MENU

28 de outubro de 2008 - 9:00Análises

Barrichello fora da Fórmula 1*

Foto: Divulgação Honda

Foto: Divulgação Honda

* Texto de Rodrigo Borges, publicado no blog Esporte Fino

No dia 30 de julho de 2000, Barrichello, então Rubinho, conseguiu sua primeira vitória na F-1. Uma vitória épica no GP da Alemanha, guiando com pneus secos na pista molhada de Hockenheim. Tinha 28 anos e estava em sua oitava temporada.

Dos 22 pilotos que estavam naquela corrida, apenas seis disputarão o GP do Brasil, neste domingo. São todos veteranos, incluindo o próprio Barrichello, o piloto que mais GPs disputou na carreira. Fisichella, Heidfeld, Trulli, Button e Coulthard deixaram de ocupar há algum tempo um papel de destaque.

Coulthard disputará em Interlagos sua última corrida. Fisichella gosta de correr e aceita se arrastar com um carro da Force India. Trulli se acomodou na acomodada Toyota. Button, o mais jovem da turma, 28 anos, esteve sempre no lugar errado na hora errada e foi definitivamente apagado quando apareceu um inglês melhor, Hamilton. Heidfeld, o que ainda demonstra competitividade, é uma sombra ao brilho de Robert Kubica na BMW.

Aos 36 anos, Barrichello diz que não está preparado para deixar a F-1, chega a implorar por uma vaga. Não deveria. Barrichello tem seu valor. Um grande valor. Foi um grande acertador de carros, grande piloto sob chuva. Disputou até agora 266 corridas em 16 temporadas consecutivas. Tem nove vitórias, 13 poles (incluindo uma pela Jordan e uma pela Stewart), 15 voltas mais rápidas, 62 pódios (dois pela Jordan e quatro pela Stewart). Barrichello foi o primeiro piloto brasileiro contratado pela Ferrari, pela qual foi duas vezes vice-campeão mundial.

Barrichello deveria ter mais respeito por sua história. Não é piloto que mereça encerrar a carreira mendigando um carro para pilotar ou disposto a dirigir qualquer carroça que lhe ofereçam, como a que pilotou nos últimos dois anos. Fez escolhas erradas, sim. Assumiu responsabilidades que não deveria. Mas foi um grande piloto. Que coloca em xeque sua trajetória ao se permitir a humilhação de implorar por um contrato. Deveria marcar uma coletiva para segunda e anunciar que está cagando para a F-1. Sem esperar resposta da Honda ou para ser a segunda ou terceira opção de outra equipe. Deixar a categoria com dignidade e ir correr na Indy ou na Stock. Mas dar uma banana para a F-1.

Comentários do Facebook

comentários

47 comentários

  1. sexracing disse:

    Também concordo que o Rubens deve se mandar… Agora na Williams (2010) ele faz um trabalho de desenvolvimento para no futuro o carro receber os motores Wolkswagen e o nosso Nico Hulkenberg ganhar as corridas para o nosso Frank Williams. Ou o Rubinho é um estúpido ou é um cara muito esperto que nos engana com sua pose de bobão esperançoso, mas no fundo ganha uma baita grana e ri de todos nós…

  2. sexracing disse:

    Estou escrevendo esse comentário já a 2 anos da publicação do post e quero afirmar que também concordo que o Rubens deve se mandar… Agora na Williams (2010) ele faz um trabalho de desenvolvimento para no futuro o carro receber os motores Wolkswagen e o nosso Nico Hulkenberg ganhar as corridas para o nosso Frank Williams. Ou o Rubinho é um estúpido ou é um cara muito esperto que nos engana com sua pose de bobão esperançoso, mas no fundo ganha uma baita grana e ri de todos nós…

  3. Marcos disse:

    Parabéns ao Barrichello, por tudo que fez pelo Brasil na F1! De todos os grandes pilotos brazucas, acho q ele tem q ser posto em destaque, pq Senna, Piquet e Emerson, e até o Massa sempre conseguiram ter bons carros pra competir por títulos e apoio das equipes. Rubinho, msm ganhando 10 vezes menos que Schumacher, sendo apontado como o n. 2 (a menos que Schummy saísse, a propósito, a 1a vitória de Rubinho Schumacher tinha saída na largada), msm com td isso ele nunca deixou de brigar, dentro ou fora da equipe, por respeito e espaço. Tanto é q ele virou ovelha negra desde a vitória moral em Nurburgring, qdo deixou Jean Todd com a mão estendida esperando seu cumprimento. Foi zuado, até humilhado pela imprensa do Brasil, e pela torcida tb, mas nunca arrancou microfone da mão de repórter (Massa ao Polvilho do Pânico), nunca deu a língua por resposta (Piquet no 1o título – 81) nem jogou repórter bom na geladeira (Senna a Reginaldo Leme – 92). Foi honrado, valente, azarado talvez, mas um grande piloto, como talvez não teremos mais!

  4. Wilian José Tomaz disse:

    Concordo…E, digo mais…Alguns compatriotas, me deixam irado, quando fazem críticas ao Rubinho…Senão, vejamos: o cara tem um curriculum invejável pré-formula 1…Sempre foi visto como um anfitriçao dos mais calorosos, aos garotos brasileiros na Europa…Chamou para si, a responsabilidade sobre todo e qualquer acidente inusitado em que se envolveu – até nas manobras excusas da Ferrari, para beneficiar Schummacker – lembram daquela corrida na Áustria em 2000? . Rubinho não tem que ficar suplicando nada…já fez sua parte…Na geração pós Clark…pós Gilles Villeneuve…pós Senna…ninguem, mas, ninguem mesmo, tem em seu curriculum, uma corrida igual a da Alemanha em 2001, ou Inglaterra 2002…O poderio financeiro de Schummy. freou o ímpeto do Rubinho…A história se repete agora com outro piloto tão bom quanto o Rubinho…Jarno Truli…E foi assim com outros no passado…Exemplo clássico de um piloto pouco aproveitado na formula 1: Roberto Pupo Moreno…lembram da dobradinha com o Piquet no Japáo, correndo pela Beneton…
    Pois bem: Rubinho não deveria insistir nessa carroça japonesa -Honda…Acho que na Indy ele deitaria o cabelo…ou na Stock Brasil…ou como empresário de novos pilotos…ou com manager…ou com comentarista…enfim, acredito no Rubinho…mas, sua lãmpada não pode se apagar de forma tão medíocre…Força Rubinho!…

  5. Wiliam disse:

    Concordo plenamente com o texto.

  6. Bruno disse:

    Não sei…Acho que essa atitude desesperada do Rubinho é mais por orgulho pessoal do que por dinheiro (Já tem demais, poderia vir pra Stock Car bancado por trocentos patrocinadores), ou por amor a pilotagem (Dá pra ver que é clara a desmotivação dele)…

    Sabe aquele caso que quando o namoro está ruim, a pessoa termina logo para não passar a vergonha de tomar um chute na bunda de outra? Eu acho que é por aí…

  7. Mauro Fonseca disse:

    Colocando a emoção de lado, o que imagino que está acontecendo é que a Petrobras quer um piloto brasileiro jovem e a Honda não pode ficar com dois brasileiros no time. Senão com certeza quem estaria procurando emprego seria a eterna promessa Jeson Button, pois nesta temporada ele está comendo poeira do Rubinho.

    Quanto a frase do Flavio Gomes, me lembro dele dizer: “O Rubinho não é tão bom quanto a Rede Globo acha e nem tão ruim quanto o povo brasileiro acha.”
    Concordo totalmente com essa frase, o Rubinho não é um Senna, um Piquet, mas é acima da média dos que pilotam um F1.

