MENU

23 de maio de 2012 - 9:27Análises, Automobilismo, Colunas

Coluna de ontem – Valeu a pena, Schumi?

Michael Schumacher voltou aos holofotes na última semana. Não que tenha vencido novamente ou conquistado algum grande resultado, bem pelo contrário. Punido por bater em Bruno Senna na Espanha, vai largar cinco posições atrás da classificação que conquistar no grid em Mônaco. E, além disso, o diretor da Mercedes Nick Fry andou dando dicas de que o heptacampeão deve se aposentar ao final da temporada. E aí surge a questão: valeu a pena o seu retorno às pistas?

No que diz respeito à realização ou satisfação pessoal, não cabe a nós avaliar. Se voltou a correr porque gosta, se está feliz com o que faz, se está mais divertido viajar o mundo correndo atrás de nada do que ficar em casa de pijamas, ótimo para ele. Mas, do ponto de vista esportivo, de forma fria e objetiva, sua volta à F1 não agregou nada a ninguém.

Continue lendo no site Grande Prêmio.

Comentários do Facebook

comentários

15 comentários

  1. Mcarvalhocs disse:

    O alemão botou a garotada no bolso….melhor tempo em Mônaco. legal né?

  2. Gerhard Berger disse:

    Schumacher é um super-campeão, está podre de rico, mega-milionário e faz o que quiser com seu “tempo livre”…inclusive, correr de formula 1 só pra sedivertir, ganhando ou perdendo…

    Ainda assim, morro de pena ao vê-lo nas pistas. Acho que prejudicou DEMAIS sua carreira e sua história.

    Se fosse eu, querendo correr na aposentadoria, iria pra NASCAR, pra DTM, Le Mans series….qualquer outro lugar, só pra me divertir.

    Tenho certeza que ele imaginou que iria chegar a centésima vitória e consuitar mais um título…foi um desperdício!

  3. Fernando Piccione disse:

    Capelli, te respeito muiito mas , vc esta comecando a ter a sindrome de jornalista do Grande Premio, escrevendo textos sem base jornalistica, levantando temas sem argumentos e sendo superficial, nao seria melhor vc analsar algo despois que o campeonato acabe e o Schumacher se aposente ?
    VC tem algum insider na Mercedes ?
    Jah chegou a perguntar ao Ross Brawn algo sobre, ao Norbert Haug , vc tem frequentado os GPs ?
    Vc nao tem visto a Mercedes melhorar desde a chegada do Schumacher ?
    Vc nao tem visto o Schumacher melhor que o Rosberg em classificacoes esse ano ?
    Torco para o alemao ter uma boa temporada por que ele sim junto com o Alonso sao otimos.
    Bom, vamos dar tempo ao tempo , Abraco

    • Mauricio disse:

      Cara, isso é uma coluna, opinativa, não uma reportagem. E isso é um blog, não um jornal.

    • Lucas disse:

      Fernando, faço a você as mesmas perguntas que você fez. Você tem visto a Mercedes melhorar desde a chegada do Schumacher? Lembre que a equipe ganhou os dois campeonatos no ano anterior. No primeiro ano de Schumacher, só conseguiram três pódios (com Rosberg). No segundo, nem sequer isso. Conseguiram uma vitória esse ano, mas não porque o carro está melhor, mas pelo fato de que Ross Braw,n mais uma vez (a última tinha sido na época do difusor duplo) conseguiu bolar uma interpretação, digamos, “criativa” das regras pra obter uma vantagem – só que como o negócio depende da abertura do DRS para funcionar, só vale a pena em circuitos com longas retas e ainda assim só nos treinos (ao contrário do difusor duplo que dava vantagem em qualquer tipo de pista, e não só nos treinos). No resto dos circuitos, a Mercedes não está nada de mais. E se por um lado deram sorte da Ferrari começar o campeonato com um carro péssimo, aparentemente eles fizeram um trabalho de recuperação excelente e indicam já estar acima da Mercedes novamente. Junte a isso o fato de que a Lotus também está ótima esse ano e, francamente, não dá pra dizer que a Mercedes com Schumacher foi uma “evolução” – tem muito time aí que fez um trabalho muito melhor (eu citaria também a Williams – não duvido que role mais um bom resultado deles agora em Mônaco). Respondendo a sua pergunta “já chegou a perguntar ao Ross Brawn algo sobre”, basta ver a última declaração dele, afirmando que o Schumacher está abaixo do que deveria render (dá uma procurada no google por ‘Schumi hasn’t done good enough job’ ). E, finalmente, quanto ao Schumacher estar melhor que o Rosberg em classificações esse ano, isso só aconteceu nas duas primeiras corridas. Nas últimas três, foi o Rosberg que bateu o Schumacher.

  4. Jefferson disse:

    analíse equivocada. Você capelli soh olha os resultados no final da corrida e não se importa com aquilo que aconteceu, de fato, no decorrer. Nesse ano principalmente, Schumacher sempre esta entre os 10 primeiros e esta tendo muito azar com os erros da equipe (lembra da porca) ou quebra (Australia) e fazendo ótimas corridas de recuperação. Diferente do Massa, que esta sempre entre os últimos. Vc acha que a Mercedes tem aquele monte de patrocínio por causa da simpatia do Rosberg ?? Parece o Reginaldo Leme, querendo cavar uma vaguinha pro Massa na Mercedes. Maniaco depressivo total

  5. Mauricio disse:

    Respeito com a profissão dos outros é bom.

    Se ele ta correndo por que gosta, ninguém tem o direito de questionar.

    Um talento como o dele só soma na equipa. E isso já basta.

  6. Flávio Mendonça disse:

    Análise pertinente!

  7. hendrix disse:

    bem vamos ao meu ponto de vista
    1° vejo o shummy após o retorno muito + leve, ele sempre dá um sorrisinho pra camera mesmo depois da patoladas, coisa q não se via antes. dai tiro q ele voltou por tesão, quando ele testou pela ferrari apos o acidente do massa dava pra ver os olhos dele brilhando, além do q ele tinha uma dívida moral com a mercedes, empresa a qual patrocinou-o a vida toda e colocou-o na F1

    2° dizem as más linguas q na crise de 2008 shummy perdeu 100 milhoes de euros dos seus 500 milhoes adquirinos na época da f1, e q ele teria voltado por dim-dim, mesmo q não tivesse nenhum resultado expressivo (como foi de fato) ele recuperaria seu cascalho só com a grana de mídia, de propaganda.

    acredito nessas 2 possibilidades juntas

  8. Daniel Faria Batista disse:

    Roberg é um excelente piloto, e não saíu vencendo com o carro da mercedes, então como é que o Schumacher poderia completar 100 vitórias com um carro desses, meio sem lógica comentar isso. Sobre ele não fazer falta ou acrescentar nada a ninguém, isso é muito do lado pessoal da coisa. Realmente ele não mudou a vida de ninguém, e nem podia, ele iria mudar o que na formula 1? Quem pode dizer se ele mudou alguma coisa pra alguém, é a proxima equipe onde ele trabalha, ou os fãs dele que assistem as corridas por causa do multi-campeão que foi. Olha o tanto de ferraristas que vibram quando ele corre em monza. Isso não se ve todo dia, o Ricardo Patrese que diga. Então só isso é motivo de vitória em sua volta a formula 1. Realmente muito Galvão bueno seu comentário Capelli, com todo respeito.

  9. Daniel Faria Batista disse:

    Acho que um campeão, sempre é bom que esteja em qualquer esporte junto com os mais jovem. Acho sim que ele acrescentou a questão dos pneus nas suas reclamações, tanto é que depois disso que foi se comentar sobre o assunto.

  10. julio sc disse:

    pior que o pagamento da dívida com a Mercedes só de prejuízos a ela….. Michael não agregou nada a equipe. A não ser é claro, lá no início quando todos os holofotes se voltaram a ele onde foi criada toda uma expectativa. Mas como disse o Capelli, não passou da 2ª corrida….
    o caminho mais racional é a Mercedes dar oportunidade para outro piloto…. tem muita opção boa no mercado…. isso sem falar na SUPER economia que a Mercedes terá. Vai pagar um salário BEEEEMMMMM menor e certamente o cara não vai bater tanto o carro….

