MENU

13 de março de 2010 - 10:40Análises, Box

Rapidinhas da classificação: Bahrein

A Fórmula 1 está de volta e, com ela, as infames rapidinhas. Análises em tópicos sobre a classificação de hoje para o GP do Bahrein.

- Sebastian Vettel não só fez a pole, como também fez a volta mais rápida de todo o treino, no Q2. Era o favorito e confirmou que vai largar na frente, mas talvez tenha sido mais difícil que o esperado. A Red Bull vem muito bem, mas a Ferrari mostrou que está com um conjunto muito bom.

- Felipe Massa sai em segundo, pouco mais de um décimo de segundo mais lento que Vettel. Eu confesso que esperava uma Red Bull mais dominante. Mesmo assim, Felipe aparece muito bem para a corrida.

- Curioso, porém, foi o semblante de desapontamento do brasileiro ao descer do carro. Ficou perceptível que ele almejava a pole, o que é ótimo. Largar na frente de seu companheiro Fernando Alonso, que será terceiro, é bom para dar as cartas dentro da equipe logo no começo da temporada. Mas, pelo jeito, não foi o suficiente para deixá-lo feliz. O que demonstra que as ambições de Felipe vão muito além de apenas bater Alonso.

- Mas a melhor notícia de todas foi ver que, em sua primeira sessão de classificação depois do terrível acidente na Hungria, Felipe Massa não perdeu sua principal característica, que é a velocidade pura. O piloto da Ferrari andou rápido e mostrou que está competitivo como antes. Quiçá, até melhor. Resta ver seu desempenho em corrida, mas essa primeira fila já vale como uma grande vitória para quem corria risco de vida há pouco mais de seis meses.

- Fernando Alonso, competitivo e autocentrado, certamente não ficou feliz com o resultado. Foi apenas um treino de classificação, mas nunca é bom perder para o companheiro de equipe. Amanhã, na corrida, o espanhol vem com tudo. O duelo interno na Ferrari será bastente empolgante.

- Fechando a segunda fila, em quarto lugar, logo quem: Lewis Hamilton, o desafeto favorito de Alonso. Se dividirem a curva, um não alivia para o outro. Será uma largada interessante.

- Jenson Button, atual campeão, tomou um coco de Hamilton em sua estreia pela McLaren. Largará apenas em oitavo lugar, tendo sido quase meio segundo mais lento.

- Mas foi Mark Webber quem levou mais tempo do companheiro no Q3: 1,1s. Enquanto Vettel é pole, o australiano sai somente em sexto. Esperava mais dele, mas é possível que tenha sofrido algum problema nos treinos.

Schumacher, 7º, decepcionou em seu retorno. (Foto: Divulgação/Mercedes GP)

Schumacher, 7º, decepcionou em seu retorno.
(Foto: Divulgação/Mercedes GP)

- Michael Schumacher não saiu ileso e, em seu aguardado retorno à Fórmula 1, ficou atrás de seu companheiro de equipe. Sairá em sétimo, contra o quinto lugar de Nico Rosberg. A diferença de tempo foi de três décimos. Mas, considerando que Schumacher ficou três anos parado e a pré-temporada não permite um grande volume de treinamentos, o alemão ainda briga para retomar sua forma ideal. Mas é inegável que a sétima posição foi um tanto decepcionante.

- Estrelinhas para Robert Kubica, nono com a Renault, e Adrian Sutil. O alemão da Force India, especialmente, foi a grande zebra do Q3. Percebe-se que o motor Mercedes empurra bem, mas mesmo assim não se imaginava uma Force India tão bem posicionada.

- Rubens Barrichello sai num bom 11º lugar com a Williams. Por pouco não foi à fase final da qualificação. Com a experiência que tem, pode fazer uma ótima corrida poupando pneus com o tanque cheio.

- Dos estreantes: Nico Hulkenberg, companheiro de Barrichello, ficou em 13º. Vitaly Petrov, da Renault, foi 17º. Sobre o desempenho de Lucas di Grassi, Bruno Senna e Karun Chandhok não há o que comentar. Eles não estão de fato na Fórmula 1.

- O abismo entre as equipes antigas e as novas é enorme. Lotus e Virgin ficam andam dois segundos mais lentas que as mais lentas. E a Hispania (ou HRT, que seja) é 3 segundos pior que as outras novatas.

