MENU

12 de outubro de 2008 - 2:09Análises

Rapidinhas – GP do Japão


- Segunda vitória consecutiva de Fernando Alonso, que mais uma vez demonstrou imensa competência ao levar um carro não tão confiável ao primeiro lugar, à frente de adversários muito mais bem equipados, como Robert Kubica e Kimi Raikkonen. A conquista do espanhol, contudo, fica diminuta perto da importância das patuscadas protagonizadas pelos líderes do campeonato, que também tiveram influência no resultado final da prova.

- O campeonato de 2008 ficará marcado como um dos poucos em que os candidatos ao título abusaram dos erros. Lewis Hamilton já tinha feito das suas, Felipe Massa também, e no Japão ambos confirmaram a impressão de que são por demais instáveis, apesar de talentosos.

- A maluquice de Hamilton na primeira curva, brigando pela liderança como se precisasse urgentemente do resultado, comprometeu toda a sua corrida. Não havia a mínima necessidade de uma disputa de posição com Kimi Raikkonen do modo como ocorreu, fritando pneus, perdendo o ponto de freada, escapando da pista e levando consigo o adversário.

- O inglês precisa esfriar a cabeça e parar de assumir riscos desnecessários. Liderando o campeonato, continua cometendo erros capitais, como no ano passado. Largando em primeiro, com Felipe Massa em quinto, perdeu uma grande chance de encaminhar o título mundial. A lição, ao que parece, não foi aprendida.

- Ainda que tivesse perdido uma ou duas posições na largada, teria toda uma corrida pela frente. A velha máxima continua valendo: “Não se ganha uma corrida na largada, mas é muito fácil perdê-la.”

- Felipe Massa, porém, colaborou com Hamilton no momento em que também exagerou quando não aceitou ser ultrapassado pelo inglês, também nas primeiras voltas. É lógico que Felipe, em desvantagem na tabela, precisa assumir mais riscos, mas a manobra feita por sobre o adversário, empurrando-o com as quatro rodas fora da pista, foi por demais exagerada. O brasileiro teve muita, mas muita sorte em não danificar o carro e poder permanecer na corrida.

- Depois do erro e da justa punição por provocar o acidente, fez uma prova brilhante. Com a faca entres os dentes, foi o piloto mais rápido da pista – muito mais rápido, aliás – e foi subindo posições até atingir uma merecida oitava posição, garantindo um ponto.

- É verdade que, no meio do caminho, o brasileiro envolveu-se em outro toque, agora com Sebastien Bourdais. Neste caso, porém, não acho que tenha cometido um erro grave. Não tinha muito a perder, precisava ganhar a posição do francês, sob pena de comprometer sua recuperação. Terminou por comprometer do mesmo jeito, mas não me pareceu um acidente acintoso – como o com Hamilton – e, mesmo com a direção de prova informando que comissários avaliarão o acidente depois da prova, não creio em punição. Pareceu uma disputa normal de corrida.

- Aliás, disputa normal de corrida me pareceu também a largada de Lewis Hamilton. Ele e Kimi Raikkonen se estranharam, acabaram fora da pista, mas não me pareceu algo digno de punição. Os comissários foram rigorosos demais, mais uma vez com a McLaren.

- O ponto conquistado por Felipe Massa foi de suma importância. Agora seis pontos atrás de Hamilton – que terminou a prova apenas em 12º -, ainda precisa tirar uma diferença considerável em apenas 20 pontos a disputar. A manutenção dos sete pontos, entretanto, faria com que a McLaren dependesse apenas de si mesma para ser campeã por antecipação na China.

- Vamos à matemática: em caso de vitória de Hamilton em Xangai, com Kovalainen em segundo, Felipe Massa ficaria 11 pontos atrás mesmo que chegasse em terceiro. Com dez a disputar, seria fim de campeonato. Agora, mesmo que este cenário aconteça, Felipe ficaria 10 pontos atrás. A vantagem ainda seria grande o suficiente, mas não garantiria metematicamente o título na China. Se Felipe vencer em Interlagos e Hamilton não pontuar, os dois empatam em pontos e o brasileiro é campeão por ter uma vitória a mais.

- A recuperação impressionante de Felipe, forçando tudo em busca de um ponto, pode trazer problemas a ele no GP da China, na próxima semana. Era a primeira corrida do motor do brasileiro, que tinha usado um coringa na Itália. Assim, ele fica obrigado a repetir motor em Xangai para não perder posições no grid de largada. E, sem ter poupado o propulsor por um minuto sequer, rodando muito provavelmente no giro máximo o tempo todo, a confiabilidade – que na Ferrari já não é lá essas coisas – fica muito comprometida.

- Hamilton terminou o dia como o grande derrotado. Saía da pole, tinha o adversário quatro posições atrás e poderia ter aberto uma vantagem bem mais confortável no campeonato. Fez lambanças, foi abalroado por Felipe e viu o adversário marcar um ponto. Ainda tem uma boa vantagem, mas perdeu uma grande chance de incrementá-la.

- A corrida, cheia de alternativas, teve outros personagens além dos dois lambões candidatos ao título. Vamos a eles.

- Robert Kubica, segundo colocado, ainda tem chances matemáticas de ser campeão. A 12 pontos de Hamilton, precisa vencer as duas corridas finais e torcer para que o inglês marque, no máximo, sete pontos. E Felipe Massa não pode marcar mais que 13. Improvável.

- Kimi Raikkonen, terceiro, fez mais uma prova mediana. Foi protagonista por poucos metros, quando avançou bem na largada e tentou assumir a ponta, antes de ser atacado por Hamilton e sair da pista. Dali para frente, foi apagado.

- Nelsinho Piquet, que chegou num excelente quarto lugar. Contudo, comparado com a vitória da Fernando Alonso, o feito tem pouco significado. Não acho que seja suficiente para manter seu emprego para o ano que vem. Pelo menos, voltou a andar bem.

- Rubens Barrichello não fez grande coisa na corrida – com a Honda, também fica difícil -, mas mostrou disposição ao lutar com unhas e dentes com Nico Rosberg. Não aceitou fácil uma tentativa de ultrapassagem do alemão e fechou a porta corajosamente. Mas resultado que é bom, nada. 13º, ao menos à frente de Jenson Button.

- Mundial de pilotos: Hamilton 84, Massa 78, Kubica 72, Raikkonen 63. Matematicamente, o atual campeão do mundo está fora da briga pelo título. A F1, em 2008, terá um terceiro campeão diferente em três anos consecutivos. Fato que não acontece há mais de dez anos, quando houve quatro seguidos: Michael Schumacher (1995), Damon Hill (1996), Jacques Villeneuve (1997) e Mika Hakkinen (1998).

- Entre os construtores, a Ferrari reassumiu a ponta: 141, contra 135 da McLaren. A BMW tem 128.

- Como no ano passado, Lewis Hamilton pode ser campeão antecipado em Xangai. Para isso, precisa vencer e torcer para que Felipe Massa chegue, no máximo, em quarto lugar. Se for segundo, Felipe pode, no máximo, ser oitavo. Se for terceiro, Felipe não pode pontuar. E se for quarto, o campeonato continuará aberto. Para ser campeão, Massa precisará levar a disputa para o GP do Brasil.

- Campeonato excelente, recheado de boas corridas. O GP do Japão não foi exceção.

Comentários do Facebook

comentários

20 comentários

  1. Fábio Mota disse:

    Capelli, Concordo que é difícil o Kubica ser campeão, mas mais pela falta de rendimento da BMW. Olha qwuantos pontos Hamilton e Massa fizeram nas últimas 2,3 provas.
    Eu bem que queria ver o polonês campeão, os dois 1ºs colocados estão errando demais.

    Fábio Mota

  2. Anonymous disse:

    claro eles naum podem ver um belo carro nos pontos
    tem que deixar as feiuras na frente

    para que ter que demitir bourdais
    paar eels se contentarem com um suiço mediocre(buemi),um sobrinho que acha que é igual ao tio(B Senna)que amrela a lá LH,UM batedor de carros(Sato)

    se continuar assim a TR vai repetir 2006 FATO!!!!!!

    cassio

  3. Anonymous disse:

    discordo de vc capeli

    quando disse que o feito do nelsinho teve pouco significado…

    mentira, teve bastante significado pois somando os pontos dos 2 pilotos consolidou a renault como 4 colocado no mundial de construtores.

    abraço

  4. splashandgopenalty disse:

    Não tem mesmo muito mais a comentar sobre as punições aplicadas ao Hamilton,principalmente do meio da temporada até agora.O critério usado para puni-lo não está sendo o mesmo para os outros,vide a corrida da Bélgica desse ano,no qual a FIA alegou vantagem conseguida pelo Hamilton ao cortar a chicane.Porém,como é que ficam todos os pilotos que se livraram da confusão ao usaram a área de escape da primeira curva?Segundo o que ela escreve,,eles deveriam ter sido punidos,não?E,pra piorar,hoje foi usado o mesmo peso da puniçãa para ações diferentes.Como sempre,foi incoerente,a FIA.

  5. Ricardo Reno disse:

    Capelli,

    É moleza correr com faca nos dentes quando não se tem nada a perder. Por mim enviava os dois de volta ao kart.

  6. Anonymous disse:

    Poh Capelli, tu me dizer que o Felipe tinha que recolher o carro pro Hamilton passar naquela curva…então vou assistir golf, não tem risco nenhum, naõ tem emoção, fala sério, isso é automobilismo.

  7. Bruno McLaren disse:

    Hahaha! E ainda tem gente que diz que a culpa pelo acidente foi do Hamilton… É dose! A culpa pelo acidente em Adelaide 94 foi do Hill também… Em Jerez 97, do Villeneuve. Em Suzuka 89, do Senna. Em Suzuka 90, do Prost. Afinal, quem manda tentar passar? É proibido!

    E as punições foram as mesmas para Hamilton e Massa. O inglês não bateu em ninguém, enquanto o brasileiro bateu, deliberadamente, no seu rival direto pelo título. Nas entrelinhas a FIA está dizendo: “Vai ser passado pelo rival, terá a diferença de pontos aumentada, enfia o carro no adversário, pois assim você pode tirá-lo e receber uma punição que não será suficiente para comprometer toda sua corrida”. Ótimo! Mais um campeonato decidido fora das pistas.

    Puniram o Bourdais ainda… Hahaha! Era de se esperar, afinal, trata-se de uma Toro Rosso querendo andar na frente de uma Ferrari. Não pode!

    Mas não tem problema. Em 2006 também sacanearam a Renault proibindo os amortecedores de Massa, puniram o Alonso em Monza, contudo, no fim o título ficou com a equipe francesa e o espanhol. Justiça ainda será feita! Em pleno Interlagos, que calar-se-á!

  8. Gabriel Pedreschi disse:

    Bourdais punido com 25 segundos
    Massa subiu para 7º

  9. Thiago disse:

    Sabe quando vc joga um simulador, coloca no nivel mais facil, larga em ultimo só pra ver quantos carros consegue passar na primeira curva?? pois é, Hamilton acha q ainda está nos simuladores. Ele é um ridiculo que acha que todos deverão abrir passagem pra ele!! Fica óbvio que se o Raikkonen não tirasse o pé na primeira curva, o acidente seria feio, pois todos os outros ficariam bloqueados, tanto é que o próprio Hamilton saiu da pista também. Outro fato não mostrado na transmissão foi q Hamilton voltou em terceiro disputando posição… adivinha com quem!? Alonso!… q deu um chega pra lá no Hamilton, por isso q o inglês perdeu posições e ficou atras do Massa. E o Massa fez certinho, tem q bater mesmo… todo mundo deixa esse inglezinho passar, como se ele fosse o dono da pista… e não é assim não…

  10. Alan McLaren disse:

    Fábio, como assim o "inglês foi sujo"? Lembra-se que o Raikkonen fez a mesma coisa com ele na Belgica?
    Naquela ocasião duvido que vc tenha defendido o Hamilton. Foi a mesma coisa, sendo que hj o Massa não aliviou pra não ser ultrapassado, tentou passar em cima da zebra e perdeu a frente do carro, levando o Hamilton com tudo.
    E digo mais, se era pra punir o Hamilton, então que dessem um Stop & Go pro Massa. O Hamilton não bateu em ninguém. E na hora de dar punições de 2347859023 posições no grid da etapa seguinte ao Hamilton, parece que a FIA esqueceu desse tipo de punição e não aplica ao Massa.

