MENU

8 de abril de 2008 - 12:36Notícias

Duplo toque


A equipe McLaren emitiu nota hoje informando que o acidente entre Lewis Hamilton e Fernando Alonso no GP do Bahrein foi provocado por um pedaço de sua asa dianteira que se desprendeu. A partir disso, Lewis perdeu o controle e acertou a traseira da Renault do espanhol.

O curioso é que a asa estava danificada em razão de outro toque, ocorrido na primeira volta. O envolvido? Fernando Alonso! Lewis já havia tocado de leve a asa traseira de seu ex-companheiro de equipe logo nas primeiras curvas da corrida, enquanto ultrapassava a Red Bull de Mark Webber (a roda que se vê à esquerda da imagem acima).

Os atentos leitores Herik e Willian enviaram e-mail avisando que é possível ver o primeiro toque no clipe da corrida, disponível no site oficial da Fórmula 1. Para assistir, basta clicar no botão de “play”, com “Bahrain” escrito logo abaixo, na página principal.

Comentários do Facebook

comentários

17 comentários

  1. Gustavo Lovatto disse:

    O vídeo explica como é que o Hamilton conseguiu acertar o carro do Alonso daquele jeito.

  2. GP4 disse:

    GP4 é o que há de melhor. Não culpe o melhor jogo de todos, hehe. Quanto ao Hamilton, foi navalhada brava.

  3. Thiago disse:

    caro xará leonardi chiaremonti, o GP4 não é mentiroso nesse quisito. aliás, foi a partir do gp2 que eu comecei a entender a física da F1, tais como mais asa, + velocidade em curva, – em reta, e o próprio gp2 já mostrava que, se o carro perde o bico e a asa dianteira, ele fica monstruoso em reta, mais em curva é um desastre.
    voltando a hamilton, ah, ele quebrou a asa pq é um piloto de merda, eu teria noção da velocidade, e mesmo com todo vácuo do mundo, não iria bater (a menos que o alonso desse um pisadinha no freio, hehehe).

  4. Mario disse:

    EU ACHO(só pra mostrar que o comment não é sério)

    que o primeiro toque foi só na brincadeira…
    mas aí quebrou a asa da McLaren e veio o segundo toque, algo como um:
    “se não sabe brincar, não brinca”

    o.O

  5. breno mossaro disse:

    Renato Mauricinho Prado? ECA! Não mencione esse nome aqui!!!

  6. nerds disse:

    Respondendo a “Normalmente quem está com o carro danificado, faltando pedaços, segue para os boxes em ritmo lento visando manter a propria segurança e a dos outros.” – quem faz isso é Rubinho, Massa & Cia. Queremos emoção !!!!!!

  7. zalex disse:

    o Hamilton foi até bonzinho com o alonso… já estava sem a parte de cima da asa, ia parar no box, deveria ter dado com mais força no espanhol.

  8. Anonymous disse:

    Pior é que até ontem à noite, no Beeeem Amiiiigos, o Galvão ainda achava que era no Nelsinho. O Renato Maurício Prado é que insistiu que era o Alonso….

  9. galvão burreno disse:

    Capelli.

    Você tem certeza que ambos os toques não foram no Nelsinho Piquet?

    Ass.

    Galvão Burreno

  10. Anonymous disse:

    Em reta, quanto mais asa menor a velocidade. Se você pegar a reta de Paul Ricard com pouca asa, você pode até “voar”. “Decolar” mesmo. Mas perde adereência nas curvas. Com muita asa, o carro fica mais preso ao solo, com isso as curvas são feitas com mais precisão e em reta o carro fica quase que “pregado” ao chão. Depois da batida ente os dois, podemos observar que o Hamilton (sem a asa dianteira) quase não consegue fazer a próxima curva. Ele, inclusive, atropela e passa muito além da zebra. Já o Alonso teve uma instabilidade no carro, pois teve a asa traseira quebrada. Não querendo justificar a péssima corrida dele, mas qualquer pedaço, por menor que seja, perdido da asa traseira compromete a instabilidade toda do carro. Se você perder a asa dianteira, e pegar uma reta em subida como as retas da pista da Áustria, vai decolar e se acidentar feio!
    Por isso que certas equiipes as vezes vão mal numa corrida que parece fácil. O acerto do carro em função de asas é muito complicado. Na pista de silverstone é pior ainda, pois além de ter retas rápidas e curvas também ráopidas, venta muito, abalando a estabilidade do carro.
    Acertei pessoal?
    Abraço a todos.
    Paulo Santos/RJ

  11. Thiago Leonardi Chiaremonti disse:

    Hummmmmmmmm… eu sempre achei q sem a asa dianteira perdia velocidade… maldito GP4 =P

  12. Wallace disse:

    Então não se trata mais de uma simples barbeiragem. Normalmente quem está com o carro danificado, faltando pedaços, segue para os boxes em ritmo lento visando manter a propria segurança e a dos outros.
    Caiu no meu conceito (nao que estivesse muito alto) ;D

  13. Anonymous disse:

    Sem os aerofólios o carro fica mais rápido nas retas mas muito instavel nas curvas, os aerofólios são basicamente pra se fazer as curvas, por isso q sem o dianteiro o Hamilton ficou mais rápido na reta, ou seja, perdeu a resistência q aquela peça gerava e ganhou mais velocidade.

  14. Capelli disse:

    Rolim, meu e-mail está na coluna da direita, em “Fale com o Capelli”.

  15. Anonymous disse:

    pois eh, se eu tivese o teu email tb Capelli, jah teria avisado desde o dia da corrida.

    Renato Rolim

  16. Capelli disse:

    Thiago, sem asa dianteira o carro perde estabilidade na curva, mas ganha velocidade em reta.

    Abraço,

    Capelli

  17. Thiago Leonardi Chiaremonti disse:

    Mas uma coisa nao entra na minha cabeça… Eu não sou nenhum Adrian Newey, mas sei quem com a asa dianteira danificada o carro perde velocidade e estabilidade dianteira. Ele e Alonso estavam num trecho reto na hr da batida, então não era pra McLaren estar mais lenta????? O Whitmarsh disse que o carro ficou mais rapido com isso =S

    Não entendi nada… Capelli, se puder me clarear as idéias…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>