    Um a parte, o Rubinho está roendo o osso a três anos, no momento que vão servir filé (é o esperado para 2009), mandam ele para casa, sacanag….

  8. Alexandre Ribeiro disse:

    Pessoal, o Rubinho teve sua chance durante muitos anos, porém nunca passou nem perto do genialidade de campeões como Senna, Piquet e Fittipaldi. Também não chegou a ser medilcre como tantos outros que passaram pela F1. Pena que ele não soube aproveitar a temporada para se despidir curtindo como o David da RBR fez. Um piloto tem que corre enquanto é competitivo, a partir do momento que não faz mais a diferença e não querem ele lá, vai fazer outra coisa. Não vou sentir nenhuma falta dele ano que vem. Uma carreira comum com um fim medilcre. Bem a cara do Burrinho Barrichello.

  9. Fábio Dorta disse:

    Olá Capelli. Barrichello repete, no ocaso de sua carreira, os mesmos erros que cometeu em sua trajetória. Foi sempre pior fora que dentro das pistas. Foi um grande piloto. Mas, quando abre a boca, parece o Pelé, só sai besteira. Está se humilhando.

  10. Renato Mello disse:

    Concordo plenamente que Rubens não deveria JAMAIS mendigar um lugar ao sol na F-1, pelo excelente piloto que é e sempre foi. Os resultados que conseguiu a bordo de uma Stewart, de uma Jordan, mesmo deste patético carro da Honda esse ano, tudo no “braço”, deveriam falar mais alto do que seus tempos de Ferrari; pois alguém duvida que, ali, os carros eram totalmente diferentes? Alguém em são consciência crê realmente que davam a ele um carro competitivo? E o pior: o carro do “nº1″, quem fazia o acerto GRANDE PARTE das vezes era ele! E o alemão ia lá, com um carro acertado pelo Rubinho, e ganhava… é foda isso!
    De qualquer maneira, ainda assim foi 2 vezes vice-campeão mundial, mesmo sem o apoio de sua própria equipe, lutando contra todos os outros pilotos e toda a Ferrari! Caramba, se isso não bastasse para valorizar o cara, o que bastaria?
    Mas é a tal da cultura do brasileiro que “segundo lugar não vale”, ou talvez o fato de nunca aprendermos que nem só quem vence é bom. Vejo muitas pessoas hoje em dia que elogiam Nigel Mansell, por exemplo; ora bolas, eu acompanhei a carreira do “Leão” TODA, e durante toda ela ele foi ridicularizado. Era um piloto rápido sim, mas demasiadamente afobado, não sabia acertar um carro, e azaraaaaaaaaaaaado em excesso (1986 que o diga… precisava de um pontinho para ser campeão e explodiu o pneu, com ele liderando a corrida!!!) ; no entanto, a partir de 1992 quando se tornou (até que enfim) campeão do mundo, passou a ser elogiado, e n ão tenham dúvidas: SÓ foi elogiado por isso. Rubens é um piloto rápido, experiente, bom no seco e na chuva (dêem carros iguais e ele e Hamilton com uma pista encharcada pra vcs verem quem leva, já que “elegeram” o inglês o novo “rei da chuva”…), mas deu azar em suas escolhas. Além disso, sofreu com um peso enorme, que foi ter um país todo depositando em suas costas as esperanças de títulos após a morte de Senna. E ele era um garoto ainda. Na verdade, eu, que continuei assistindo F-1 mesmo depois da morte do Ayrton, percebi uma coisa muito melancólica para nosso automobilismo : começamos a “matar” TODOS os nossos pilotos que chegavam à categoria, se percebêssemos que não nos dariam o título. Assim, “matamos” e desrespeitamos em excesso Barrichelo, não demos chance à Zonta (que por sinal é excelente piloto e foi tremendamente injustiçado), a Enrique Bernoldi (que segurou Coulthard por 40 voltas só no braço em um GP, com o escocês pilotando uma McLaren, e o brasileiro com uma Arrows), Da Matta (que ajudou DEMAIS a Toyota em sua entrada na F-1, sendo o responsável direto pelo desenvolvimento do carro, e quando acharam que a evolução podia “andar sozinha”, dispensaram-no… se ferraram, tb…), e muitos outros. E outra coisa: continuamos o processo, e estamos prestes a “enterrar” Piquet filho, pois ele “não correspondeu às expectativas”… e teve tempo? 1 temporada é tempo suficiente??? Quem detonaremos depois? Hoje em dia vejo torcida por Bruno Senna e Di Grassi, que SÃO SIM, EXCELENTES PILOTOS… mas continuarão sendo depois do primeiro erro? Outra: “adoramos” malhar Rubens, mas “amávamos” Berger! E ele era simplesmente a mesma coisa com Senna do que foi Rubens com Michael: Um “escudeiro”. Precisamos urgente parar de confundir as coisas com nosso “jeitinho (conveniente) brasileiro”, e olharmos mais um pouco para nosso próprio umbigo. Barrichelo, assim como outros ótimos pilotos que tivemos por aqui, merece muito mais respeito por tudo o que fez, e talvez, por tudo o que pode fazer ainda na F-1 e PELA F-1. E com a volta dos slicks, a implementação do Kers a partir do ano que vem (por sinal, dizem que o da Honda é justamente o que está mais avançado… fará grande diferença ano que vem quem tem o melhor kers…), quem sabe as surpresas que ele ainda poderia nos trazer?
    Se, INFELIZMENTE não houver jeito, paciência… mas que vou torcer e MUITO para que Rubinho continue fazendo o que AMA, e que nossos domingos possam continuar contando com sua alegria, ahhh, isso vou. e MUITO.
    Grande abraço a todos,
    Renato Mello ;)

  11. Guzz disse:

    O Rubinho perdeu uma excelente oportunidade de promover uma festa de despedida da F1, assim como está fazendo Coulthard.
    É provável que ele simplesmente não corra ano que vem.. que na primeira transmissão da Globo seja comentado que ele ficou de fora.

  12. Dani V. disse:

    Concordo plenamete. O Rubinho merece o seu devido reconhecimento. É um absurdo que as pessoas não valorizem o seu trabalho. Infelizmente quando ele estava em uma equipe competitiva, teve que trabalhar para o 1° Piloto, mas mesmo analizando dessa forma, hoje o Kimi Raikkonen não mostra competência para apoiar o Massa, tampouco o Massa teve no ano passado para trabalhar para o Kimi. Enquanto na época do Rubinho, ele estava sempre lá, senvindo de escudo pro o Schumacher ou até mesmo abrindo caminho para as suas vitórias.
    Tenho certeza que se ele tivesse permanecido na ferrari, essa palhaçada de campeonato já estava resolvida a tempo.

  13. Compulsivo disse:

    Não concordo, na minha opinião ele sempre foi medíocre… Deveria sair da F-1 mesmo, com dignidade, atochando seu carro na trazeira de Hamilton já na primeira volta do GP-Brasil…

    []’s
    Compulsivo

  14. Alguém Não-Importante disse:

    Eu acho que ele não deveria sair da Formula 1, mas não resta opção pra ele. Chegou a falar com Roger Penske (o que traria a reação em cadeia de um possível Helio Castroneves ser remanejado pra arruinada equipe de NASCAR do mesmo Penske ou ir para a American LeMans, já que provavelmente a IRL não vai querê-lo, e nem imagino como ele vai fazer pra correr em Motegi, por exemplo), e eu acho que essa seria a melhor opção. Fittipaldi foi para os States e se tornou popular. Diríamos que ele foi um grande piloto, quem sou eu pra discutir isso, mas talvez alguém aqui deve conhecer a totalmente parcial lista de 25 melhores pilotos da ESPN, e ele está nela, talvez por mais mérito na Indy do que na F1 (vale lembrar que nessa lista, Tony Stewart, um gordo babaca que só andou em ovais e nunca nem se arriscou em um endurance, por exemplo, está na frente de ninguém mais, ninguém menos que Niki Lauda e Nigel Mansell!!!)… Citação:

    “Why he made the top 25:
    Won championships in two series, including the CART title when he was 42, 15 years after his second F1 title.
    Accomplishments:
    Two-time Indy 500 winner in 1989 and 1993. He left racing for three years, but made an amazing comeback to win in CART after returning at age 38. In 1989, Fittipaldi had five victories and finished in the top five in every race he competed in to win the CART title.”

    Resumindo, só falam dos méritos dele na extinta CART. Mas dão o mérito, o que é mais importante.
    E eu pagaria bem caro se ano que vem aparecesse o Barrichello correndo junto com o Briscoe ou com o Castroneves na IRL. Ali, com certeza, ele não mendigaria carro.

    Ah, cansei de falar asneiras. Até meu próximo comentário infeliz!

  15. diogo disse:

    tirando a parte de correr na indy ou stock, concordo com tudo.

    sobre ir para estas categorias, seria pior para carreira dele do q mendigar na f1

  16. Mr Stripes disse:

    Concordo plenamente com o texto. Barrichello assumiu direta e indiretamente a estúpida “missão” de substituir Ayrton Senna. Deus sabe o que poderia ter sido o seu futuro se, naquela corrida de Donington em 1993 a sua Jordan não tivesse ficado pelo caminho…corrida essa que inclusive é lembrada mais pela performance de Senna do que a dele, que saiu de 14º para 4º na primeira volta. Não desmereço a performance de Senna, muito pelo contrário, mas enalteço a maravilhosa prova que Barrichello fez, em conjunto com as incríveis corridas de Hockenheim 2000, Silverstone 2003 e Suzuka 2003 – não concorda, Capelli??

  17. Concordo… dane-se a F-1, já que a categoria não o quer mais, tem quem queira… sei la, WTCC, Indy, Stock…

  18. Cesar Costa disse:

    Concordo plenamente. Só uma palavra pode descrever a “despedida” dele da F1 dessa maneira: patético!!!

  19. Muito bom esse artigo, parabéns ao Rodrigo Borges, quem o escreveu!

    Mas eu entendo o que passa com o Barrichello. Ele é o que se chama em inglês de “Racer”, algo intraduzível aqui no Brasil. Ele ama o que faz, ama a Formula 1, ama o ambiente, as viagens, o burburinho e maior ainda que isso tudo, o Barrichello ama pilotar um carro de Formula 1.

    Eu vejo um grande respeito por David Coulthard nesse momento em que ele se aposenta e o Coulthard teve, em escala, um sucesso menor que o do Rubens.

    Há no Brasil essa mentalidade mesquinha de valorizar, principalmente na Formula 1, o vencedor, o vencedor, o vencedor e é por isso que eu sempre achei que na verdade o brasileiro não está nem aí para a Formula 1. A única coisa que o torcedor brasileiro médio que assiste a Formula 1 deseja, é que alguém prove, como se isso fosse necessário, que o país está além das misérias em cada esquina, além do clichê que o estrangeiro projeta dele, além do sentimento de vira-lata que o Nelson Rodrigues diagnosticou anos atrás. É por isso que o Barrichello é injustamente ridicularizado.

    Perpasse pela ídia inglesa, a melhor do mundo quando assunto é Formula 1 você entenderá como o “Nice guy” Barrichello fará falta… Aqui não.

    Meu conselho é: deixem o Barrichello fazer o que ele quiser da sua carreira, mesmo que ele suplique por um carro medíocre nas últimas posições do grid. Eu tenho certeza que mesmo assim, ele terá enorme prazer em ainda fazer parte de tudo aquilo…

  20. Jobson disse:

    A Fórmula 1 é assim, nunca foi justa e nunca teve pena de ninguém. Bons pilotos já passaram por ela e nunca foram valorizados, nunca tiveram uma chance real de mostrar algo.
    Muitos pilotos tinham tudo pra ser e não foram!!!Escolhas, atitudes e oportunidades passadas, selaram seus destinos!!! Barrichello, Montoya, Bernoldi, Zanardi, Coulthard, Fisichella, Salo, Magnussen entre muitos outros.

  21. Eduardo Baptista disse:

    “Aos 36 anos, Barrichello diz que não está preparado… Barrichello deveria ter mais respeito por sua história. Não é piloto que mereça encerrar a carreira mendigando um carro… Fez escolhas erradas, sim…”

    Se ao longo da carreira ele sempre primou pela desequilibrio psicológico, por que agora seria diferente? Se vendeu sua alma à Scuderia do alemão e aceitou a posição de “piloto 1B”, por que não deveria implorar para se arrastar na Force India até o fim de seus dias?

    Na minha opinião, estamos acompanhando apenas o último sopro quixotesco de um “moribundo” piloto.

    Abraços

  22. Gabriel Evers disse:

    O cara tem que sair, não conssegui fazer grandes coisas na formula um por sempre estar na hora errada e no carro errado, assim deveria seguir outros horizontes, penssando em se divertir e curtir a grana que tem, e dar lugar para novos talentos, a F1 precisa de renovação e está dando certo com a gurizada nova.!

  23. José Inácio disse:

    “Olá capelli, ideológicamente, eu concordo com você, por outro lado, eu entendo que o Barrichello saiba que depois que deixar a F1, terá uma inteira pela frente sem a F1, logo, o momento de viver a F1, que é o que ele gosta, é agora.

    É muito fácil a gente dar uma de torcedor orgulhoso e dizer que um ou outro piloto deveria se valorizar e ir embora, mas não somos nós que sentamos naquele carro e sentimos o que é estar na F1.”

    [2]

    Concordo em gênero, número e grau, em todos os sentidos.

    Impecável.

  24. Aderson Pereira disse:

    Eu tambem sou a favor do Rubens dar uma bela banana pra Fry, Ross e companhia.
    Por mais que Barrichello consiga continuar na Honda no ano que vem, quando o carro estiver em um bom nivel de competitividade, toda a atenção da equipe pra vencer e ganhar o titulo será dada ao Inglês Jenson Button.

  25. Luis Antonio Mendes disse:

    Para ser piloto de F-1 o cara tem que ser muito bom, o que diferencia o campeão dos outros é o fator psicológico, é o sangue no olho como falamos por aqui, coisa que o Rubens parece que se um dia teve, deixou perdido em algum lugar, concordo com o colega que afirma que depois da morte do Ayrton, o Rubens perdeu seu referencial, chego a pensar até, que se o Ayrton não tivesse morrido, o Rubens teria sido campeão mundial.
    Queria o vê correr nos próximos anos, ele é muito melhor do que a maioria do que correm atualmente, inclusive melhor do que seu companheiro de equipe, mas não sei se ele ainda tem valor comercial, não sei se a Petrobrás queria vê sua marca ligada a uma pessoa que em seu país( do Rubens e da Petrobrás ) tem imagem tão ruim.

  26. Lucas disse:

    Concordo com vc Capelli!!! E lembro de um pensamento que o Flavio Gomes dizia sobre Rubinho. ” Barrichello não é tão bom como imaginamos em todo começo de temporada, nem tão mediocre, como o classificamos no final dela”. Não eram com essas palavras o significado e esse mesmo. Grande abraço!!

  27. Renato Rolim disse:

    Barrichello na pista sempre foi um grande piloto. Dos bons. Mas sempre fez coisas erradas no que se diz respeito a forma de conduzir sua carreira e em suas declarações. O que está acontecendo agora, é apenas mais um capítulo em sua carreira de muitos erros. E infelizmente, ao que tudo indica, parece ser o último capítulo.

  28. salame disse:

    é isso ai capeli!

    rubens é bom piloto e tem seu valor! a vida não acaba na f1! ele poderia muito bem e pra indy por exemplo e mostrar seu valor por la!

    e domingo vai chover, rubinho vai ganhar em interlagos com a porcaria da honda, e interlagos vem abaixo!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    tenho dito!

  29. Robson Moraes disse:

    Capelli, você se lembra de um antigo post seu que falava da possível saída do Yuji Ide da F1, e que você completava dizendo algo do tipo “se o Barrichello sair também, minha vida não terá mais sentido”? Lembra? Não consigo achar esse post. Bastante condizente com a notícia acima.

    Abs

    • Capelli disse:

      Caramba, que memória!

      É verdade, mas era uma tirada do tempo em que eu só usava o blog para fazer piada. Como o Rubens era uma boa fonte de humor, a despedida dele tornaria o blog sem sentido. Hoje, já não se aplica mais.

  30. Nóbrega disse:

    Vcs estão esquecendo de uma coisa. O próprio Rubinho já falou que não corre na F1 por dinheiro.. isso ele já tem garantido para umas três gerações dele (isso eu falando heuheue). Ele corre na F1 pq é um apaixonado pela categoria, por isso pra ele tanto faz correr na Honda ou na McLaren (bom… nem tanto huehue)

    Mas é isso. Sobre ele ir para a Indy, eu adoraria muito, mas me digam vcs se já estivessem com sua vida financeira feita, sua familia pronta, suas casas, seus carros, etc.. se arriscariam a correr em Ovais? Sei que qualquer categoria automobilistica tem seus riscos, mas é fato que em circuitos ovais esses riscos aumentam consideravelmente (sei tb que faz tempo que ninguem morre na Indy)…

    Bom.. essa é minha opinião. Acho muito fácil crucificar o Rubens estando sentado em uma cadeira na sua casa na frente do seu computador.

    Valew povo.

    Não deixem de acessar o site do primeiro Jornal Eletrônico sobre o Automobilismo Virtual brasileiro. Hoje foi publicada a 13ª edição. http://www.paddockonline.com.br

  31. Esse Rodrigo Borges é bom, hein? (rs)

  32. Leonardo Lago disse:

    Não é que Barrichello já não ofereça nada de bom para a F-1, mas existem outros pilotos brasileiro – Di Grassi e Bruno Senna – mais jovens que o Rubinho, que podem desempenhar o mesmo papel dele.

  33. Felipe Nolasco disse:

    Concordo plenamente com você Capelli, após a F1 o mundo não acaba, concordaria dele ir para Indy, DTM, WTCC. Menos para a Stock.
    Minha humilde opinião.

    Grato.

  34. Antonio disse:

    Bem,…… deixando as estatísticas negativas de lado e falando com emoção :

    A carreira na F1, diferentemente de tempos outrora, é efêmera hoje e, por isso, a escolha do time e a “a atitude vencedora” têm de aparecer cedo.
    Chances são para poucos, bem poucos mesmo. E Barrichello tem mérito ao estendê-la por tantos GPs, caso contrário estaria desempregado há tempos.

    É muitíssimo bom piloto e, talvez seja “o último dos Moicanos” que sabe, de verdade, acertar um carro (Né, Button?).
    Mas, sem Senna, perdeu seu referencial na F1, o que lho fez optar equivocadamente na escolha do time para 2000/2005.
    Aliado a isso, há de ser considerado também que talvez estivesse mal acessorado naquela época em que atuou literalmente como escudeiro.
    Colhe hoje os “frutos podres” de seu equívoco ao defender a scuderia de Maranello por tanto tempo e, pode, ainda, ser “apagado” por Felipe Massa neste fim de semana.

    Sem o controle de tração e com a volta dos “slicks” perderemos boas apresentações, se não conseguir manter seu posto na F1.

    Acordou muito tarde, mas tem a oferecer à F1 ainda.

    Abraço.

  35. Tuta disse:

    É, e o Brad Pitt deveria largar a Angelina Jolie!
    Por que este pensamento de largar tudo de mão?
    A F1 é a coisa mais VIP que existe neste planeta! Nos outros planetas, essa exclusividade é da Nasa. Mas o Bernie está pensando em um GP da Europa, mas da lua de Júpiter!
    Só 20 pessoas podem alinhar um F1. Você deixaria de ser uma delas? Pelo quê?
    Quem tá com o osso na boca não larga de jeito nenhum. Inclusive o Montoya, que foi ejetado e saiu desdenhando pra se defender.
    Rubinho, te agarra no osso e rosna pro concorrente! Não ouve estes caras aqui!

    Agora, a Honda… enquanto a cúpula no Japão ficar palpitando, não tem futuro.
    Mas aguardem, vem aí as escuderias dos árabes endinheirados e cheios de pitacos.

  36. roger disse:

    Gostaria de aos meus 36 anos de idade ter feito o que ele fez, e ter ‘caixa’ para viver o resto dos seus putos dias sem pedir penico para ninguém.
    -O caso do Rúbis é um bom psicanalista, para ajudá-lo a entender que na profissão e na vida da gente tudo tem inicio, meio e fim.
    O cara pode ser ruim de fala, mas acerta e acerelera como poucos.
    Faltou estrela, e nem por isto ele deixa de ser acima da média!
    Alguém aqui tem uns milhõeszinhos na poupança prao resto da vida???

  37. jugger disse:

    ele sempre foi submisso… na Ferrari então… lembram daquele ‘brasileirinho contra o mundão todo…’?? é caracteristica dele se humilhar, ficar por baixo… Freud deve explicar…

  38. Rodrigo disse:

    Segue o link de uma brincadeira que o pessoal da Buzz está fazendo com o Rubinho.

    http://buzz.globo.com/buzz/tag/bate-nele-rubinho/

  39. Itamar Morais disse:

    É a chance ganhar uma 500 milhas, ganhar um campeonato e ser um dos grandes da história. O mundo não acaba na Fórmula 1.

  40. Luiz G disse:

    ops….eu quis dizer “vida inteira pela frente”…

  41. Luiz G disse:

    Olá capelli, ideológicamente, eu concordo com você, por outro lado, eu entendo que o Barrichello saiba que depois que deixar a F1, terá uma inteira pela frente sem a F1, logo, o momento de viver a F1, que é o que ele gosta, é agora.

    É muito fácil a gente dar uma de torcedor orgulhoso e dizer que um ou outro piloto deveria se valorizar e ir embora, mas não somos nós que sentamos naquele carro e sentimos o que é estar na F1.

    Além do mais, tem o dinheiro. Onde Barrichello vai ganhar tão bem quanto na F1 ? Ele tem uma familia pra criar e acredito que deseje dar o melhor que puder para a familia.
    Mesmo a F-Indy, ouvi dizer, não paga tão bem quanto a F1.

    Eu nunca entendi ao certo porque Barrichello nunca deu chances reais à F-Indy, mas acho que tem a ver com o fato de que ele ainda não se conformou em não ter se tornado campeão….Porém, não o conheço, logo, o motivo pode ser completamente diferente disso tudo.

    Abraço!

  42. Rodrigo disse:

    Rubens deveria se dar o proprio respeito….e não tomar essa atitude ritiicula que esta tomando…acho sim que ele deveria dar uma banana para formula 1 mas como estamos acostumados a ver pelas atitudes dele no decorrer dos anos….ele esta sendo mais uma vz um BANANA…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>