- Tenho medo dessa “Fórmula 1 B”. Os carros são lentos de mais. Chandhok foi quase 11s mais lento que o pole position. Bruno Senna, 9s. O melhor dessa categoria, Timo Glock, foi cinco segundos pior que o pole. É quase como se a GP2 dividisse a pista com a F1. Uma diferença tão grande entre os carros é muito perigoso. Agora é torcer para que nada aconteça, enquanto a regra dos 107% não volta.

- Falando nisso, cálculo de padeiro: aplicando-se os 7% sobre o tempo da melhor volta do Q1 (1’54.612), teríamos 2’02.635 como limite para largada. O que significa que a Hispania não largaria.

- A corrida promete. O desenvolvimento da prova será completamente diferente dos últimos anos, já que não há mais reabastecimento. Na pole, Vettel tem vantagem, mas vai vencer quem cuidar melhor de seu carro. Ser veloz o tempo inteiro já não basta mais, a nova Fórmula 1 passa a exigir outras habilidades além do pé no fundo. Inteligência, controle e suavidade serão fundamentais. Podemos ter surpresas amanhã.

Grid de largada para o GP do Bahrein:

GP do Bahrein: Grid de largada

Comentários do Facebook

comentários

59 comentários

  1. Alejjandro disse:

    Capelli,

    compartilhando um sentimento (ui) com você: acho desnecessário o modo como a imprensa brasileira trata a relação (ui2) Alonso-Hamilton (me baseei na sua frase “Fechando a segunda fila, em quarto lugar, logo quem: Lewis Hamilton, o desafeto favorito de Alonso. Se dividirem a curva, um não alivia para o outro…”). Pombas, o Alonso já não falou milhares de vezes que o problema dele não é com o Lewis, mas com a McLaren? Por que o pessoal ainda insiste nisso?

    Sei lá, posso estar sendo chato demais… mas fica a observação.

    Abraço, e parabéns pelo blog! Sempre passo por aqui, mesmo que não comente.

  2. Nick Mason disse:

    Capelli, vc alguma idéia do por quê viraram mais rápido no Q2 do que no Q3?

  3. Caique disse:

    Numa pista como na de Shakir o começo será tipo Abu Dhabi mas por que todo mundo vai economizar alem do pneu o freio que é bem judiado nessa pista a graça dela mesmo vai ser depois do 1º pitstop ai com pneu novo um stint mais forte pra no fim ir de macio pra acabar a corrida

    O Massa vai ficar com medo de dar volta na Hispania pois o carro já tá soltando peça e quem sabe nao sai outro Head Shot (tomara que não)

    Mas a 1º curva com Alonso e Hamilton vai ser show

  4. Tomás Motta disse:

    Olá Capelli;
    meu nome é Tomás, sou o autor do blog Fórmula 1 que circula há pouco tempo, mas que já traz vários leitores;
    tenho 13 anos, mas dizem que escrevo como gente grande;
    enfim, deixo a minha opinião que postei lá no meu espaço para compartilhar aqui, já que serei comentarista sempre neste lugar.

    Depois de um treino que definiu a força da Red Bull com seu carro e mostrou que Vettel é sim favorito a vitória. Quem ficou abaixo do esperado foi o autraliano Webber, que levou uma lição do alemãozinho. Se formos prestar atenção em sua “privilegiada” posição no grid, no meio dos Mercedes, com Schumi atrás, ele pode se dar mal.

    Estratégias:
    Mas quem tem que se preocupar mesmo é a Ferrari. O fato de ter ficado atrás do tão poderoso monoposto dos energéticos pode complicar a situação para o lado dos tifosi. Motivo: a Red Bull está mais consistente nas voltas, pelo menos foi isso o que vimos hoje, e deve atrapalhar os planos de uma vitória brasileira. Claro, é bom ficar de olho na resistência do motor Renault no carro da RBR, que foi o inimigo da equipe no passado. Por isso, se Massa quiser ter chances de vencer a corrida, será interessante não ficar longe de Vettel na hora da largada, e óbvio, se conseguir efetuar uma ultrapassagem, seria fantástico. Olhando para o lado de Alonso, a sua preocupação deve ser mesmo Felipe, em princípio. Assim como o brasileiro ele deve estar preocupadíssimo em não perder este “1º round”, e a luta pelo segundo luagr, no caso de Vettel abrir e essa diferença foi difícil de ser tirada, será épica.

    E ao mesmo tempo é interessante olhar um pouquinho par trás, onde temos Hamilton colado em Alonso, seguido de Rosberg, Webber e Schumacher. Aposto que o alemão “na casa dos 40″ será cuidadoso, mas ao mesmo tempo arriscará tudo para passar Webber, já que, como no caso dos Ferari, seria complicado passá-lo durante a prova. Tudo pode acontecer, enfim.

    Os grandes beneficiados da história podem ser Sutil e Barrichello. A Force India parece estar realmente competitiva, e a corrida traz circusntâncias diferentes que os treinos. Já Rubinho pode se beneficiar pela escolha dos pneus inicialmente para conseguir na largada, a 10ª posição. Uma chande ótima se ele quiser pontuar. E existe um outro, fator, que falarei depois…

    Lá trás o clima será de tensão, mas de outro gênero. Glock lidera o “grupo do fundão” com o objetivo claro de completar a corrida. Porém vejo a Lotus com um potencial maior para isso. E a Hispania, bom, é outra coisa completamente distinta. Senna e Chandhok estarão atrás, e o desafio será completar. Só torço para que Massa não tire uma volta de Bruno, seria muito ruim, principalmente para Galvão, que tentará disfarçar de qualquer modo para preservar a imagem do sobrinho de Ayrton. Boa sorte na sua estreia, assim como a Di Grassi, Chandhok e Hulkenberg.

    Opinião dos pilotos:
    Para ver como andam os pilotos, aqui estão os comentários dos 5 primeiros do grid, além de Schumacher, Button e Barrichello:

    Sebastian Vettel:

    Foi uma grande surpresa. Nos testes de inverno ninguém realmente sabia até onde este carro iria. Está claro que há quatro equipes muito fortes, mas estão próximas umas das outras. O treino foi muito bom. Estou muito feliz de estar na pole, os meninos(mecânicos) não conseguiram dormir muito no último mês. Após uma série de testes em um curto espaço de tempo, vir aqui, onde os pilotos mostram o quanto são fortes, é uma sensação agradável. Ninguém sabe o que vai ser acontecer amanhã. Pode ser muito emocionante ou muito chato. Nós queremos uma corrida calma, mas é uma situação difícil. A primeira parte será fundamental, e não é nenhum segredo que é preciso cuidar dos pneus.

    Felipe Massa:

    É muito bom estar de volta e lutar por uma boa posição depois de tudo o que aconteceu comigo. Após o acidente, fiquei em casa assistindo às corridas pela TV. Eu me preparei bastante fisicamente e corri de kart para voltar em um ritmo competitivo. Graças a Deus estamos em uma boa posição. Ter um carro competitivo e ficar entre os três primeiros mostra que a equipe fez um excelente trabalho desde a última corrida de 2009. Claro que seria fantástico largar na pole, mas já é um ótimo sinal. A corrida vai ser difícil no domingo. A gente vai aprender com tudo o que mudou no regulamento da melhor maneira possível.

    Fernando Alonso:

    Estou muito feliz. É a primeira corrida e muitas respostas ainda precisam ser dadas. Após um longo inverno, os primeiros treinos serviram como testes, mas você nunca sabe como os rivais estão andando. Ficamos animados com a classificação, porque temos um carro muito competitivo. Você nunca sabe como vai começar um campeonato após tantas mudanças no regulamento. Para mim, é ainda pior, porque troquei de equipe. É importante marcar pontos desde a primeira corrida, mas não sei como será minha estratégia aqui. Ela precisa ser flexível e inteligente. Não será planejado, dependerá de como a prova vai se desenrolar.

    Lewis Hamilton:

    Fiquei realmente surpreso com o resultado. Nós não tivemos o mesmo ritmo que a Red Bull e a Ferrari. Então, fiquei realmente surpreso em ficar logo atrás. Mas acho que está ótimo para nós. Um grande ponto de partida e espero que amanhã nós possamos apenas manter a posição, ou quem sabe ganhar algumas. Eu acho que é a pressão aerodinâmica. Nós geralmente somos bastante fracos no setor de meio do circuito. Eu acho que perdemos quase um segundo lá.

    Nico Rosberg:

    Para ser honesto, esperávamos um pouco mais para hoje, embora não tenha faltado muito para desafiar os pilotos da frente, por isso não estou muito decepcionado. Será muito importante cuidar dos pneus na corrida de amanhã. No geral, é um bom começo para mim e, com um pouco de sorte, devemos ser capazes de lutar por um lugar no pódio amanhã.

    Michael Schumacher:

    Estou satisfeito com o sétimo lugar de hoje, justamente por estar afastado da Fórmula 1 por um período tão longo. Mas por coincidência, é exatamente a posição que eu tinha quando comecei minha carreira no GP de Spa, em 1991. Foi divertido trabalhar com minha nova equipe, e agradeço a todos por seus esforços para me apoiar. Os meninos são muito bons, e eu sinto que nós temos melhorado passo-a-passo no fim de semana. Estou ansioso para a corrida, e espero ainda que ainda haja mais por vir.

    Jenson Button:

    Minha primeira volta no Q2 foi durante um congestionamento de carros na pista, e a segunda foi um pouquinho melhor. O carro estava bom, então estou feliz, mas no fim ele não foi tão bem. Alguma coisa no carro estava errada, precisamos observá-lo. Lewis Hamilton está em quarto, que não é uma posição muito ruim, mas quando você olha a diferença do primeiro colocado, mais de um segundo, é uma grande surpresa.

    Rubens Barrichello:

    Acho que a Williams andou bem neste sábado, mas não tão bem quanto gostaríamos. Tivemos problemas na sexta-feira por causa de pequenos problemas e andamos mais para nos recuperar neste sábado. Mas o balanço é positivo. Eu e os engenheiros conseguimos nos entender muito bem. Quase passei à superpole, fiquei pouco atrás de Jenson Button. Não foi tão ruim. Pelo menos terei pneus novos na largada, ao contrário dos dez primeiros do grid.

    Pneus- o fator decisivo

    Sim meus amigos, há algo com os pneus. Para quem não se lembra, e como bem lembrou Rubens ali acima, os 10 primeiros não trocarão seus compostos antes da largada. Já do 11º para baixo, sim. Então, que segurem Barrichello que ele pode se dar muito bem se fizer uma boa largada. Kubica estará muitoperto dele, e com pneus novos a visão geral muda. Pode não parecer, mas 11º é ,elhor que 10º, 9º ou 8º, até.

    O fato da importância dada aos pneus em si se deve a que como os carros estarão com seu tanque lotado de combustível, o desgaste será maior e o carro pode ter reações diferentes, dependendo do seu estado naquela hora. O acerto é fundamental, por isso também a preocupação de Button com seu MP4-25.

    Aqui um pensamento:

    Posso utilizar os macios para conseguir uma posição melhor no grid, mas que rapidamente se desgastarão ao longo da primeira perna de corrida, ou me classificar com os duros e me colocar em posição melhor para a corrida.

    ————————————–

    Surpreendente a opção de quase todos por largar com pneus mais macios, priorizando a classificação. Imaginava exatemente o inverso, com os macios sendo usados só no final da corrida…

    Exato. E foi isso o que aconteceu, só que ao inverso. As equipes grandes optaram por macios, que vão se gastar mais rapidamente, ao contrário de outras, com duros e durabilidade garantida. É uma jogada para a sorte.

    Mas fica claro o cuidado de todos com relação a isso. No final, quem pode se dar melhor nisso tudo é Hamilton.

    parabéns pelo trabalho, e até mais.

    • Doido disse:

      Concordo com vc na maioria das colocações.Mas acho que o fator dos pneus será determinante devido ao consumo de cada carro e não por esta diferença de três ou quatro voltas.Se o chefe da Maclaren deu uma declaração de que não estão rápidos o suficiente, como é que vão ir bem na corrida?

  5. Nikolas Spagnol disse:

    A Minardi até outro dia estava aí, andando a 6, 7 segundos dos líderes, e isso nunca foi um perigo.

    A única das equipes novas que está lenta demais é a Hispania, mas dá pra dar um desconto, afinal eles não puderam treinar e os carros deram suas primeiras voltas já no Bahrein. Com o tempo, devem ganhar alguns segundos.

  6. deschamps disse:

    Prezado Bassan

    Leia alguns posts acima, que vc verá diversas explicações, bem fundamentadas, sobre a utilização de “risco de vida” e “risco de morte.