  11. Matevs disse:

    Pois é… Esperava mais do Schumacher. Não digo brigar por títulos, 40 e poucos anos é difícil. Alguns pódios, passar o número de cem vitórias nesses três anos prateados, coisas do tipo. O prazo de validade é 35 ou 36 anos; foi essa principal razão para se aposentar na Ferrari. Schumacher estava em forma em 2006, brigou com o título até a última prova, fez a melhor temporada que um vice-campeão fez na F1; não obstante, Schumacher parecia sentir grande dificuldade em se manter a frente de Massa, então um ótimo jovem piloto, mas nada de sensacional. E caso eventualmente Schumi dividisse a Ferrari com Raikkonen, ele sabia muito bem que não teria como ficar a frente de Kimi… Fora isso, não teria porquê sair da Ferrari, ainda mais que a Ferrari fez ótima pré-temporada em 2007 e dava sinais de que viria com tudo já em 2006. A idade levou Schumacher a se aposentar em 2006. Não sei porque quis voltar três anos depois…
    No entanto, Raikkonen se revelou na Ferrari abaixo das expectativas geradas, embora tenha conseguido um título sensacional em seu ano de estreia. Massa correu bem, mas não era um Hamilton ou Alonso. E um ano depois, nos testes de pré-temporada, Schumacher testou a Ferrari e foi o mais rápido. Talvez tudo isso, tenha feito Michael pensar melhor no porquê da sua aposentadoria. Talvez a idade não fosse um fator tão importante, haja vista a consistente temporada de Barrichello em 2009. Mesmo três anos parado, Schumacher era o maior recordista da F1 e unanimemente reconhecido como um dois três melhores pilotos da história do automobilismo europeu, o melhor piloto de seu tempo. Mesmo assim, ele fez testes para substituir Massa, e não foi muito bem. Ele sabia que além da idade, a F1 mudou muito nesses três anos, tanto que não quis assinar com a Ferrari. E os testes que poderiam contornar essas dificuldades estavam proibidos. Algo que fez de Michael o melhor de seu tempo nos anos de Benetton e de Ferrari foi a forma como consegui aproveitar o reabastecimento — que ficou proibido a partir de 2010.
    Então, pra que voltar? Não sei. Acho que só duas respostas dão conta da questão: Schumacher queria sair da aposentadoria e se divertir, e/ou a sua dívida de gratidão com a Mercedes.
    Michael ajudou a Mercedes em algumas coisas, com patrocínio e no desenvolvimento do carro. Mas nada de sensacional. Sou fã do Schumacher, o considero um dos maiores mitos do automobilismo e do esporte em geral. Houve pilotos muito bons ou tão bons quanto Schumacher, talvez até melhores em certos aspectos. No entanto, ele foi o único que foi, por assim dizer, maior que a própria F1. Comparável a Schumacher só Fangio. Esses dois foram maiores que a F1. A F1 se tornou “chata” por conta dele. Não é coincidência o fato de que entre o primeiro título de Schumi em 1994 e a seu último título em 2004, a F1 foi uma “chatice”. Não foi por falta de adversários. Schumacher simplesmente ofuscou pilotos que em outras circunstâncias teriam feito história na F1. Por duas ou três gerações só Hill, Villeneuve e, sobretudo Hakkinen — e em tempos mais recentes Raikkonen e Alonso — furaram o domínio de Schumacher na F1 por mais de uma década. Mesmo quando seu domínio foi furado, Schumacher teve uma capacidade única de recuperação. Os pilotos acima citados e outros, como Alesi, Frentzen, Coutlard, Barrichello, Irvine, Ralph Schumacher, Montoya, Button (antes da Brown) são alguns dos pilotos que teriam tido uma carreira completamente diferente se não tivessem sido concorrentes de Schumacher. Mesmo com esse histórico, não sei se Schumacher faz bem para a Mercedes. Rosberg é um piloto fraco, na melhor das hipóteses, mediano, medíocre. Schumacher tem dificuldade em andar no ritmo dele. Ele vinha em evolução desde o ano passado e teve um começo melhor de temporada, mas os erros da Mercedes e a vitória de Rosberg, talvez tenham colocado uma pressão em Schumacher desnecessária. Acho que ele está sentindo isso. Rosberg, p.ex., é um ótimo piloto para ser segundo, escudeiro. Mas escudeiro de quem? Fala-se por aí de Hamilton ou Vettel. Acho que é esse o melhor caminho para a Mercedes.
    De qualquer modo, achei muito legal a atitude do Schumacher de voltar a correr. Essas temporadas ruins na Mercedes não apagam o seu histórico vencedor na Benetton e na Ferrari. Lembra-me muito o retorno de Michael Jordan às quadras. Schumacher e Mercedes combinam… Pena que essa aliança só se deu quando o camarada tinha mais de 40 anos… É verdade que nos anos 1950 havia pilotos que venciam corridas com 50 anos de idade, mas isso não existe hoje.
    Parabéns pela coluna, assino embaixo.

