MENU

6 de novembro de 2008 - 8:23Análises, Notícias

Dupla renovada

Foto: Divulgação Renault

Foto: Divulgação Renault

Como já indicavam os sinais vindos do paddock, a Renault anunciou a renovação da dupla de pilotos Fernando Alonso e Nelsinho Piquet para 2009. A notícia é boa para o brasileiro, que vinha há bastante tempo cercado de rumores de demissão.

A temporada de estréia de Nelsinho pode não ter sido um terror como as primeiras corridas denunciavam, mas com certeza passou longe do que a Renault – e ele próprio – esperavam. Sua performance foi recheada de altos e baixos, como até é de se esperar para um estreante. O problema é que os altos foram poucos e nem tão altos, enquanto que os baixos foram muitos, e bem baixos.

Seu grande destaque na temporada foi o GP da Alemanha, quando obteve um belíssimo segundo lugar mas que, apesar de merecido, teve grande contribuição da sorte, graças à regra maluca do box fechado. E, ao mesmo tempo em que também andou bem na França, na Hungria e no Japão, cometeu erros sucessivos, não terminando sete das 18 corridas em acidentes ou rodadas. Convenhamos, uma taxa de quase 40% de abandonos por erros é uma marca para De Cesaris nenhum botar defeito.

Nelsinho vive as dores e as delícias de ter um sobrenome famoso. Se isso por vezes é um fardo – a primeira temporada foi entendida como decepcionante principalmente pela expectativa criada pelo nome Piquet -, em outras serve de credencial. E a renovação me parece mais uma conseqüência da perspectiva do que pode vir a fazer do que uma recompensa por um trabalho convincente. Em bom português, Nelsinho está recebendo uma segunda chance da Renault. E segunda chance, convenhamos, é privilégio de poucos na Fórmula 1. Se seu sobrenome fosse outro, provavelmente estaria procurando emprego.

Comentários do Facebook

comentários

37 comentários

  1. Burdé disse:

    Obrigado Capelli, não imaginei que poderia estar correto, digitei assim somente pelo costume com a escrita inglesa de Singapura, ou Cingapura.

  2. Tene Cheba disse:

    Engraçado que eu fui expulso do blog do Lívio, Estadão, por criticá-lo sobre sua falta de visão crítica quanto aos nossos pilotos, em potencial.Bom, tudo muito leve em relação ao Massa e Piquet, Massa perdeu porque é médio, sua escuderia foi a campeã no de construtores, quando uma escuderia foi campeã e não levou a de pilotos, poucas vezes, mas ninguém comenta.Piquet, simplesmente, não merece comentários.

  3. Burdé disse:

    Não se trata de desculpa de perdedor, aliás nem torço para o Massa e muito menos para Hamilton e Alonso, meu piloto era Nélson Piquet, o pai. Depois dele, nunca mais gostei de nenhum, embora reconheça a habilidade de todos os outros.

    E a justificativa é a mesma para a vitória do Kovalainen, sem o estouro do motor do nosso compatriota ele teria ficado em segundo, o que era completamente iminente, já o fato do Hamilton ter sido campeão não se deve aos azares de Massa, mas sim aos erros do conjunto Ferrari (Isso inclui Massa, Raikkonen, a equipe, a mangueira e etc…) e da regularidade da McLaren, fora a habilidade do piloto. Isso não é a mesma coisa que dizer que Alonso ganhou seus dois GPs na sorte (vai dizer que o mesmo utilizou de toda a sua habilidade para vencer?), assim como Kovalainen ganhou na sorte na Hungria.

    Por isso que eu não acredito que com o melhor carro ele faria nossos domingos sonolentos novamente, pois até agora criou-se uma falsa impressão de que ele conseguiu mais pontos que os demais concorrentes por puro talento, até porque se formos analisar as circunstâncias (em que o espanhol conseguiu esses pontos), eu nem precisaria falar nada.

    E mesmo que Alonso fosse tão superior aos demais, lembre-se que até Michael Schumacher teve seu reinado ameaçado com o melhor carro do grid.

    P.S.: Eu escrevei “Singapura” dessa maneira pois em inglês se escreve Singapore e eu me confundi, peço perdão se isso te ofendeu (foi o que pareceu).

    • Capelli disse:

      Burdé, tanto “Cingapura” quanto “Singapura” são aceitos em português do Brasil, embora a forma preferencial seja com “c”. Você não errou.

  4. andré disse:

    “O fato dele [alonso] ter marcado mais pontos, se deve ao azar de Massa com a tal mangueira em Singapura, e o fato dos dois postulantes ao título terem se enrroscado no Japão. ”

    that’s racing. esse tipo de justificativa não cola. se formos querer justificar o fato de um piloto marcar mais ponto que outro com base nesse tipo de argumento, poderíamos dizer: “o fato de hamilton ser campeão se deve ao azar de massa com a tal mangueira em cingapura (sim, é com C mesmo)”. pra mim, isso é desculpa de perdedor.

