MENU

8 de março de 2008 - 23:37História

Causos da Austrália: Berger faz "milagre"

Para os dias que antecedem o GP da Austrália, etapa de abertura do Mundial 2008 da Fórmula 1, separei três “causos” da história deste Grande Prêmio, que serão contados no decorrer da semana. Fiquem de olho.


O ano é 1988. A McLaren domina a temporada com uma superioridade nunca antes vista na Fórmula 1. Ayrton Senna e Alain Prost dividem todas as vitórias do campeonato à exceção do GP da Itália, vencido por Gerhard Berger numa obra do acaso, na única vez naquela temporada em que as duas McLaren abandonaram.

Mas algo diferente aconteceu no GP da Austrália, última corrida da temporada e que marcava a despedida dos motores turbo. Berger, saído da quarta posição do grid, parte como um raio pra cima das McLaren. Logo na segunda volta, ultrapassa Senna e assume a segunda posição. Em mais doze voltas, desconta quase seis segundos e passa com facilidade por Prost, disparando na ponta. A diferença vai aumentando mais e mais, uma grande vitória parece próxima até que ele encontra pela frente o retardatário René Arnoux. Os dois batem, a corrida de ambos termina e o mundo excomunga o francês, que nunca teve por hábito facilitar a vida dos líderes, por ter destruído a melhor apresentação da Ferrari naquele ano.


Mas o “milagre” dos italianos naquele dia, na verdade, foi operado por um santo de barro. O fato é que a equipe sabia que não tinha muito a fazer naquela corrida em Adelaide. Não encontraram um bom acerto e o motor consumia muito combustível. Como na época os reabastecimentos eram proibidos, o time sabia que, para conseguir terminar aquela prova, precisaria andar num ritmo muito lento. A solução? Correr desenfreadamente, sem qualquer preocupação em chegar ao final, apenas para dar show. E Berger conseguiu.

O mais saboroso de toda a história foi a confissão feita pelo austríaco anos mais tarde, em seu livro “Na Reta de Chegada”. Berger admitiu que bateu em Arnoux de propósito, era uma forma “digna” de encerrar aquele show. Nas palavras do piloto:

“Cheguei a dois carros retardatários; o que estava mais à frente era o Ligier azul de René Arnoux. Era perfeito, pois Arnoux era um dos pilotos mais inoportunos, do tipo que nunca olhava nos retrovisores e estava sempre no caminho de alguém. Assim, passei pelo primeiro carro e por Arnoux também, em uma só manobra um tanto ambiciosa em que o pneu traseiro do Ligier entrou em minha frente, uma pequena batida, acabou, finito.”

Na próxima terça: “Streiff, o estreante maluco”.

Comentários do Facebook

comentários

20 comentários

  1. Valdemar disse:

    Grande Capelli!!!!!!!
    Grandes Causos!!!!!
    O do Streiff então… Cara, eu morri de rir, mas concordo com o companheiro acima. você só postou esse link porque o Capelli chegou em sexto com aquela March que só andava em Paul Ricard…

  2. Pedro disse:

    Essa não é a corrida em que o Senna disputou com o pulso torcido devido a um jogo de futebol na semana do GP?

  3. Anonymous disse:

    Tiago,

    Me corrija se estiver enganado, mas a Ferrari de 1990 (ano em que Prost foi para Maranello), principalmente na metade daquela temporada, foi competitiva e Prost disputou o título de pilotos com Senna até o GP do Japão. Mas, aí sim, 1991 foi trágico para Prost e Ferrari.

    Edgar

  4. Wellerson Santana disse:

    Tirando o fato do audio ser de baixa qualidade e como comentado o som dos carros serem nulos, o vídeo é muito bom com belas imagens.

  5. Tiago disse:

    Sem falar que esta apresentação do Berger rendeuuma vaguinha na Mclaren e uma longa amizade com Ayrton Senna.
    Sem falar também que iludiu Prost a pensar que a Ferrari teria um bom pacote para o outro ano, e assim ele muda de equipe e faz a pior temporada de sua carreira.

  6. Marcos Henrique Reis disse:

    Olha só…

    Acho que o DeCesaris estava em sexto. Oficialmente ficou em oitavo.

    Este foi o melhor resultado do Piquet nessa temporada junto com outros dois terceiros em Jacarepaguá e Ímola (coma aquela tranqueira).

    Por falar em Piquet, sempre acreditei naquela frase em que ele fala que o Arnoux era uma panacão, isto é, até hoje acreditava que o mané do Arnoux não tinha olhado no retrovisor mesmo (até que isso aconteceu mas o Berger deixou que acontecesse o que aconteceu) ou viu e fez a curva de qq jeito…

    Imaginem os “causos” que nunca vieram à tona…

  7. Ney disse:

    Alguém sabe em qual colocação estava o de Cesaris com a pífia Rial? E o figura da tradicional bandeirada, que fim deu?

  8. GM disse:

    Na verdade é tudo mentira, ele so colocou esse video ai porque o Capelli chegou em sexto na corrida!

  9. Guilherme disse:

    Sem contar o show do Piquet com aquela Lotus horrorenda… acredito que foi até a melhor posição dele no ano né?

  10. Blog do Udieli disse:

    Capelli fiquei surpreso, eu não sabia que tal fato tinha ocorrido! infelizmente não tinha tamanho e nem idade para assistir e intender as corridas desta época, mas confesso que fiquei impressionado com o que aconteceu! íncrivel!!

    Grande Capelli!
    Belas histórias!

  11. Speeder_76 disse:

    Belo “causo”. O narrador parece que bebeu uns “pints” a mais, mas aquele amadoreismo não desmerece os comentários feitos pelo Murray Walker. O Galvão bem podia aprender com ele…

  12. Anonymous disse:

    Capelli
    Voce sabe se esse livro do Berger ainda está a venda?

  13. Anonymous disse:

    Show, o Arnoux é que se f….

  14. Anonymous disse:

    Faaala Capelli!

    Excelente idéia a de contar os “causos”. Sugiro, fazer isto na semana que antecede cada GP. Depois este material de causos poderia ser juntado numa obra sensacional. Como as corridas na última década se tornaram uma chatice, relembrar estes “causos” são uma boa!

    Abraços,

    fhpratti

  15. Tiagão disse:

    Muito bom esse momento “flashback”. Foi realmente uma das corridas mais interessantes de 88.

    Gostei do post, boa idéia.

  16. Aderson disse:

    Ah Moleke Bão!!
    Ah Meninão!!
    Malandrops total em Berger??

  17. Anonymous disse:

    Hhaehuiaua,o cara parece que tomo umas cervas ai ficou meio rouco.
    Ferrari tomou um sabugo do melhor time de todos os tempos.

  18. Anonymous disse:

    Caio, confesso que se não fosse o som alerta do Windows bem como do MSN do computador do narrador, acreditaria que tinha sido um trabalho profissional (risos). Valeu pela informação. Abraços!

    Edgar

  19. CaioZer0 disse:

    Edgar, foi intencional, tanto que está no título do vídeo. Para um brasileiro amador, eu achei que ele narrou muito bem! Haha! ;D

  20. Anonymous disse:

    Capelli,

    A narração desse vídeo é uma edição muito mal feita. O som ambiente da corrida é inexistente. Se prestarmos atenção, ouvimos sons de alerta do Windows bem como do MSN oriundos do computador de nosso amigo narrador. Enfim, nada comparável a Murray Walker (risos). Abraços!

    Edgar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *