MENU

30 de outubro de 2007 - 7:45Curiosidades, História

O último dos não-fumantes


O ouvinte Rodrigo César Dias enviou um ótimo desafio para a Rádio GP desta semana (que, por sinal, já está no ar). Ele perguntava qual tabu, que dura desde os anos 80, esteve muito próximo de ser quebrado nesta temporada, caso Fernando Alonso ou Lewis Hamilton tivessem sido campeões.

Como sempre, lasquei uma resposta errada. Imaginei que tivesse sido o primeiro campeão num ano de estréia na equipe e citei o último como Ayrton Senna, em 1988. Não era esta a resposta e errei duplamente, pois o último foi Alain Prost, que estreava na Williams e foi campeão em 1993.

A resposta certa, segundo o Rodrigo, era o primeiro campeão com um carro sem patrocínio de cigarros desde Nelson Piquet, em 1987. Ele acertou o piloto, mas errou o ano e o carro. Como se pode ver acima, a Williams daquele ano continha o patrocínio dos cigarros Barclay. Pequeno, discreto, abaixo do número 6. Mas era um cigarro.

O último campeão sem patrocínio tabagista da F1 foi mesmo Piquet, mas em 1983, com a Brabham. Aquele carro (imagem abaixo) chegou a ter duas pinturas na temporada, mas nenhuma delas continha um cigarro anunciado.


Confira abaixo a lista de “cigarros campeões”, desde 1984.

1984 – Marlboro (Lauda, McLaren)
1985 – Marlboro (Prost, McLaren)
1986 – Marlboro (Prost, McLaren)
1987 – Barclay (Piquet, Williams)
1988 – Marlboro (Senna, McLaren)
1989 – Marlboro (Prost, McLaren)
1990 – Marlboro (Senna, McLaren)
1991 – Marlboro (Senna, McLaren)
1992 – Camel (Mansell, Williams)
1993 – Camel (Prost, Williams)
1994 – Mild Seven (Schumacher, Benetton)
1995 – Mild Seven (Schumacher, Benetton)
1996 – Rothmans (D. Hill, Williams)
1997 – Rothmans (J. Villeneuve, Williams)
1998 – West (Hakkinen, McLaren)
1999 – West (Hakkinen, McLaren)
2000 – Marlboro (Schumacher, Ferrari)
2001 – Marlboro (Schumacher, Ferrari)
2002 – Marlboro (Schumacher, Ferrari)
2003 – Marlboro (Schumacher, Ferrari)
2004 – Marlboro (Schumacher, Ferrari)
2005 – Mild Seven (Alonso, Renault)
2006 – Mild Seven (Alonso, Renault)
2007 – Marlboro (Raikkonen, Ferrari)

Edit: Muita gente me escreveu alertando que Barclay não seria um cigarro, mas sim um banco. Não é. O banco é “Barclays”, com “s” no fim. Abaixo, maços de Barclay, para não deixar dúvidas.

               

Comentários do Facebook

comentários

33 comentários

  1. Biquiba disse:

    A questão é ÉTICA(coisa difícil na F1), e não monetária. A proibição deste tipo de propaganda foi pior para os cabeças da F1, melhor para os cidadãos protegidos contra estes apelo.
    No Brasil a coisa está confusa, principalmente analisando o aspecto da direção de veículos, pois se vê tanta propaganda de bebidas alcólicas, e nenhuma de cigarro, apesar do álcool ser o vilão dos acidentes de trânsito.
    Mas aqui, pela lei é “proibido uma pessoa ser obrigada a produzir provas contra si”! Além de termos equipamentos que não imprimem o resultado!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Por favor, corrijam qualquer erro neste comentário. E Capelli, ponha mais lenha neste tópico!
    Fiquem com DEUS!

  2. Fabio disse:

    Me deu uma vontade fumar.

  3. Mark Kweirotz disse:

    Nao eh por nada nao. O Patrick Head devia fumar na epoca e deu aquele espaco no carro em troca de uns pacotes de cigarro.
    So isso justifica um patrocinio tao escondido!

  4. Tatú disse:

    Fábio Mandrake. Se não me engano Skoal Bandit é uma espécie de goma de mascar que substitui o cigarro tradicional, tendo elementos como alcatrão e nicotina em sua composição. Acho que era ( ou ainda é ) utilizada por quem tá parando de fumar ou para quem não tá afim de mandar fumacê para os pulmões. Grande abraço.

  5. Fábio Mandrake disse:

    A brabham somente com equipes particulares foi patrocinada por cigarros, a equipe sul africana Gunston foi uma que uso o cigarro Gunston e Lucky Strike em seus carros.
    Alias esse negocio rendeu já que foram tantas marcas de tabacco na f1
    Gold Leaf, JPS, Barclay, Camel, Marlboro, Hollywood, Cabin, Mild Seven, Lucky Strike, 555, Skoal Bandit, Tabatip, Gitanes, West, Rizla(que é papel pra fumo, além de fazer um cigarro tb)Fora outras marcas que não me lembro agora.
    Mas como sou contra a fumaça.A sua falta não será sentida.

