MENU

25 de maio de 2008 - 11:41Análises

Rapidinhas – GP de Mônaco


- Vitória de Lewis Hamilton, numa grande corrida, provavelmente a melhor da temporada. O inglês soube recuperar-se de um erro logo no começo da corrida, quando danificou um pneu depois de um toque no guard-rail na curva Tabac, e aproveitou-se da melhor estratégia para vencer com autoridade.

- Felipe Massa foi o piloto mais rápido na chuva, chegando a abrir impressionantes 13 segundos sobre os demais nas primeiras voltas, mas perdeu a vantagem com a entrada do Safety Car, errou quando pressionado por Robert Kubica e acabou perdendo a ponta. Mesmo assim, poderia ter vencido, não fosse o erro de estratégia da Ferrari. Encher o tanque do carro faltando mais de 40 voltas para o fim, além de deixá-lo exposto a retardatários, foi um plano muito pouco inteligente. Minha impressão foi de que a Ferrari deu Hamilton como vencido após seu pit stop fora de hora e não percebeu a grande corrida que o inglês vinha fazendo.

- A equipe italiana errou como nunca hoje. Não ter montado os pneus de Kimi Raikkonen dentro do tempo regulamentar antes da largada, erro primário, arruinou a corrida do finlandês, obrigado a um drive-trough logo nas primeiras voltas. É fato que Kimi também não colaborou, em um fim de semana completamente sem brilho e encerrado com um acidente esquisito com Adrian Sutil.

- O alemão da Force India era o grande destaque da corrida, levando o carro mais fraco da Fórmula 1 a um brilhante quarto lugar até as últimas voltas, quando foi atropelado por Raikkonen, que perdeu o controle do carro quando pisou no freio na tomada da Chicane do Porto. Deu pena do rapaz.

- Kubica também foi brilhante na corrida, levando a BMW a um merecido segundo lugar. Não intimidou-se quando pressionado por Massa depois de assumir a ponta e também não deu moleza na última relargada, nos minutos finais da corrida. Seu companheiro Heidfeld, no entanto, fez mais uma corrida apagada. O alemão não vem bem em 2008.

- Mark Webber, bom de treino e bom de chuva, marcou um bom quarto lugar com a RBR, enquanto David Coulthard bateu mais uma vez. De longe, o escocês vive a pior temporada de sua carreira.

- Rubens Barrichello, que também vem mal, hoje espantou a zica e encerrou o jejum de 22 corridas sem pontuar, chegando em sexto. Fez uma prova correta, mas nada especial. Chegou atrás da Toro Rosso de Sebastian Vettel, por exemplo, que saiu da última fila. Mas foi melhor que Button, que hoje bateu logo no começo da corrida, andou o tempo todo lá atrás e no fim ainda foi abalroado por Heikki Kovalainen.

- Apesar de oitavo, Heikki foi outro que fez uma prova ruim. Seu carro apagou na volta de apresentação e teve de largar em último, mas em uma corrida tão cheia de alternativas, um ponto foi muito pouco para quem guia uma McLaren.

- Seca pimenteira que sou, apostei ontem que Nico Rosberg poderia surpreender numa corrida com chuva. Pois logo na primeira volta o alemão bateu na traseira de Alonso, mais tarde perdeu outro bico e terminou a corrida na parede dos Esses da Piscina. Uma corrida decepcionante.

- Mas o troféu vaca louca vai para outro alemão, Timo Glock, que conseguiu errar ainda mais do que Rosberg nas 76 voltas da prova.

- Nelsinho Piquet foi outro que bateu e abandonou, mas por culpa da troca para pneus slick em momento indevido. Pelo que se pôde perceber pelo rádio, a idéia infeliz foi da equipe, que já tinha feito o mesmo com Fernando Alonso, que também saiu sambando na pista. Nelsinho, pelo menos, errou bem acompanhado.

- Alonso, por sinal, esteve irreconhecível. Rodou, bateu, escapou e ainda tentou uma ultrapassagem impossível sobre Nick Heidfeld na Loews. Acabou com sua corrida e também destruiu a do alemão, que já não vinha bem.

- Com a vitória de hoje, Hamilton espanta a fama de “só vencer quando sai da pole position”. Foi a mais difícil das seis vitórias do inglês até aqui, conquistada na base da estratégia, da velocidade e da inteligência. Quase colocou a corrida a perder quando bateu na Tabac, mas a McLaren pensou rápido, modificou sua estratégia, e Lewis voltou para vencer com autoridade. Não ultrapassou ninguém na pista, é verdade. Mas é Mônaco.

- O resultado tornou o campeonato embolado e imprevisível. Raikkonen perdeu toda a vantagem que tinha e o GP do Canadá, que também pode ser favorável para a McLaren, pode mudar completamente o cenário daqui a quinze dias. Hamilton lidera com 38, Kimi é segundo com 35, Felipe tem 34 e Kubica – olho nele! -, 32.

- Seis corridas, duas vitórias para Hamilton, duas para Kimi e duas para Massa. Com apenas seis pontos separando o líder do quarto colocado, a temporada vem sendo bem mais equilibrada do que se imaginava. No campeonato passado, tido como um dos mais disputados da história, Hamilton liderava com oito pontos de vantagem para o segundo depois de seis corridas. E tinha 21 pontos para o quarto colocado.

- Apesar de ter o carro dominante da temporada, a Ferrari pode tropeçar outra vez no Canadá, corrida que normalmente também é cheia de acidentes e entradas do Safety Car e exige raciocínio rápido dos engenheiros estrategistas. Se a McLaren ganha outra com as Ferrari lá atrás, o campeonato terá um segundo semestre muito divertido.

Comentários do Facebook

comentários

11 comentários

  1. Anonymous disse:

    “Se a McLaren ganha outra com as Ferrari lá atrás, o campeonato terá um segundo semestre muito divertido.”

    E da-lhe torcida pro Hamilton disparar na ponta da tabela

  2. Felipe disse:

    O Capelli é Massista descarado. O cara errou sozinho quando liderava (não tinha nada de pressão), e nem de longe foi o mais rápido (o Hamiltom sim abriu impressionantes 40 segundos quando estava na ponta!) E outra, a Ferrari não roubou a vitória do Massa. Duvido muito que nas condições em que a corrida se deu o Massa conseguisse ultrapassar o Kubica que tinha um carro igual em termos de rendimento. Ou seja, foi prejudicado posteriormente pela Ferrari MAS PERDEU A CORRIDA POR UM ERRO PRÓPRIO. Tivesse ficado na ponta não perdia a corrida. Simples assim…

  3. Anonymous disse:

    Capelli, ao contrário do que você disse, o Hamilton fez uma ultrapassagem na pista: ultrapassou Haikonnen na largada!

  4. Anonymous disse:

    Foi uma pena Sutil ter abandonado de uma forma tão rude. Como é que Raikkonen, o atual campeão mundial, comete um erro de novato desses??? Ainda bem que o finlandês desculpou o pobre Adrian…

  5. Filipe Furtado disse:

    Eu acho que a Renault esta recebendo culpa demais pela questão dos pneus. O Webber colocou pneu seco junto com o Nelsinho e chegou em 4o. Foi estranho de certo na hora, mas em retrospecto com o contexto, é certo que nsquela altura no paddock já se tinha a informação de que não choveria mais e a pista estava secando muito rapidamente. Os dois carros precisavam parar logo. A Renault poderia poderia por pneu intermediario e umas 12 voltas depois ter que chamar os carros de volta para fazer um pit extra que acabaria com a corrida dos seus pilotos, ou botar eles para correrem algumas voltas com pneus secos com pista um pouco umida demais. Ou seja, o timing dos pits foi péssimo, mas duas voltas depois da rodada, o Alonso deu a então a volta mais rapida da corrida. No caso especifico do Nelsinho fiquei com a forte impressão que a Renault temia que ele tivesse dificuldades maiores de conduzir o carro com aquele jogo de pneus nas primeiras voltas e tentou adiar ao máximo a parada dele, infelizmente, ele ficou sem pneus.

    Agora como uma ultima reflexão sobre o abandono do Nelsinho, é óbvio que ele não teve culpa na rodada em si, mas porque o Sutil e Vettel (e Barrichelo e Nakajima) tinham pneus e ele não? (O unico outro piloto de um pit só que parou tão rapido foi o Webber que tinha ido para a Q1 e devia ter menos combustivel). Acho que este tipo de detalhe pouco perceptivel pode ser decisivo para carreira de um piloto na F1, e diz muito do porque Sutil e o Vettel vão estar no grid em 2009 e se o mundial acabasse hoje Piquet não.

  6. Filipe Furtado disse:

    Vale destacar Capelli, que numa prova onde quase todo mundo cometeu alguma barbeiragem o Nakajima Jr saiu basicamente ileso, enquanto seu badalado companheiro disputou com o Glock um campeonato particular de bobagens. É verdade que não fez nada de esspecial, mas para quem tem a má fama de barbeiro, sair ileso numa corrida dessas vale destaque.

  7. Danilo Gonzaga disse:

    A equipe Ferrari foi bizonha hoje, trapalhadas e mais trapalhadas. Agora eu queria ver se fosse o Sutil que tivesse batido no “homem de gelo” que parecia um bobo da corte. Pediriam punição,os jornais desceriam a lenha, choveriam críticas ao jovem piloto da Force Indian. Agora quase não comentam as barbeiragens do piloto finlandês que de gênio não tem nada. Imagina se fosse o brasileiro Massa que tivesse tirado o Sutil, os ignorantes brasileiros que babam ovo para qualque estrangeiro e detonam sempre os pilotos brazucas estariam em êxtase…

  8. Maurício disse:

    Nitidamente o carro da Ferrari (com mesma quantidade de combustível e pneu ideal) estava melhor que o da Maclarem, como também estará na próxima corrida.
    A disputa ainda é, e será até o fim, entre Kimi e Massa.

  9. Maurício disse:

    Acho que a situação é ainda pior do que parece, pois acho que a Ferrari piranhou o Massa no primeiro Pit e quando viu que não era suficiente piranhou no segundo.

  10. Jose disse:

    O Kimi deveria ser punido pelo toque no Sutil. Perder posições no grid da próxima corrida. Uma pena, já estava torcendo pro pódium da Force India. Se fosse o contrário….

    Emmanuel

  11. Maurício disse:

    Massa não estava pressionado por Kubica quando errou, pode perceber que deu tempo de virar o carro e aida segurar o carro para Kubica passar e sair com segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>