    :-)

    • Bassan disse:

      deschamps, não havia lido a discussão anterior. O usuário “doido” definiu bem a questão. Como aprendi na faculdade, o termo é incorreto, embora amplamente utilizado. ;-)

  7. Bassan disse:

    Capelli, vc escreve super bem, mas hoje peguei uma errata sua. “… essa primeira fila já vale como uma grande vitória para quem corria risco de vida há pouco mais de seis meses.”. O correto é risco de morte. ;)

  8. Paulo Alves disse:

    Pessoal, vamos ajudar o Felipe Massa, o site Marca está fazendo uma enquete para ver quem vai ser campeão, vamos derubar o Alonso, divulguem.

    http://www.marca.com/debate/2010/03/828/prevotaciones828.html

  9. KBK disse:

    RBR deve ter problemas com pneu, Mercedes deve se dar bem nesse quesito.

  10. Janus disse:

    Na reta a diferença de velocidade não é tão grande, Senna e Chandhok ficaram entre os 10 mais rápidos no speed trap. Só tem problemas de downforce nas curvas, obviamente, já que os chassis ainda não foram devidamente lapidados. Logo, dizer que é perigoso, pra mim, é ridículo. Pilotos dessa categoria, pra mim, precisam saber conviver com isso, não ficar reclamando disso e daquilo. Vão correr no sambódromo pra ver o que é perigoso …

  11. Lucius disse:

    E todo mundo vai largar com pneu mais duro e farão apenas uma parada?

  12. CaioZer0 disse:

    Capelli, me diga uma coisa, foi a FOM que fez besteira mesmo e tirou o esqueminha de tempos e posições que ficava do lado esquerdo da tela ou a Globo que pegou imagem padrão 16:9 (wide screen) e cortou os cantos? Pois achei uma porcaria essa transmissão de hoje, já que não dava pra saber quem estava em qual posição e o tempo do pole, como antes era possível.

  13. Não sei porque tanta gente chiando da diferença entre o tempo de volta dos pilotos. Até não muito tempo atrás, era absolutamente normal uma diferença de 6, 7s entre primeiros e últimos. Nos últimos anos vimos algo não muito comum, a diferença entre primeiro e décimo em menos de 1s, quando, por exemplo em 1992, essa era a diferença entre primeiro e segundo colocados no grid.

    Se os pilotos daquela época conviviam pacificamente com isso, com carros muito menos sofisticados e pistas muito mais perigosas, por que diabos a turma de 2010 não conseguiria?

    • Ainda no tema, vejamos um grid de largada de 1992 com um tempo de volta na casa de 1:50 como tivemos hoje (Bélgica, no caso):

      1 N.Mansell Williams Renault 1:50.545
      2 A.Senna McLaren Honda +2.198
      3 M.Schumacher Benetton Ford +2.676
      4 R.Patrese Williams Renault +3.012
      5 J.Alesi Ferrari Ferrari +3.893
      6 G.Berger McLaren Honda +4.097
      7 T.Boutsen Ligier Renault +4.109
      8 M.Hakkinen Lotus Ford +4.267
      9 M.Brundle Benetton Ford +4.428
      10 J.Herbert Lotus Ford +4.482
      11 G.Tarquini Fondmetal Ford +5.420
      12 I.Capelli Ferrari Ferrari +5.530
      13 de Cesaris Tyrrell Ilmor +5.566
      14 M.Alboreto Footwork Mugen-Honda +5.737
      15 van de Poele Fondmetal Ford +6.129
      16 J.J.Lehto Dallara Ferrari +6.264
      17 S.Modena Jordan Yamaha +6.344
      18 K.Wendlinger March Ilmor +6.494
      19 P.Martini Dallara Ferrari +6.722
      20 B.Gachot Venturi Lamborghini +6.785
      21 E.Naspetti March Ilmor +7.249
      22 O.Grouillard Tyrrell Ilmor +7.273
      23 G.Morbidelli Minardi Lamborghini +7.581
      24 M.Gugelmin Jordan Yamaha +7.954
      25 A.Suzuki Footwork Mugen-Honda +8.281
      26 U.Katayama Venturi Lamborghini +8.838

      2 segundos entre pole e 2o colocado, quase 9 até o 26o e último qualificado. E ninguém dizia que era errado ou que tinha F1 e F1-B…

      • Douglas Hudson disse:

        Mas a Williams nesse ano tinha um carro de outro mundo.Essa prova foi marcada pela 1ª vitoria de Schumacher na Formula 1

      • Edgar Guediguian disse:

        Fernando,

        Se compararmos o Q1 de hoje com o treino de 1992 (lembrando que em 1992 o treino classificatório abrangia sexta e sábado, tendo cada piloto direito a 12 voltas/dia), notaremos claramente um distanciamento de certa forma equilibrado entre primeiro e segundo, segundo e terceiro e assim sucessivamente em 1992 (apesar de tal distanciamento ser considerável). O que se viu hoje foi claramente a existência de dois grupos de equipes, haja vista doze carros terem andado no mesmo segundo e outros seis dentro da casa de dois segundos. Desses para os seis restantes, justamente os das equipes estreantes, um abismo assustador, o que permite o uso figurativo da expressão F1-B, já que, mantido tal abismo, as estreantes só terão condições de brigar entre si (a Hispania sequer isso, pelo que se viu hoje). Voltando a 1992, note que pilotos da mesma equipe ficaram muito distantes uns dos outros. Por exemplo, Mansell ficou 3s a frente de Patresi (Williams), Alboreto cerca de 2.5s de Suzuki (Footwork) e Gachot mais de 2s de Katayama (Venturi). Enfim, não achei exagero a alusão feita pelo Capelli de uma figurativa F1-B envolvendo as três estreantes.

  14. PG disse:

    A Virgin tem alguma filial no Brasil?
    Alguma loja de CDs, alguma empresa de celular, alguma companhia de aviação?
    Então por que a censura?
    Porra Globo, aporrinhem a Ferrari, a Honda, a Mercedes, a Red Bull… mas deixem a Virgin de mão!

    • KBK disse:

      Ferrari, McLaren, Renault, BMW, Mercedes, Cosworth, Bridgestone…
      Pela ética global, nenhuma destas é uma marca. Não vendem produto algum.

  15. Paula disse:

    Acho que, embora atrás do Massa, o Fernando Alonso pode se dar melhor. Porque né, se for pra ser agressivo na largada, me parece que é melhor estar no terceiro lugar do que no segundo…

    • Pedro disse:

      Paula, acho que “no terceiro ” esta errado, o certo é mesmo “em terceiro”.

      :) No mais eu acho que o Alonso Larga melhor que o Massa em geral. Mas tem o Hamilton do lado dele que tb larga muito bem…

      Acho que Alemaozinho leva esta…

    • Doido disse:

      Acho que vcs não se lembram das largadas antes de ser liberado o reabastecimento…. todo mundo larga com cautela porque não adianta ser agressivo e ficar na primeira curva.Podem ter certeza que depois da meleca que foi o ano passado da ferrari eles não vão forçar na primeira curva.O que me preocupa é a vaca louca do Hamilton que já atropelou o Kimi e tem mania de forçar quando não deve.

  16. wpm disse:

    Alonso levar quase meio segundo de massa também é digno de nota.

  17. André disse:

    Ainda sobre os nomes das equipes, vi agora o site oficial da F1.
    Na parte da classificação, mesmo com todos os nomes completos, vemos RBR-Renault, SRT-Ferrari e HRT-Cosworth:
    http://www.formula1.com/results/team/2010/

    A única atitude ridícula da Globo é não falar Virgin.
    Agora virou VRT, sendo que nem tem nada de “T” no nome da equipe.
    WTF?

    • Lucas disse:

      É André, mas pelo menos eles ouviram o Capelli aqui e pararam com aquela coisa horrível de Manor. Entre os piores (sigla ou mudar o nome), ficou o menos ruim.

      Mas realmente, ridícula essa TVzinha.

  18. Pablo disse:

    Para o Bruno Senna entrar nos 107 /100 falta menos de 1 segundo, marca que a equipe deve melhorar ao longo das primeiras provas.

    E a Lotus e a “VRT” (rídiculo!) já estão dentro

    Portanto essa F1-B que vc fala estaria dentro do regulamento sem problemas.

    Logo não seja exagerado.

  19. Edgar Guediguian disse:

    Capelli,

    Em algum momento dos anos oitenta não foi promovido um sistema de pontuação diferenciado para determinadas equipes, fomentando mais claramente uma espécie de F1-B?

    Abraços!

    Edgar Guediguian

  20. Os indispensáveis pitacos de volta. Apenas gostaria de chamar a atenção para um detalhe. Fora a Hispania, que jamais havia andado, creio que é inexato pensar que as novatas estão tão longe assim das outras equipes.

    É verdade que elas estão longe. Mas não dá pra julgar a diferença pelo tempo absoluto de volta, já que essa volta do Bahrein, é a mais demorada e segunda mais longa da temporada. Não acho que elas estejam fazendo mais feio que Coloni e Rial, por exemplo, fizeram no fim dos anos 80 em relaçã aos líderes.

  21. Joao Furlan disse:

    Capelli, não quero ser chato, mas da onde vc tirou essa conta???
    Aplicando 7% ao melhor tempo, o limite ficaria em 2:02,634.

    Dessa maneira somente os carros da Hispania ficariam de fora!

    • Carlini do Linux disse:

      a quem corria risco de vida há pouco mais de seis meses.
      é risco de morte, ele não estava prestes a gerar uma nova vida… (se bem que a mulher estava gravida…)

      • Nóbrega disse:

        O certo é risco de vida sim, pq está implícito o “perder a” que alguma dessas regras gramaticais permite. A frase “completa” é RISCO DE PERDER A VIDA, por isso não é errado dizer “risco de vida”.

        Essa babaquice de falar “risco de morte” quem inventou foi algum desses jornalistas metidos a “professores pasquales” que queriam aparecer ;)

        Sobre os comentários.. já estava com saudades de comentar aqui hehe

        Parabéns Capelli.

        • PG disse:

          Data venia, o correto seria “risco à vida”.

        • Risco de vida, risco de morte, tanto faz…

          Cazuza dizia em “Ideologia”: “O meu prazer agora é risco de vida…”. Por anos nos acostumamos com essa expressão, pra que mudar?

        • Anderson Rubin disse:

          Data vênia ao PG, risco à vida não é correto, pelo fato da locução não admitir a preposição “a”, que elimina o uso da crase. A expressão “risco de vida” é usada desde Camilo em Portugal e desde Machado no Brasil. Entendida sempre como elipse de “perder a”. Na década de 90, a redação das organizações Globo passou a incorporar nas suas recomendações de estilo a expressão “risco de morte”, por considerar que o povo brasileiro não era capaz de identificar a elipse. De lá, disseminou-se para as redações de outros órgãos de impressa e para os professores de cursinho. Como sou avesso às modernices da Rede Globo, eu uso sempre “risco de vida”.

        • Doido disse:

          Discussões gramaticais à parte o correto de usar é risco de morte, porque dizendo risco de vida indica que a pessoa corre risco de ficar viva quando a situação é o contrário.Não foi a Globo que inseriu esta mudança e sim os Médicos que consideram esta terminologia mais correta.

  22. Pablo disse:

    Será q alonso errou no 2o setor?? ele perdeu os 3 decimos pro massa lá …

  23. Sandro disse:

    Primeiro! Oh! isso acaba de mudar minha vida…:p

    E vamos ao que interessa: a corrida!
    Teremos pane seca?
    Quem vai sair melhor na corrida? O piloto vai ter poupar equipamento (pneu, gasolina, etc.) se quiser terminar a corrida.

  24. Erica disse:

    Ótimo resumo!! Disse tudo!!
    Mesmo com todos estes “distonantes”, a temporada tem tudo pra ser emocionante!!
    Abraço,
    Erica.

  25. Pablo disse:

    faltou dizer q de la rosa larga na frente do japa.. estranho…

    • NETO disse:

      E, no final da temporada de 2009, muitos falaram que o japa era o “cara”, que ia fazer e acontecer em 2010, que ia botar o Rosa no chinelo, mas vamos esperar o decorrer desta temporada. No entanto não acho o japones um grande pilotos como falaram.

  26. BigWings disse:

    Pelos meus cálculos os 107% seria 2’02.634.

  27. Juliano disse:

    Sinceramente, no atual regulamento, só os 4 primeiros no grid é que tem alguma chance real de vencer a corrida. Do 5º ao 7º na melhor das hipóteses pode-se sonhar com um pódio, se os caras da frente quebrarem ou cometerem um erro muito grande. Entre largar em 8º e em 11º talvez seja melhor largar em 11º, pois este tem a vantagem de largar com pneus zerados. A FIA deveria ter, com o fim do reabastecimento, ter retornado a classificação ao esquema antigo de 12 voltas em 1 hora para se definir o grid.

  28. Gustavo disse:

    Alonso e Hamilton não são desafetos.
    O problema de Alonso é com a McLaren.

  29. Capelli disse:

    Demorou, mas saiu. Rapidinhas da classificação de hoje em Sakhir: http://bit.ly/ag7sNI

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>