  6. Rodrigo disse:

    Eh interessante, relamente o BT 52 patrocinado pelo leite italiano foi o ukltimo sem cigarro, se naquela epoca o leite for contaminado como é o de hj , tem que proibir este patrocinio tbm

  7. Janus disse:

    É, pode ter sido coincidência mesmo não ter havido nenhum patrocínio à equipe. Como eu disse, questão ética, com o tio Bernie, seria pouco provável né…

  8. Tatú disse:

    Prezado Janus:

    Em 79, o Lauda coria com o logo da Marlboro no capacete. Tudo bem que parecia ser patrocínio pessoal, mas como pilotava pra Brabham…

  9. Janus disse:

    Apenas algumas curiosidades:

    Pelo que me consta, a Brabham, em toda a sua história, NUNCA foi patrocinada pela indústria do tabaco (coisa rara). Não sei se há algum motivo ético por trás disso, me parece pouco provável vindo do Bernie, mas de qualquer maneira é interessante e raro na F1.

    Quanto à Barclay, o cassio está certo, patrocinou sim a Jordan em 1992 e 1993. Antes disso patrocinou a Arrows (Chico Serra inclusive) de 1983 a 1986 e a Williams entre 1987 e 1990.

  10. Milton M. Bonani disse:

    Na época da proibição das propagandas de cigarro, eu achava que a F-1 fosse dar uma boa diminuida nos seus custos. Teve gente que até questionou o futuro da categoria. Hoje a gente vê que não houve diferença nenhuma nos investimentos.

    Depois das notícias das últimas semanas, o leite também deveria ser proibido.

  11. Tatú disse:

    Esse Brabham BT 52 foi um dos carros mais bonitos da F1. Engraçado que esse títule de 83 foi o primeiro de um carro turbo, e o de 1988 do Senna foi o último. Então cabe aos brasileiros o início e o fechamento de um ciclo vencedor. Também só quatro pilotos conseguiram ser campeões com motores turbo. Piquet,Lauda, Prost e Senna; e todos eles conseguiram também serem campeões com motores aspirados. Esse grupinho aí é seleto.

  12. Rodrigo disse:

    Ainda bem que as marcas de cigarro estão saindo da f1 so falta a toda poderosa…voces sabem qual
    Mas infelizmente as marcas de bebidas estão vindo com tudo

  13. Rio Kart disse:

    No último sábado o Ribeiro postou uma miniatura do BT52B. Quem não viu, VEJA!!! Sério.

    O endereço do blog segue abaixo:
    http://blogdoribeiro.blogspot.com/

    Fabio

  14. cassio disse:

    a barclay não patrocinou a jordan em entre 92 e p3?

    cassio

  15. Felipe Atch disse:

    Sei lá mas pelo menos no brasil acho muito estranho o patrocinio de bebidas alcoolicas. Com tanto “se beber não dirija”!

  16. HF (BSB) disse:

    Corrijam-me se eu estiver errado, mas a ironia disso é que Kimi é o único piloto fumante da F1 atual, não é? =)

    Falando em Barclay(s), acho que deveria ser proibida a publicidade de coisas nocivas, como bancos… XD

  17. Capelli disse:

    hahahahaha

    Ótima, Thiago! :D

  18. [email protected] Pereira disse:

    Parmalat e Santal não são marcas de cigarro?

  19. Leo disse:

    O Barclay eh do banco, não do cigarro, hehe.

  20. smirkoff disse:

    Esse é o BT52, pessoal. O BT53 era o carro de 1984, aquele que fazia quase todas as poles mas quebrava em quase todas as corridas…

  21. Garcia disse:

    Eu também estou com o Herik… que escelente foto do BT 53… um dos carros mais bonitos da história da Fórmula-1 na minha humilde opinião!!!

    Belíssima escolha!!!

  22. Diospiro Verde disse:

    Exacto, no caso do banco é escrito com um “s” no final.

    http://www.barclays.com/

  23. Capelli disse:

    Gente, é cigarro… não há a mínima dúvida.

    http://www.europecigarettes.com/pages/barclay.htm

  24. edispj disse:

    Capelli, também ouso discordar, mas na minha opinião, Barclay seria realmente um banco, não marca de cigarro…

  25. Diospiro Verde disse:

    Saudações, amigos…

    Penso que, no caso do banco, se escreve “Barclays”, com “S”. O logotipo na imagem, embora pouco perceptível, parece corresponder ao logotipo da marca de tabaco. Aqui em Portugal esse patrocínio nunca resultaria, já que é expressamente proibida (e bem) a publicidade a marcas de tabaco.

  26. Rodrigo disse:

    Realmente Capelli tem certeza que esse Barclay não é aquele banco ingles que patrocina o campeonato ingles?

  27. Rodrigo de Freitas disse:

    Tem certeza que este Barclay não é uma banco inglês?

  28. Anonymous disse:

    vocês não tem mais nada pra fazer??

  29. Herik disse:

    Que bela foto esta do BT53.

  30. Capelli disse:

    Ops! Corrigido.

  31. rodrigo disse:

    1986 e 1985 estão invertidos.

    :P

  32. Anonymous disse:

    Acho que foi tambem o Piquet em 83 o primeiro campeão com carro turbo.E realmente o campeão de 86 foi Alain Prost na bobeada da Willians que tinha Piquet e Mansell,como pilotos.

  33. Anonymous disse:

    1986 o campeão foi Prost e não Lauda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>