto, depois do início arrasador do inglês, com seis vitórias em sete corridas. A briga está boa, Barrichello em ótima fase e acredito que nada se decide antes do GP do Brasil.

- Voltando à corrida, prova decepcionante de Fisichella na Ferrari, chegando apenas em nono lugar. Melhor que Badoer, mas isso até Dona Mafalda Capelli, minha avó, faria. Quem sabe em Cingapura, longe da pressão da estreia na Ferrari correndo em Monza, consiga repetir o bom desempenho que teve com a Force India na Bélgica.

- Heikki Kovalainen, que tinha uma boa posição de largada e uma boa estratégia de combustível, provou hoje que não faz mal a ninguém. Sexto lugar foi muito pouco.

- De resto, pouco a acrescentar, à exceção da corrida vaca-louca de Jarno Trulli. Seus pegas com Timo Glock e Kazuki Nakajima foram pouco produtivos, perigosos, mas divertidos de assistir.

- Daqui a duas semanas, corrida noturna em Cingapura. Será que a Renault estará lá? Respostas em 21 de setembro.

Resultado GP da Itália 2009

Comentários do Facebook

comentários

33 comentários

  1. Pinheirinho - Brasília/DF. disse:

    Dado como carta fora do baralho no início da temporada, Barrichello vive um momento especial. Após vencer o GP da Itália, em Monza, o brasileiro entra de vez na briga pelo título do Mundial de Pilotos.
    Rubinho volta a sorrir. Em êxtase após a terceira vitória no circuito de Monza, Barrichello busca o título inédito.
    Belíssima vitória de Barrichello. Rubinho está firme na briga pelo título.
    Pinheirinho é divulgador cultural é maranhense, a partir de Brasília. – E-mail: pinheirinhoma@hotmail.com

  2. Daniel disse:

    o Hamilton quis dar uma de kimi raikkonen e fazer a volta mais rápida da prova na ultima volta,
    a primeira parcial ele conseguiu….na segunda…..

  3. Olá a todos;

    Vejo aqui e ali uma ansiedade por colocar o Grosjean na fogueira e queimar aquela cabeleira penteada com um ancinho.

    São apenas 2 corridas, sendo que a última, desculpem, na última a equipe estava com nervos à flor da pele em função do que todos já sabemos e dá pra pensar que nem todos na equipe tenham tido cabeça para dar seu melhor, incluindo aí pessoas chave dentro da equipe. Alonso tira tudo de um carro pois é mais do que um extra-classe, é talvez o melhor do grid atual.

    Certamente é inadequado comparar ele (Grosjean) com o Nelsinho-agora-só-vou-correr-no-kart-indoor, porque querendo ou não são 20 e tantas provas contra apenas 2.

    Vejo a mesma ânsia em condenar um cara rapidamente com que se pedia paciência com outro.

    E numa boa pessoal, em 17 anos ainda não tinha visto a possibilidade do sempre contestado Barrichello de disputar um título em um momento tão bom. Perder tempo pensando no Grosjean, isso é duro de encarar.

  4. Leonardo Borges disse:

    se barrichleo chegar na ultima corrida com desvantagem de mais ou menos 8 pontos , ou 6 pontos , ele pode ser campeão , no final do campeonato os ingleses sempre sentem a pressão foi assim com hamilton em 2007 , mansel em 1991, e pode acontecer com button..

  5. Marco Toyota disse:

    O IRON lembrou um ponto importante:

    “Nunca tivemos um Rene Arnoux, Jacques Laffite ou um Johnny Herbert – o que eu quero dizer com isso – nunca tivemos um piloto apenas vencedor que não conquistou títulos como os citados acima.” IRON

    Acrescentaria a essa lista, Jean Alesi, Coulthard, Berger e outros que chegaram à F1, ganharam alguns GPs,fizeram longa carreira e seguiram para a aposentadoria.

    Tirando Carlos Pace, todos os outros vencedores do Brasil, também se sagraram campeões mundias duas ou tres vezes. Acho que isso alimenta os sonhos e as cobranças em torno do Rubinho. Os torcedores, ou seriam devotos, sonham co o título e os críticos cobram um desempenho digno de um campeão mundial.

    Eu considero o Rubinho um piloto normal. Isso em se tratando de F1 quer dizer muito. Dá de dez a zero em qquer piloto regional ou de outra categoria inferior. Mas dentro da F1, é um piloto normal. Não é um gênio, com certeza. Mas também não é um medíocre.
    Assim com outros pilotos normais, ganha corridas e pode vir a ganhar um título mundial, por que não?

    Esse ano a disputa promete ser honesta, mas há de se reconhecer que está bem difícil. O Button não parece estar tão abalado como dizem. Ele seguiu as regras do jogo e vigiou o Rubinho durante a corrida. A regra é clara: quem sai na frente na 1a curva, vai ter a preferencia nas paradas. Disputa na pista nem pensar.
    Quanto ao Ross Brawn, nem pensar em jogo de equipe. Paris, só a passeio…

  6. Fabiano disse:

    Errado Capelli! O desempenho do Gosjean prova que o segundo carro da Renault é uma porcaria. Qua a equipe se concetra inteiramente no primeiro, que não se preocupou em desenvolver o carro ao longo da temporada e que não importa quem lá estiver, NAP, Grosjean ou Di Grassi, ninguém fará algo melhor do que o NAP vinha fazendo.

    Por várias vezes vi você abrindo o verbo contra ele e o Grosjean? Você não irá fazer uma análise fria apontando que na realidade o carro é uma porcaria e que não importa quem esteja no segundo cockpit, nada arrumará. Não dirá que o Alonso vem fazendo um papel regular, única e exclusivamente pela capacidade dele acima da média associado ao trabalho da equipe concentrado “apenas” em seu carro?

    Você foi muito bom para fazer análises a respeito do NAP, faça sobre o Grosjean e a situação do segundo piloto (não importa quem seja) da Renault.

    • Capelli disse:

      O cara está apenas em sua terceira corrida na F1, numa temporada na qual não é possível testar. Pegue meus posts do ano passado e veja se desci a lenha no Nelsinho logo nas primeiras corridas.

  7. IK disse:

    @ Angelo Mello
    O Grosjean participou do GP de hoje? Serio? Se correu mesmo entao foi tao marcante quanto pum em vendaval.

  8. Ron disse:

    Eu tenho dúvida quanto a uma possibilidade de empate no final do campeonato.
    Supondo que o Rubens ganhasse as últimas quatro corridas e o Button pontuasse para garantir o empate, o título não seria do Rubens por conta de um empate em vitórias e maior número de segundos lugares?

  9. Eduardo Casola Filho disse:

    Bem, as chances do Rubinho podem não ser das maiores, ainda mais pelo bom desempenho do Button, mas a Fórmula 1 já teve reações espetaculares nos últimos campeonatos, com o campeonato decidido de modo improvável, quer dizer que ainda está em aberto. E se o Button ganhou 6 corridas em 7, sendo 4 seguidas, porque o Rubinho não pode ganhar as 4 que faltam?

    Sobre o Grosjean, se o Briatore disse que um jornalista andaria melhor que o Nelsinho na Renault, será que este jornalista estaria melhor que o Grosjean também?

  10. Bozo disse:

    Um abração pra Vovó Mafalda Capelli, uma das maiores pilotas de Carrobol (ou futecarro) do norte do Rio Grande do Sul.

  11. Mandruwá disse:

    Leonardo Borges, joga no Excel q vc entende….