    Também era perfeitamente cabível(Hamilton x Raikkonen – Canadá, por exemplo), mas pelo visto a FIA faz tudo pra manter esse campeonato "vivo" até o Brasil…

  11. Erico disse:

    A manobra do Massa sobre o Hamilton foi amadora, desonesta e desesperada. Ele estava atrás e mais devagar e simplesmente fez o que pode (inculsive usar a grama) para causar a colisão ao invés de admitir que foi ultrapassado. Coulthard recebeu todas as críticas por seus vários acidentes e incidentes este ano, apenas a hipocrisia pode fazer com que o Massa não receba a sua parte. A acidente com o Bourdais depois atesta a bagunça em que estava cabeça do Massa na prova.

  12. terramex disse:

    Me parece que o Massa aprendeu bastante coisa com o Dick Vigarista “Schumacher”, né?

  13. Rianov Albinov disse:

    Tá certo que as duas vitórias de Alonso foram em circunstâncias especiais, mas, ao meu ver, ele é hoje, o melhor piloto do certame.
    Falei besteira?

  14. thiago disse:

    sobre o comentário dos “Lambões” …

    Que o Hamilton foi lambão parece ser verdadeiro mesmo …

    Que o Massa é inconstante … tb não há dúvida, apesar de nessa temporada ter evoluído um bocado …

    Mas dizer que a manobra do Massa contra hamilton foi tb lambança significa chamar Schumacher, Senna, Proust e talvez Alonso de tb lambões … Já se imaginou como o Schumacher reagiria àquela ultrapassagem de um adversário seu na disputa pelo título? Alguém duvida que seria diferente? Lembrar de Senna e Proust nesse caso é bem elucidativo… Se por aquilo Massa é um lambão, então todos esses são … GRANDIOSOS LAMBÕES!

  15. Anonymous disse:

    Massa e Hamilton vao se matando e se esquecem do Kubica!Eu sei q e dificil ,mas vai saber,uma virada historica igual do Iceman ano passado!
    Shindi Uehara.Japao

  16. Fabio Almeida disse:

    Revi o lance do toque do Massa e Hamilton. O inglês jogou sujo, ultrapassou e não deixou lugar pro adversário na pista. Massa foi pra grama na primeira, mas na segunda não tinha jeito. Parabéns ao Massa, há muito tempo alguém precisava pegar mais pesado com o garoto mimado da FIA.

  17. Fábio Andrade disse:

    A corrida foi divertida, mas a seqüência de punições na F-1 está se tornando algo irritante. Não vi motivos para punir Hamilton pela manobra da largada.

  18. Anonymous disse:

    PESSOAL, vejam o replay da largada. O Kovalainen vai reto propositalmente para fechar o Raikonen!!! Eh claro as imagens. Quando ele volta pro pit depois do engine blow o Ron Dennis passa a mao na cabeca como que dizendo “bom trabalho na largada”. Video aqui: http://www.f1fanatic.co.uk/2008/10/12/hamilton-and-raikkonens-fuji-
    clash-the-penalty-they-got-wron-video/#comments

  19. Felipe disse:

    pqp… cada vez mais estão trabalhando pra tornar a f1 monótona… a cada disputa de posição aparece: “incidente será analisado… blá, blá, blá”… que saco… pra mim, tudo que aconteceu hj foi situação de corrida… ninguem merecia ser punido…

  20. Saraiva disse:

    Muito bons seus comentários (como sempre), contudo, acho um erro dizer quer o Alonso tinha “adversários muito mais bem equipados, como Robert Kubica e Kimi Raikkonen”. A Rennault já mostrou sua evolução, e o Alonso chegou a abrir 13 segundos de vantagem pro Kubica na corrida. Ele não faria isso se tivesse um carro ‘muito menos equipado’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>