MENU

5 de março de 2012 - 13:33Análises, Automobilismo, Novos carros

Virgem nunca mais

Saiu do forno hoje – ainda que um tanto atrasado – o MR01 da Marussia, o primeiro carro russo de Fórmula 1. Embora o nome Marussia já aparecesse no carro da Virgin no ano passado, este é de fato o primeiro modelo totalmente fabricado pela montadora russa.

Agora, as coisas estão em seu lugar. É um time pequeno, ainda sem grandes ambições, mas ao menos administrado por quem domina a arte de fabricar carros. A Virgin, comprada pelos russos, não passava de um capricho do attention whore Richard Branson, que quis reinventar a Fórmula 1 desenhando carros sem túnel de vento, utilizando apenas computadores. Deu no que deu. Agora ele que vá tentar aparecer virando apresentador, gravando um disco ou pagando para ser homenageado em escola de samba, como faz aquele brasileiro menos rico e menos brilhante, mas tão vaidoso quanto.

Sem conseguir testar o carro e sem uma base sólida, a Marussia deve ficar brigando com a HRT para não ser a lanterninha do campeonato. Pelo menos agora há uma parceria técnica com a McLaren, que pode ter sido a razão do carro ter um desenho bonito, sem o infame degrau ornitorríntico. O motor é o Cosworth, de longe o mais fraco da F1 atual, igual ao da HRT.

Os pilotos são Timo Glock, que já passou do prazo de validade, e Charles Pic, inexperiente e que tem cabelo de miojo. Ambos, a princípio, impróprios para consumo.

Comentários do Facebook

comentários

22 comentários

  1. John Michael disse:

    “A Virgin, comprada pelos russos, não passava de um capricho do attention whore Richard Branson, que quis reinventar a Fórmula 1 desenhando carros sem túnel de vento, utilizando apenas computadores. Deu no que deu. Agora ele que vá tentar aparecer virando apresentador, gravando um disco ou pagando para ser homenageado em escola de samba, como faz aquele brasileiro menos rico e menos brilhante, ”

    hahahaha coitado do Roberto Justus, bem q ele poderia tentar montar uma equipe de f1, pena q não tem o dinheiro do eike batista.

  2. Daniel Ramos disse:

    Olha a Marrusia ai,e sem bico,graças a deus.Mas se eles conseguiram uma parceria “técnica” com a Mclaren,tão começando a começar a dar os passos certos,como fez a Caterham com a Renault.Mudou de nome?Ok,mas agora precisa meter um motor Mercedes ai atrás pra andar de verdade né?

    Se eles conseguirem mudar o motor,e acabar essa temporada,boto fé que ela fica um bom tempo na F1.Já a HRT,acho que já deveriam começar a preparar a Cova e o Caixão,pois acho que sai antes do fim da temporada,uma saída meio fresca como foi a da Arrows.

  3. Rob disse:

    Cappelli, já tem um tempo que seus comentarios sobre a Formula 1 não passam de bobagens.

    Tenta ser um pouco mais sério e informativo como antes.
    ninguem quer saber se piloto tem cabelo de miojo ou se branson é attention whore.

    Timo glock ja passou do prazo de validade? ah é?
    tcs

  4. Maxwell B. Medeiros disse:

    Nunca fizeram um carro decente, mas a pintura continua entre as mais belas do grid.

  5. Mario Sérgio disse:

    Agora com a HRT fazendo o shakedown:
    http://www.autosport.com/news/report.php/id/97856

    Terminam as equipes a lançarem seus carros pra 2012.

    Que venha Melbourne

  6. Aderson disse:

    Disseram que esse carro é desenhado pelo Pat “Maracutaia” Symonds.
    Se for mesmo, o carro deve estar cheio de trambiques pra ganhar vantagem.

  7. Diego disse:

    Sobre o Richard Branson eu conheço pouco, mas até onde sei é um grande empreendedor e conhecido pelo estilo irreverente de suas empresas, começando pelo nome, é claro. Mas o fato é que aquela palhaçada de não usar túnel de vento não foi ideia dele, e sim daquele Nick Wirth e dos outros sócios da equipe. Branson a princípio iria apenas patrocinar a equipe, que se chamaria Manor, mas assumiu a equipe quando viu que ela caminhava no mesmo rumo da Campos (hoje HRT) e da USF1. O cara tem trocentas empresas bem-sucedidas, mas não tem muito com automobilismo, por isso confiou a tarefa de condução da equipe aos funcionários, nada mais justo do que vender pra quem esteja mais interessado no esporte. E quanto a ele aparecer, ele não precisa, ele é muito respeitado na Inglaterra (tem até título de Sir, assim como o Frank Williams), e sobre gravar discos, ele não grava porque não quer, pois uma de suas empresas é uma gravadora.

    • Capelli disse:

      Se não precisasse aparecer, ele não se colocaria como garoto-propaganda de seus próprios produtos, vide o lançamento da Virgin Cola, o lançamento da própria equipe Virgin na F1 e a entrada como patrocinadora da Brawn GP em 2009 (ele apareceu mais na Austrália que o Ross Brawn!). Não o conheço, lógico, mas nota-se ali uma necessidade quase patológica de aparecer.

    • diogo c. disse:

      Fato é que entrou na F1 e pulou fora tão rápido que o máximo que ganhará é um pé-de-página na história da categoria. Se ele tratasse as empresas como tratou a F1, certamente ele não era gazilionário e nem “Sir”.

  8. Diego Trindade disse:

    De lado assim ta parecendo uma cobra coral! kkkkkk

  9. se você tampar o carro na foto deixando só o bico à vista, parece um F-Indy (do modelo do ano passado)

  10. Gabriel Lima disse:

    É. Não vai feder nem cheirar… Essa equipe se esforça p ser pior que a HRT, incrível. Tenho uma dúvida: O primeiro carro russo da F1 não seria o Midland M16 de 2006?

    Abs!

    • Capelli disse:

      É uma questão controversa… porque o dono era canadense. A equipe não tinha nada de russa, só o registro da empresa era feito lá por questões talvez escusas. Bizarro.

  11. Danilo disse:

    O Pic entrou, logo a Marussia não é mais Virgin. #badumtss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>