MENU

16 de fevereiro de 2012 - 13:54Automobilismo, Curiosidades, História

Fórmula 1 e Carnaval

Carnaval pode ser sinônimo de festa e/ou descanso no Brasil, mas não é bem assim na Fórmula 1. Enquanto aqui McGyver, Hugh Hefner, Jennifer Lopez e outros astros internacionais vêm faturar uma grana fazendo parte da bagunça, lá em Barcelona equipes e pilotos estarão trabalhando. Isso quando não estão propriamente competindo. Sim, porque já houve corridas de Fórmula 1 em pleno período carnavalesco. Duas ocasiões, em 1973 e 1992, todas elas na África do Sul.

Em 1973 a corrida caiu no dia 3 de março, um sábado de Carnaval. Por questões religiosas, nessa época não se corria aos domingos nos países sob influência britânica (o GP da Inglaterra, por exemplo, só foi disputado num domingo pela primeira vez em 1976). Foi a terceira prova da temporada e uma corrida importante, com talvez uma das mais incríveis vitórias do lendário Jackie Stewart. Após bater nos treinos e se classificar mal, o escocês largou da 16ª posição com seu Tyrrell e partiu feito um raio, ultrapassando todos que via pela frente. Em apenas seis voltas, assumiu a liderança da prova para não mais perder. Tudo bem que foi beneficiado por quatro pilotos que bateram na largada, mas 15 posições em seis voltas é algo impressionante. Foi a primeira vitória de Stewart na temporada na qual se despedia da Fórmula 1, culminando com o tricampeonato mundial. O GP da África do Sul de 1973 marcou também a estreia da equipe Shadow, que conseguiu colocar George Follmer nos pontos, chegando em sexto lugar.

É Carnaval, é a doce ilusão, vou fazer dobradinha e ser campeão...

A outra prova disputada na África do Sul durante as festas foi no domingo de Carnaval de 1992, na abertura da temporada. Era o retorno do país ao calendário da Fórmula 1 depois de sete anos e marcava a reconstrução do país após o fim do abominável Apartheid. Ao contrário da edição de 19 anos antes, foi uma corrida monótona e arrastada, que marcou a estreia do fantástico Williams-Renault FW14B já colocando uma luneta na concorrência. Foi uma prévia do que seria a temporada: pole position com mais de meio segundo de vantagem sobre a McLaren de Ayrton Senna (0.741s, mais precisamente), Nigel Mansell disparou na frente e venceu de ponta a ponta, chegando mais de 30s à frente do brasileiro, que foi o terceiro colocado. Riccardo Patrese, seu companheiro de equipe, fechou a dobradinha da Williams com o segundo lugar. Assim como Stewart em 1973, Mansell terminaria a temporada campeão e se retiraria da Fórmula 1. Mas, ao contrário do escocês, acabou voltando dois anos depois.

Comentários do Facebook

comentários

8 comentários

  1. Marcelo disse:

    Fera mesmo Capelli, foi o que fez Markus Winkelhock no Grande Prêmio da Europa de 2007:

    “a melhor primeira volta de todos os tempos na Formula 1″

    Ao contrário que muito pensam, esse mérito não é mais do A.Senna(outra coisa, bater Prost e Hill na chuva nunca foi bicho de 7 cabeças, Prost era um fiasco na chuva, Hill em 93 era novato, mesma coisa o Wendlinger que estava a frente do Senna). Quem podia disputar com Senna era o Schumacher, mas nessa corrida seu carro não estava bem desde o começo, mas o novato alemão já tinha batido Senna no molhado duas vezes: GP da ESP e BEL 92, e na Bélgica Schumacher passou Senna por fora na curva e no molhado. Corrida em chuva é loteria, se o carro se adaptar bem, e o piloto for corajoso, dá show. GP da ESP 91/ 92 e BEL 92 Senna mesmo foi um fiasco, rodou nessas 3 corridas.

    Não vamos tirar o mérito do Winkelhock, ele largou em 22º com uma nanica Spyker, se teve piloto errando na frente dele, paciência. O novato alemão com seu altíssimo talento em piso molhado não errou na pista(tá eu sei, ele foi o único piloto a largar com pneus de chuva, mas ele apostou nisso os outros não, mérito dele). Aos 3:13 no vídeo abaixo Winkelhock ultrapassa o líder Raikkonen na segunda volta. Kimi tinha errado ao entrar no boxes e teve que dar uma segunda volta, se não fosse isso, Winkelhock ia pular do 22º para 1º lugar, mas valeu, o alemão fez um feito inédito na F1, era estreiante e de último no grid passou a líder na metade da segunda volta.

    Formula 1 2007 – Europe Grand Prix
    http://www.youtube.com/watch?v=w-I7IMRFJAc

    http://www.statsf1.com/en/2007/europe/tour-par-tour.aspx

    E com ajuda do safet-car ficou como líder até a 7 volta, mas ele conseguiu, e ninguém tira isso dele.

    Vai falar isso para o Galvão, vai minimizar o feito de Winkelhock ao máximo…

  2. Marcelo Luis Gmurczyk disse:

    Não me lembro do ano, mas na década de 80 tivemos corrida no carnaval no Rio, abertura da temporada. E naquela época o Prost e sua McLaren eram os reis do Rio….Estive por lá de 83 à 89, quando em 90 a corrida voltou pra Sampa….

  3. zamborlini disse:

    capelli
    vc só esqueceu de mencionar q stewart passou todo mundo sob bandeira amarela.
    emerson reclamou um monte mas não adiantou nada.
    abraços
    zamborlini

  4. Marcelonso disse:

    Capelli

    Seria alguma maldição? A Tyrrel sucumbiu e a Williams está claudicante…

    Mas que esse carro da Williams era realmente de outro planeta, ah isso era…

    Pena que a boa forma dessa gloriosa equipe faça parte do passado.

    abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>