MENU

3 de março de 2008 - 1:01Curiosidades, Do Baú

Do Baú: Suzuki na Jordan


Aguri Suzuki, hoje dono da Super Aguri, foi piloto de Fórmula 1 entre 1988 e 1995. Na temporada de 1994, após sair da Footwork no final do ano anterior, ficou desempregado. Mas não por muito tempo.

Durante o GP do Brasil, etapa de abertura daquele ano, Eddie Irvine provocou um enorme acidente no final da reta oposta. Eliminou Martin Brundle, Eric Bernard e a si próprio da corrida, além de fazer Jos Verstappen voar pelos ares, logo na estréia do holandês na categoria. O gancho veio rápido: três corridas de suspensão. Até hoje, a maior punição aplicada pela FIA a um piloto por motivo de acidente na F1.

A corrida seguinte seria o GP do Pacífico, em Aida, Japão. Para substituir o suspenso Irvine, Eddie Jordan chamou um piloto da casa: Aguri Suzuki. O japonês disputou apenas esta corrida pela equipe, sendo substituído por Andrea de Cesaris em San Marino e em Mônaco.

Suzuki retornaria ainda à categoria em 1995, revezando um segundo carro da Ligier com Martin Brundle.

Comentários do Facebook

comentários

11 comentários

  1. Cristiano disse:

    Imagine que curioso se fosse no ano anterior, Aguri Suzuki correndo de Jordan Yamaha…

  2. JOnatas disse:

    O Suzuki c naum me engano classificou-se em 20º naquela corrida do Pacifico.

    Sei lah c chegou ao final…

  3. João Anaquim disse:

    Obrigado pelo esclarecimento, galera!!

    Abraço:

  4. Capelli disse:

    Cristiano, nenhuma relação. O Suzuki, inclusive, estreou na F1 antes do Alesi.

    Sobre o Ide, o Felipe e o Marcos responderam tudo.

    Abraço!

    Capelli

  5. Marcos Henrique Reis disse:

    Ô Carrinho Lindo!!!

    Quanto ao “gancho” do Irvine Capelli disse bem, por motivo de acidente na F1. O Ide até que não provocou nada de sério na F1 (graças aos outros pilotos) mas do jeito que estava…

  6. Anonymous disse:

    Ô Capelli, o capacete do Aguri Suzuki é alguma homenagem ao Jean Alesi?

    Cristiano.

  7. Felipe Mazorca disse:

    João, o Ide não fui punido por um acidente específico, mas sim por todo o conjunto da obra que realizou em 2006.

    Essa eu sabia. 94, por dezenas de razões, um dos anos que mais tivemos pilotos em ação. Temporada bizarra, algumas equipes tiveram até 5 pilotos diferentes durante o ano.

  8. Anonymous disse:

    E logo depois amarelou. Todos esperavam, inclusive eu, que a Jordan desse o pulo do gato e se transformasse numa força da F1. Pena que fechou as portas. Hoje se transformou nessa babel de linguas que está hoje: de jordan (inglesa) para midland (russa). De midland para spyker (holandesa) de spyker para force india (indiana). Acho que é isso mesmo.
    Mas a vida é assim mesmo…
    paulo Santos/RJ

  9. Julio Vinicius disse:

    Legal, disso eu não lembrava…
    E concordo com o Maurício, essa Jordan era linda mesmo! Uma das pinturas mais bonitas e harmônicas de um F1…

  10. João Anaquim disse:

    Capelli, a maior punição dada até hoje por motivo de acidente não foi a retirada da super licença ao Ide? Agradecia que me esclarece-ce

    Abraço:

  11. Mauricio Von Abel disse:

    essa jordan era simplesmente LINDA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>