  12. Sheldonn Rêis disse:

    Mais uma corrida espetacular. Não é a toa que Monza é considara um templo do automobilismo tal qual Indianápoles e Le Mans, a pista italiana é muito veloz e proporciona emoções latentes durante toda a prova, algo que as pistas modernas não conseguem fazê-lo tão bem quanto o clássico circuito.
    Falando um pouquinho da corrida, pedindo vênia ao Capelli, Rubens segui bem o script e fez uma belíssima corrida. É bom lembrar aos críticos de plantão que seguir o script nem sempre é tão fácil como alguns podem sugerir. Mais uma vez o brasileiro mostrou ter muita velocidade e talento que ainda pode ser aproveitado por um bom tempo na F1.
    Compartilho com a opinião do amigo Iron: “As babaquices do Casseta e do Pânico não passam de mera catarse, onde o que se busca é um bode expiatório para os brasileiros complexados rirem de si mesmo achando que estão fazendo troça de alguém”.
    Devemos sim aplaudir o Rubens pelo bom trabalho feito e pelo exemplo de determinação, torço muito pelo título mesmo ciente da dificuldade, mas mesmo assim torço me espelhando na determinação inabalável do próprio Rubens!
    A frente Rubens! Boa sorte!

  13. Gil de Ferran disse:

    E o comentário do Fábio Seixas em seu blog…

    “Continha rápida: desde que começou a reagir, em Valência, Barrichello diminuiu em 12 pontos a folga do companheiro. Eram 26 depois da Hungria, são 14 agora.

    Ou seja, vem tirando, em média, quatro pontos por prova.

    Como faltam quatro etapas para o fim, Cingapura, Japão, Brasil e Abu Dhabi, a conclusão é clara: se continuar nesse ritmo, Barrichello será campeão.

    Enfim, é só um exercício de matemática. Que, se não tem a capacidade de prever o futuro, pelo menos mostra de forma mais palpável, a inversão de sinais dos dois pilotos da Brawn.

    E, aí é achismo meu, acho difícil uma nova inversão. Barrichello entrou naquela fase em que tudo dá certo. E isso traz uma confiança dentro do cockpit que, somada à sua experiência, tornar-se difícil de combater.

    Barrichello, 37 anos, 17 temporadas na F-1, tem em mãos a melhor chance de sua carreira de ser campeão mundial.”

    Assim seja!

  14. Gil de Ferran disse:

    Aproveitando a brilhante vitória de Barrichello, segue um texto interessante do ex-jogador Neto…

    Barrichello, um ídolo “esquecido”

    http://blogdoneto.blog.uol.com.br/arch2009-09-06_2009-09-12.html#2009_09-11_01_43_34-138135702-25

    O povo brasileiro tem a incoerente mania de exaltar gente sem valor cultural nenhum, tipo essas celebridades instantâneas participantes de reality shows e capas de revistas. No esporte temos a mania de cultuar apenas a vitória. Só interessa ser campeão. Segundo lugar, medalha de prata, de bronze, ou até mesmo uma posição de destaque num ranking extenso, pouco se valoriza. Outro dia critiquei uma atitude do campeão olímpico César Cielo e muita gente rebateu. Xingamentos e tudo mais. Mas será que seria igual se o garoto da natação tivesse sido bronze? Ou se tivesse ficado em 5º lugar nas Olimpíadas? Não vejo toda essa boa vontade com nomes como Thiago Pereira, Daiane dos Santos e Diego Hypólito. Todos se destacaram, mas não trouxeram uma medalha. Mas e daí? Tenho também uma de prata em casa que conquistei com a seleção de futebol em Seul 88 e pouca gente sabe.
    Estou falando tudo isso porque sinceramente queria entender a “rejeição” do povo brasileiro com o piloto Rubens Barrichello. Esse cara é um vencedor. Foi duas ou três vezes vice-campeão da F-1, venceu várias corridas, é o piloto mais antigo da categoria e pouca gente dá moral. A única coisa que o brasileiro sabe ficar tirando sarro. Mas onde está a graça? Sacanearam ele a vida toda e mesmo assim se mostrou grande. Digno do status de um grande ídolo nacional. Pra falar a verdade, o Rubinho é mais exaltado fora do que dentro do Brasil.
    O que reforça a minha tese são esses fatos envolvendo o Nelsinho Piquet. Todos davam mais valor para o rapaz porque ele é filho de um tricampeão. Mas olha aí no que pode dar! Ídolo mesmo de caráter é o Rubinho. Ele pode não ser tão brilhante como o Senna, mas sempre será ídolo e merecedor de todo meu carinho e respeito.

  15. Sidewinder disse:

    É isso aí! Aplaudiremos e lançaremos muitas tortas nele.

  16. Iron disse:

    Ô VALTER!!! Rubinho certamente não é um super campeão como Senna e Piquet. Ele foi muito cobrado após a morte de Senna em razão da expectativa que se criou (parte responsabilidade dele) em torno de sua carreira. Na miha opinião, está difícil ganhar o campeonato, mas o que estamos vendo é a superação de um piloto semi-aposentado que luta de todas as formas para mostrar ao mundo, especialmente ao Brasil, sua garra e seu talento. Não é fácil chegar a F1. Não é fácil vencer corridas na F1. Não é fácil ser campeão na F1. Nunca tivemos um Rene Arnoux, Jacques Laffite ou um Johnny Herbert – o que eu quero dizer com isso – nunca tivemos um piloto apenas vencedor que não conquistou títulos como os citados acima. Perguntem para o Guggelmin, Boesel, Hoffman, Bernouldi e outros que estiveram lá e não ganharam o que é ganhar uma corrida de F1. O Rubinho sabe o que é isso 1. As babaquices do Casseta e do Pânico não passam de mera catarse, onde o que se busca é um bode expiatório para os brasileiros complexados rirem de si mesmo achando que estão fazendo troça de alguém. Não sou fã do Rubens e não tenho procuração para defendê-lo. Mas se o Rubens não conquistar o mundial, podem ter certeza que o seu papel está sendo cumprido de forma correta, honesta e competente. Temos que aplaudi-lo sim!!!!! Um abraço!!!

  17. Szeliga disse:

    o teclado do Leonardo Borges não tem pontos nem vírgulas…. fica complicado mesmo entender a conta quando não se entende o que a pessoa quis dizer…

  18. EdisPJ disse:

    http://www.oconsumidoremdebate.blogspot.com/

    O Button não tá morto, apesar da ótima corrida de Barrichello, marcou de perto o companheiro, pensando no campeonato; Kovalainen, horrivel como sempre, fraquissimo (não sei como ainda tem gente achando que esse enganador é piloto – tomara que o Rosberg venha para os prateados, pra dar sufoco no Hamilton); Grosjean, vai precisar uns 3 anos para alguém notar que ele tá correndo? Acho que é melhor acabar antes de começar, pra não ser outro kovalainen da vida; Hamilton, não tem o que pretender disfarçar: FOI BARBEIRAGEM!!! O resto, tirando as Force India, foi o mesmo de sempre…

  19. Pedro disse:

    Capelli,

    De acordo com o Blog do Seixas o engenheiro de Barrichello, Jock Clear, disse o seguinte:

    “Não há nenhuma preocupação com o câmbio. Vai aguentar esta corrida e as próximas duas”.

    Se for isso, aumentam as chances do Rubens.

  20. Leonardo Borges disse:

    mandruwa não entendi bem seu calculo pra falar verdade até o meu ta meio confuso o que eu queria dizer é que se barrichelo diminuir a diferença para o button nas 3 corridas seguintes tirando sempre 2 pontos na diferença nos 3 GPs seguintes no ultimo GP tera caido 6 pontos e faltaram 8 chegara em abu dabhi tendo que marcar 8 e rezando ( e muitooo) pro button não marcar nenhum ou só chegar em oitavo acredito eu…

  21. Mandruwá disse:

    Só pra deixar claro: 4 terceiros lugares NÃO dão o título pra Button, pois ele chegaria a 104 pontos, e Barrica conquistando 4 vitórias chegaria a 106 .Vc colocou bem: 4 triunfos do “brasileiro que não desiste nunca”, é muito difícil, improvável até, mas não impossível, ou seja, estatisticamente ainda há chances nessa situação.
    Outro dado interessante: Se Button conquistar os mesmos 4 terceiros lugares e Barrica vencer 3 e chegar em segundo em outra, empatam em 104 pontos, sendo que o inglês levaria vantagem em vitórias: 6 a 5.
    Se o sistema de Bernie “zé das medalhas” tivesse passado, Button seria virtualmente campeão hoje, ou certamente em duas semanas: bastaria Barrica não vencer, sepultando um campeonato que ainda está interessante. Ainda bem q não passou…

    • Capelli disse:

      Aí é que está… parto do pressuposto de que Barrichello não vence as quatro. Assim, Button só precisa de quatro terceiros.

      Convenhamos: é mais provável quatro pódios do que quatro vitórias. Mas, obviamente, estamos falando apenas de probabilidades.

  22. valter disse:

    Barrichello fez uma corrida seguindo a tatica perfeita da equipe Brawn, melhor ainda, dessa vez fez a sua parte e assim conquistou a vitória merecidamente. Só gostaria que ele se mantivesse concentrado para a próxima prova, pois sempre depois de uma boa corrida ele faz “caca” na seguinte, vide a ótima em Valencia e a fraca largada na Belgica. Não gosto do piloto Barrichello, mas reconheço que com tanto tempo na F1 ele ainda pode se aproveitar de sua experiencia e quem sabe, se contar com um pouco de sorte, ser campeão. Não é fácil, mas não é impossivel.

  23. Roger disse:

    qUAL A EXPLICAÇÃO DO CAPACETE DO rÚBIS?!?!??
    oPS, saiu mal não estou gritando….

    Abraço,

    RV

  24. Sidewinder disse:

    É uma pena que as Red Bulls tenham perdido o fôlego nesta altura do campeonato.
    Ficaria muito mais interessante ter os quatro pilotos para o “grand finalle”.

  25. Leonardo Borges disse:

    capelli apesar de tudo acho que o rubens já merece elogios depois de quase desempregado agora com 2 vitorias em um ano que ele talvez nem correria agora nos meus calculos faltam 4 corridas se ele marcar pontos , ele chegando pelo menos em 4 nas 3 proximas corridas com button chegando em 5 pra trás ele chega em abu dabhi tendo que marcar 8 pontos e button não pode marcar nenhum se não me engano teoricamente seria a mesma situaçõ do massa em interlagos do ano passado é só uma suposição capelli mas depois do catastrofico cingapura pra massa ano passado ele ainda brigou até os ultimos 15 segundos pelo titulo porque não o Rubens……

  26. Szeliga disse:

    a diferença poderia estar em 10 ou menos pontos se na bélgica o resultado tivesse sido mais positivo…
    na verdade está tudo nas mãos do button, pois ele só depende dele mesmo.. o rubens precisa contar com maus resultados de seu companheiro para triunfar…

  27. Claudio disse:

    As chances do Rubinho residem na possibilidade ou não da troca do câmbio para as próximas 2 corridas, na minha opinião. Se tiver que trocar em Cingapura, será um desastre.
    Além disso vai precisar ter uma corrida de exceção, como vc falou, onde vai precisar tirar 6 ou mais pontos do Buton.

  28. Capelli, foram os primeiros pontos de Sutil no ano e guiando para a Force India, pois o primeiro ponto propriamente dito do alemão foi conquistado em Fuji/2007, quando ele pilotada a Spyker.
    Com relação à caixa de câmbio de Barrichello, o que seria pior, perder cinco posições em Cingapura, uma prova de rua, ou em Interlagos, quando corre em casa? Fica a dúvida.
    Abração.

  29. Jonny'O disse:

    O proximo GP será em um circuito moderno ,ou melhor ,no estilo dos novos circuitos que apareceram ultimamente .

    Isso me preocupa em relação a Rubens , me parece que o estilo de Button se mostra mais eficiente neste tipo de pista .

    Ou será apenas impressão?

  30. Angelo Mello disse:

    Nenhum comentário sobre a excelente corrida do Grosjean???

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>