MENU

1 de junho de 2008 - 23:09Do Baú

Do Baú: Lotus provisória


Em fins de 1990, acalerava-se o processo de degradação da outrora grande equipe Lotus. A tabageira R.J. Reynolds, patrocinadora histórica do time e detentora das marcas John Player Special e Camel, anunciava que estava de muda para Williams e Benetton. Com a perda de praticamente todo o seu orçamento, já abalado com a saída da Honda dois anos antes, a Lotus já não tinha mais marcas para exibir em seus carros.

E foi com um modelo assim, limpo de logotipos, que Mika Hakkinen fez seus primeiros testes na equipe, visando sua temporada de estréia na Fórmula 1, em 1991. No carro provisório ainda predominava o amarelo Camel, mas agora com faixas verdes. Pouco depois, a Lotus fez fotos de lançamento com um carro todo verde, no melhor estilo British Green, mas iniciou a temporada com uma pintura predominantemente branca, com detalhes em verde.

A partir de então, a Lotus foi minguando cada vez mais, até ser extinta ao término da temporada de 1994.

Comentários do Facebook

comentários

16 comentários

  1. rrzauli disse:

    O Hakkinen estava com macacão da McLaren?

  2. Gustavo Lucena disse:

    1)Capelli, você está equivocado acerca das marcas de cigarro. A John Player pertencia e pertence até hoje a Imperial Tobbaco e não a RJ Reynolds.

    2) Bela pintura, tanto essa como a verde-pura Não sei quem diabos teve a idéia de criara aquela Lotus branca, que tinha cara de equipe pequena mesmo.

  3. Felipe disse:

    Ser piloto de F-1 ainda em 1990 era sinal de coragem, sem dúvida. O cockpit era extremamente mal protegido… Mas pelo menos a F-1 daquela época ainda era um esporte. Hoje é só um negócio como qualquer outro. Saudades do tempo em que 32 carros treinavam para ver quem seriam os 26 classificados para a corrida.

  4. Juliano disse:

    Nossa, impressionante comparar os cockpits de hoje com os dessa época.

  5. Rodrigo Mattar disse:

    Essa pintura era simplesmente belíssima!

  6. Germano disse:

    interessante essa pintura, lembra os carros da lotus dos anos 60…só podia ser mais verde que amarelo

  7. Lucas Brunini disse:

    Caramba… que pintura linda!!!!
    Carro bonito demais!!

  8. verde disse:

    Tristeza foi ver Julian Bailey sendo contratado como segundo piloto. Bailey não era ruim, mas decididamente não estava no nível da Lotus.

    Vale lembrar que a equipe tinha perdido também o acordo com a Lamborghini (que fazia motores ruins, mas que pelo menos fornecia aporte financeiro). Assim, eles tiveram de voltar a usar o raquítico Judd.

    Na verdade, aquele foi um ano ruim até para os padrões da fase decadente da Lotus.

  9. Matheus disse:

    Apesar de tudo achei a pintura linda!

  10. Aderson disse:

    Olhando a foto desse angulo, impressiona como o piloto ficava muito proximo ao eixo dianteiro e quanto sua parte superior ficava bastante exposta; comparando aos dias atuais em que apenas parte do capacete fica aparecendo no cockpit e o piloto posicionado quase no centro do chassis.
    Alem da posição

  11. Gvilleneuve disse:

    Capelli, encontrei essas fotos no F1 Rejects:

    http://www.f1rejects.com/hall/beta/fer1.jpg
    http://www.f1rejects.com/hall/beta/fer2.jpg

    Você sabe me dizer se essa coisa bizarra chegou mesmo a ser testada?
    É feio demais…

  12. Anonymous disse:

    Umas semanas antes ou depois ainda teve outra pintura ,toda verde com os detalhes em amarelo.
    Ficou muito bonito ,mas iniciaram a temporada com pouco verde e muito branco ,era horrivel.

    Jonny’O

  13. fabio disse:

    e esse carro que o hakkinen testou(não sei se em fins de 1990 ou começo de 1991), é um lotus da temporada de 1989!

  14. Anonymous disse:

    Infelizmente a Formula 1 é um esporte que sobrevive dos patrocinadores. Tirando a Ferrari, se todos os patrocinadores se revoltarem de uma vez só, e saírem da Formula 1, só teremos os carros de maranello correndo esse ano.
    os patrocinadores são um mal necessário para a sobreviv~encia das equipes. Vejam o que aconteeu com essa tradicionalíssima equipe chamada Lotus.
    Abraço a todos.
    Paulo Santos/RJ

  15. Nikolas Spagnol disse:

    Pra ser franco, embora a temporada de 91 seja amplamente considerada como o “começo do fim” da Lotus, é bom lembrar que em 1992 eles fizeram um carro até melhorzinho, com motor Ford, e ficaram em 5º no mundial de construtores, atrás apenas das 4 grandes (Williams, McLaren, Benetton e Ferrari). Os pilotos eram o Hakkinen e o Herbert.

    Em 93, com Zanardi e Herbert ao volante, a equipe também não fez feio, ficando em 6º com 12 pontos, mas a essas alturas as dívidas já eram altas demais e já era claro que a Lotus não seria mais uma equipe de ponta.

    94 foi realmente a pá de cal, com a Lotus não conseguindo marcar nenhum ponto em sua temporada de despedida.

    Como se não bastasse, em 95 ainda cometeram o deslize de fechar uma “parceria” com a Pacific, que serviu apenas para manchar ainda mais a reputação da Lotus, ao colocar seu símbolo no pior carro do grid.

  16. F1 + disse:

    Outra era,posso até dizer que sem os patrocinios parece uma carro de outra categoria.

    Essa imagem é um bom exemplo de ver o poder de uma marca! O que ela representa e significa!

    Abraços,

    Rodrigo Segura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *