MENU

18 de março de 2012 - 6:33Análises, Automobilismo

Brilhando no meião

A corrida da Austrália foi bacana principalmente porque muitos pilotos foram bem demais. Além de Button, Vettel e Alonso, pelo menos outros dois nomes merecem destaque: Pastor Maldonado e Sergio Perez.

O venezuelano da Williams fez uma corrida muito acima da expectativa, tanto dele quanto da Williams. Outrora chamado jocosamente de “maldanado”, o venezuelano queimou a língua de muita gente. Fez uma bela qualificação, saiu da oitava posição e ganhou posições já na largada. Na segunda volta, no entanto, cometeu um erro saindo da pista, mas voltou para fazer uma prova incrível.

Em momento algum deixou a zona de pontuação, fez ultrapassagens (uma belíssima sobre a Ferrari de Felipe Massa), atacou a Red Bull de Webber e pressionou Alonso de forma consistente após a entrada do Safety Car. Ainda que não tenha conseguido ultrapassar, tinha tudo para chegar num merecido e histórico sexto lugar, até que bateu na última volta.

Inicialmente, o acidente parecia uma “Maldonadice” que jogou fora pontos importantes para a equipe, mas vendo o replay, tendo a absolver o piloto. Não se percebe nenhum erro dele na câmera onboard, ele faz um traçado normal (ainda que atacando um pouco a zebra) e repentinamente o carro sai de traseira. Ele tenta consertar, perde o controle e vai de cara no muro. Passa a impressão de um pneu furado ou um problema de suspensão. Mas, ainda que tenha cometido um erro, Maldonado mais acertou do que errou na Austrália. O suposto erro pode ter sido capital, mas a imagem que ele deixa é muito positiva.

Sergio Perez, o outro grande destaque, foi punido por ter trocado o câmbio e teve que largar do último lugar. Ainda que beneficiado por um enrosco, ganhou nove posições na largada, o que não é pouco. Ultrapassou, foi rápido e ainda assim conseguiu conservar seus pneus macios por mais de 20 voltas, o que lhe permitiu fazer apenas um pit stop. Antes de sua parada, chegou a aparecer em segundo lugar, impressionante. O carro da Sauber se comprovou eficiente e deve brilhar na temporada.

Pena que, nas últimas voltas, sofreu com o desgaste de pneus – seu jogo de médios precisou durar cerca de 40 voltas – e acabou perdendo posições importantes. Era sétimo na entrada da última volta, mas vinha segurando um pelotão e foi atrapalhado pelo acidente de Maldonado. No “salve-se quem puder”, acabou ultrapassado por Kamui Kobayashi e Kimi Raikkonen, cruzando a linha de chegada em oitavo. Marcou pontos, mas merecia mais.

Aliás, destaque também para a briga de Kobayashi com Raikkonen. Os dois andaram a corrida inteira próximos, trocando posições e toques algumas vezes. Porém, sempre uma briga limpa, ainda que sejam dois pilotos reconhecidamente agressivos. Deu gosto de ver.

Comentários do Facebook

comentários

9 comentários

  1. George McCrae disse:

    O Perez vai fazer boa temporada este ano, ainda mais com os boatos da vinda dele para Ferrari.

  2. Paulo Souza disse:

    Maldonado: se fosse brasileiro estava tomando pescotapa até agora!
    Perez: se fosse brasileiro estariam dizendo que poupa demais os pneus e poderia ser mais agressivo, ganhar mais posições e tal.
    Massa: pode colocar suas fichas na negociação com times intermediários e se contentar com um contrato meia-boca.
    Senna: como é brasileiro, piloto pagante e auto retratado como ‘cauteloso’ pode tomar quantos pescotapas a galera quiser.

  3. Pérez conserva pneus por 30 voltas, larga de último e chega em oitavo – quase sexto -, demonstra combatividade, tem ritmo de corrida, é jovem e rápido;

    Massa não conserva pneus nem por 10 voltas, não tem ritmo de corrida, visto que ganhou várias posições na largada que não conseguiu manter, já passou dos 30 e ainda não parou de fazer lambança, vide o enrosco 100% tupiniquim com Senna.

    Pérez pode ser promovido à piloto do “biarticulado de Maranello” ainda esse ano.

  4. Lucas R disse:

    Aquela disputa no meião, principalmente depois do Safety Car, foi belíssima. Quatro pilotos disputando posições separados por menos de 1 segundo.

    A disputa Kobayashi X Raikkonen foi muito boa também. A corrida toda os dois trocando posições. Cheguei a perder as contas de quantas vezes a TV mostrou o Kobayashi ultrapassando o Raikkonen.

  5. Mat Roland disse:

    Button – Bela pilotagem, impecável diria.
    Vettel – Não está morto, cuidado com o garoto.
    Hamilton – (meu piloto favorito) Não pode se abater, tem que reagir rápido, senão desanda, espero que nas próximas ele seja vencedor.
    Massa – Difícil, ainda mais com esse carrinho, acho que deveria voltar para o antigo trabalho (conforme foi apresentado pela propaganda do Santander, ele dirigindo uma Fiorino? E entregando comida)
    Bruno – Sem comentários.

  6. Herik disse:

    Espero que a Sauber não sofra com falta de desenvolvimento durante a temporada. Foi o que aconteceu ano passado, com seus dois pilotos começando bem e ficando para trás durante o ano.

  7. Mandruvá disse:

    Escreva aí no seu caderninho preto: mas três ou quatro provas consistentes assim, e Perez asssina pré-contrato com a Ferrari para o ano que vem, e antes do meio do ano… ele é o tipo perfeito que Maranello adora: jovem, agressivo e bom piloto. Massa que já não é piloto desde a porrada na Hungria em 2009, vai fica a pé…

  8. Alemão disse:

    A Williams não era um carro tão ruim nem no ano passado, o problema era motor, desde que foi abandonada pela BMW não tinha mais força.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>