    • Lucas disse:

      “Schumacher parecia sentir grande dificuldade em se manter a frente de Massa”. Você tá falando sério? Das catorze corridas que os dois terminaram, só em três delas o Schumacher terminou atrás do Massa, e ainda por cima uma foi aquela em que ele teve perdeu um tempão nos boxes (Turquia) e outra aquela que ele furou o pneu e teve que remar lá de trás (Brasil). Dos pilotos que foram companheiros do Schumacher por temporadas inteiras (aquele show de horrores de 1994 não conta), Massa provavelmente só não é pior que o Irvine. Brundle e Barrichello foram capazes de bater Schumacher de forma convincente em algumas corridas, já Irvine e Massa realmente não chegavam aos pés dele.

      Quanto aos pilotos que “furaram o domínio de Schumacher”, faltou comentar algo importantíssimo: eles tiveram pouquíssimas temporadas com carros competitivos, algo que Schumacher teve em praticamente todos os anos de sua carreira. Hill teve aquela Williams espetacular em 96 e foi despedido, indo fazer figuração na Arrows e Jordan (mas até conseguindo um ou outro resultado bacana). Villeneuve depois do campeonato de 97 ainda ficou um ano numa Williams já fraquíssima em 98 pra depois ir pro meio do grid na BAR. Hakkinen então, coitado, começou numa Lotus decadente, passou anos numa das piores fases da McLaren, e quando eles finalmente acertaram a mão, a alegria durou pouco, já que rapidamente a McLaren já não era páreo para a Ferrari. Räikkönen a mesma coisa: entrou na Mclaren quando ela já estava não só atrás da Ferrari mas também da Williams (e quase foi campeão com o terceiro melhor carro de 2003), e depois até de Renault e BAR. Quando Newey acertou a mão em 2005, bateu Schumacher e teria sido campeão não fosse a fragilidade daquele carro.

      Também não faz o menor sentido dizer que Alesi, Frentzen e etc. “teriam tido uma carreira completamente diferente se não tivessem sido concorrentes de Schumacher”. O que matou a carreira do Alesi não foi Schumacher, foi a péssima decisão que ele fez em 1990, trocando a Williams (que seria o carro a bater nos três anos seguintes) pela Ferrari, e o pior, ser dispensado dela justamente quando a equipe estava em ascensão (teria dado trabalho pro Schumacher). E Eddie Irvine, então? Esse nem sequer conseguia bater o Barrichello na Jordan, como acusar Schumacher pelo fato dele não ter tido uma carreira “completamente diferente”? É um piloto de ruim para medíocre, e se quase foi campeão em 1999 foi apenas por conta do incrível carro que a Ferrari construiu naquele ano (até o Mika Salo conseguia ganhar naquele carro, mas teve que ceder a vitória ao Irvine). Se seu companheiro não fosse Schumacher, teria sido outro que muito provavelmente também conseguiria batê-lo facilmente, já que uma equipe como a Ferrari jamais escolheria em sã consciência um piloto do nível de Irvine pra ser o primeiro piloto. Dessa lista aí, o único que realmente poderia ter tido uma carreira melhor não fosse Schumacher é o Barrichello, que certamente tinha cacife para vencer um título naquela época caso, por algum motivo, fosse promovido a primeiro piloto – coisa que Eddie Irvine e Felipe Massa não conseguiram fazer quando a oportunidade apareceu. De resto, a culpa pelo que aconteceu a esses pilotos não tem nada a ver com Schumacher, mas sim com a falta de carros competitivos. Alguém acha que Schumacher teria vida fácil se, digamos, o companheiro dele na década de 90 tivesse sido o Hakkinen e nos 2000 fosse o Alonso?

  12. George disse:

    No seu retorno a unica coisa que vai ficar é a falta do belo capacete.Os outros pilotos não consegue a certar na pintura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>