MENU

17 de março de 2012 - 4:53Análises, Automobilismo

Rapidinhas da Classificação – Austrália

- Sensacional o primeiro treino de classificação da Fórmula 1 em 2012. Muitas surpresas e um grid embaralhado que mostram que o novo regulamento apertou o botão shuffle da categoria. E a playlist resultante ficou legal às pampas.

- Dobradinha da McLaren no grid: Lewis Hamilton na pole, Jenson Button em segundo. Muito bacana ver um carro bonito andando na frente, mandando uma banana para os ornitorrincos feiosos que dominam o grid (em quantidade).

- A McLaren entendeu que seu maior problema em 2011 foi a pouca velocidade em qualificações. Suas posições de largada minaram suas chances de rivalizar com a Red Bull no campeonato e a equipe decidiu trabalhar em cima desse problema no carro de 2012. Pelo jeito, atingiram o objetivo.

- Lewis Hamilton fez uma voltaça logo no começo do Q3 e deixou o resto dos pilotos tentando batê-lo, em vão. O inglês se deu ao luxo de abortar sua última volta rápida quando viu que não mais seria superado. Button ficou perto dele, a um décimo e meio.

- A vantagem da McLaren não parece, no entanto, ser grande. Lotus (com Grosjean), Mercedes e a própria Red Bull estão perto. Nenhum carro dominou o grid da forma como fez a equipe dos energéticos no ano passado, o que é uma ótima notícia. Campeonato mais disputado à vista.

- No entanto, treino é treino e corrida é corrida. Um belo desempenho em voltas rápidas com pneus macios não significa necessariamente facilidade durante a prova. É preciso também fazer boas voltas de forma constante com tanque cheio e pneus mais duros para poder vencer. Não me arrisco a colocar a McLaren como favorita. Se alguém tiver um ritmo de corrida mais consistente, leva.

- No Q1, belo desempenho da Sauber, que fez o melhor tempo com Kamui Kobayashi. Mas algum problema atrapalhou a equipe no Q2. Sergio Perez nem foi para a pista e Koba fez apenas uma tentativa, com um tempo de volta pior do que o que havia feito no Q1. Chegaria no Q3 com folga se tivesse repetido o mesmo tempo da primeira parte do treino. O time ficou com o 13º e o 17º lugares.

- Jean-Eric Vergne foi outra boa surpresa do Q2, ficando na segunda posição. Porém, pouco melhorou no Q2 e terminou em 11º. Ainda assim, uma bela posição de largada para a corrida de estreia. Daniel Ricciardo, seu companheiro na Toro Rosso, foi ao Q3 e larga em 10º.

- E a Ferrari. Ah, a Ferrari… o F2012 é uma bomba que logo logo vai explodir em alguém. Cabeças devem rolar rapidinho, porque o desempenho da equipe foi vergonhoso na classificação. Fernando Alonso e Felipe Massa passaram pelo Q1 raspando, tendo que queimar um jogo de pneus macios para ter alguma chance de ser ao menos 17º. Conseguiram, mas fizeram fiasco no Q2. Tentando andar mais que o carro, o espanhol rodou e foi parar na brita. Vai sair em 12º. Massa não achou uma volta decente e vai largar na 16ª posição.

- O 12º lugar de Alonso como melhor Ferrari do grid é a pior posição de largada da equipe numa primeira corrida do ano em toda a história da Fórmula 1. Mas isso é assunto pra outro post.

- A Williams, quem diria, se mostrou mais consistente que a Ferrari. Bruno Senna fez um bom Q1, mas ficou pelo caminho no Q2. Pastor Maldonado deu um show levando o carro ao Q3 e vai largar em oitavo. Falam mal do venezuelano, mas é a quarta vez que ele chega com a Williams ao Q3 em 20 corridas. Nenhum de seus companheiros de equipe (Barrichello ou Senna) conseguiu isso neste mesmo período.

- A Lotus teve um treino bipolar. Kimi Raikkonen foi o desafortunado a cair no Q1 junto com as favas contadas Caterham, Marussia e HRT. Tinha tudo para passar ao Q2 (e deixaria Massa em situação ainda mais complicada), mas errou na última volta, saiu da pista e ficou apenas com o 18º tempo. Já Romain Grosjean foi um dos destaques do dia. Consistentemente rápido em todas as fases da classificação, emplacou um terceiro lugar no grid. Mostrou ser mais do que um cabelo extravagante e começa a se redimir da péssima imagem que deixou em sua primeira passagem pela F1 em 2009.

- A Mercedes foi competitiva, dominou o Q2, mas algo deu errado na fase decisiva do treino. Michael Schumacher ficou em quarto, mas ainda assim é sua melhor posição de largada desde seu retorno à F1, em 2010. Nico Rosberg é que decepcionou, ficando apenas na sétima posição.

- Falando em decepções: Red Bull. Definitivamente, não é mais o carro arrasador em classificações que se viu em 2011. Tanto que é a primeira vez que não há um carro rubrotaurino na primeira fila do grid desde o GP da Itália de 2010, quebrando uma série de 24 corridas saindo na frente.

- Nota-se que o carro não é estável. Na ânsia de andar rápido, Sebastian Vettel cometeu erros e ficou apenas com o sexto lugar. Mark Webber, o canguru local, bateu o bicampeão mundial e sai em quinto. Ainda assim, não descarto a Red Bull da prova de amanhã. Em ritmo de corrida as coisas podem ser diferentes.

- HRT, Hedionda e Ridícula Tartaruga, não vai correr. De la Rosa e Karthikeyan fizeram apenas duas voltas rápidas cada (rápidas é força de expressão) e não atingiram o limite de 107% do tempo da melhor volta do Q1 para ter direito a largar. Que bom, não merecem mesmo correr.

- Amanhã, o GP da Austrália será cheio de variáveis, numa pista legal. Vai ser um corridão.

Comentários do Facebook

comentários

9 comentários

  1. Olho no Schumacher. Demorou, mas pegou a mão, a mesma que o Raikkonen tá procurando.

    Rosberg tá com a barba de molho.

    Hulkenberg, o nome do treino. A pole em 2010 não foi acaso. Maldonado, também merece destaque. Por coincidência, os dois últimos parceiros de Rubens Barrichello, que está chorando as pitangas atá agora. E quase foi pra Lotus…#barrichellochora.

    Só pra dar um panorama da situação de Felipe Massa na Ferrari, declaraçãozinha de Pat Fry, diretor técnico da equipe:

    “É verdade que, com FERNANDO, poderíamos ter chegado ao Q3 com relativa FACILIDADE, dado que ele fez sua ÚNICA volta no Q2 com macios USADOS, mas não acho que conseguiríamos NOS classificar mais acima da quarta fila”.

    É, a Ferrari não conta com Felipe pra mais nada.

    • Diego disse:

      A verdade é que Felipe é o bode expiatório da Ferrari. Desde que Alonso chegou e dominou a equipe (mesmo porque é quem leva o patrocinador principal para o time, ou vocês acham que o Santander estava lá antes dele? E vale lembrar que eles começaram a patrocinar a McLaren justamente quando ele foi pra lá). A equipe não faz porra nenhuma, e pra beliscar alguma coisa, apostam somente no piloto que tem dois títulos e leva dinheiro e aproveitando que Massa veio de um momento difícil acham mais conveniente mantê-lo por baixo fazendo todo mundo pensar que não tem mais combatividade. Até na HRT ele conseguirá ser mais competitivo que na Ferrari, mesmo porque lá tem um piloto realmente ruim (o Karthikeyan, nem é preciso dizer.)

  2. Dr. Walter Bishop disse:

    A coisa tá feia pra HRT…Karthikeyan é bem experiente e ficou a quase 2 S do novato Charles Pic, enquanto De La Rosa ficou um pentelhonésimo mais rápido que seu companheiro.
    Alonso e Massa podiam ter feito bem mais… Maldonado deu um couro no Senna, mesmo considerando que o venezuelano tem mais tempo de casa… O outrora fraco Kovalainen tirando leite de pedra da Caterham… Ricciardo será em breve o sucessor de Webber, que por sua vez mandou bem hoje…… Vou deixar gravando… ; )

  3. André Luiz disse:

    Gostei do “Hedionda e Ridícula Tartaruga”… heeheheh! Mas a situação da Ferrari (ou melhor, Ferrada, pois Massa e Alonso estão ferrados com esse carro) é algo a se pensar.

    Abraço!

  4. Diego Ximenes disse:

    Capelli, como todo tifosi sou apaixonado pela Ferrari (em toda categoria que corra) mas não sou pacheco nem cego. Entendo até a (falta de) qualidade do Domenicalli, os anos sem a Ferrari fazer um carro decente logo de cara aumentam e um piloto como o Massa lá até hoje – só leva a crer que o duo Nicolas Todt – Jean Todt tem grande influência ainda. O que vc acha? Estou sendo radical demais?

  5. Mauricio disse:

    Tá bom, essa Ferrari é uma bomba, mas não dá pra tomar 1 segundo do Alonso, pilotando a mesma bomba.

  6. João de Portugal disse:

    Esta sessão de qualificação, com 2 anos de atraso, faz jus a uma pessoa… Michael Schumacher. Não pelo seu quarto lugar na classificação, mas pelo 18º de Kimi Raikkonen quando o seu colega faz 3º. Se isto tivesse acontecido com o Schumacher em 2010, quando regressou, teria sido trucidado.

    Pois é!

    Saudações desportivas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>