  5. Burdé disse:

    Kik0, não quis dizer que o Schumacher teve todos os méritos em todas as suas conquistas, muito pelo contrário. Em 1994, Schumacher tirou Damon Hill da corrida pra ser campeão, em 1995, não teve adversários a altura, mas foi campeão com méritos, em 2000, lutou contra Mika Häkkinen (Que também não estava à altura, mas tinha um carro excelente, pena que pouco confiável) e venceu, em 2001, venceu por méritos próprios, mas também por falta de adversários, em 2002 e 2004 venceu, pois o carro andava sozinho, e em 2003 venceu com a ajuda do Barrchello.

    O que eu quis dizer, é que todos tem “endeusado” o Alonso de forma exagerada, ele não é isso tudo não (é bom piloto, mas não está a quilômetros dos demais). Em 2005 seu carro era muito superior aos outros e tinha Fisichella como companheiro. Raikkonen no mesmo ano tinha um carro (pouco) pior e lutou pelo título. Já em 2006 o carro continuava implacável, porén a FIA (esperta que só ela), baniu os amortecedores de massa, e a Renault perdeu seus segundos a mais em relação aos demais carros do grid, foi assim que Michael Schumacher (e o Massa, sim o Massa! Que inclusive ganhou na Turquia e no Brasil e conseguiu pódios em diversos outros GPs) começou a se aproximar com um carro equivalente.

    Por essas e outras é que eu não acredito que se dessem ao Alonso uma Ferrari ou uma McLaren, veriamos um monopólio parecido com o da “Era Schumacher”, na F-1 temos pilotos de nível equivalente. O fato dele ter marcado mais pontos, se deve ao azar de Massa com a tal mangueira em Singapura, e o fato dos dois postulantes ao título terem se enrroscado no Japão. Fora a clara melhora do R28, que superou a Toyota e a BMW de vez.

    Espero que tenha entendido meu ponto de vista.

    Abraços

  6. Luiz Sergio disse:

    Na GPII, o destaque da temporada não foi o campeão nem o vice, foi um piloto que chegou no meio do campeonato e conseguiu chegar grudado no vice, quase arrematando o título.

  7. Luiz Sergio disse:

    É vamos ver a proxima temporada, essa segunda temporada foi sempre o forte do Angelo Piquet.
    Penso que o Sr Alonso, levou mais de sete decimos, levou vitórias e mostrou que pode disputar o título o ano que vem.
    Pela experiencia traumática na Mclaren, Alonso na Renault não ajudou em nada o seu companheiro na equipe.
    Para o Angelo Piquet: tenha um engenheiro de corridas, que você confie plenamente, siga o exemplo do Felipe Massa, que se impos na equipe Ferrari pedindo a substituição do engenheiro.

  8. andré disse:

    Não entendo as pessoas que reclamam tanto de pilotos que exigem companheiros de equipes ruins. Vou listar só os mais recentes que fizeram isso: Senna, Mansell, Prost, Schumacher, Alonso e Hamilton. sim, Hamilton. Ou vocês acham muito normal um piloto não ficar nem em quarto no campeonato, dirigindo uma Mclaren? Kova é muito ruim.

    Ter companheiros ruins é algo que eu diria ser até mesmo necessário para todo excelente piloto de F1 mostrar seu talento . Quando caras de altíssimo nível correram pela mesma equipe, as coisas desandaram. Só não na era Senna/Prost, porque a Mclaren de então era simplesmente de outro mundo – não tinha concorrente.

    Se Alonso teve dedo nessa decisão (renovação de Nelsinho), ele fez muito bem. Vejam o desempenho do espanhol nesse ano: na segunda metade do campeonato, foi o cara que mais pontuou. E isso com o terceiro ou quarto melhor carro do grid. Esse cara com o melhor carro seria pior para a F1 do que foi o Schumacher. Os domingos ficariam sonolentos novamente.

    Portanto, olhem mais para a história da F1 antes de jogarem pedra em qualquer piloto.

  9. Kik0 disse:

    Hahahahahaha… se vamos falar de escudeiros, o que virou o ex-Renault Kovalainen? Naum incomodou e nem vem incomodar o Hamilton. Isso ninguém comenta, né?

    Burdé… se for pra falar que a Renault andava sozinha, a Ferrari do Schumacher andou sozinha nos anos anteriores. O único carro que andava pra falar a verdade, e isso naum tira o mérito do Shumacher naum? Porque?

    Ah tá é o Schumacher, o intocável.

    Fala sério, argh!!!

  10. Burdé disse:

    Também concordo que a permanência do Nelson possa ter sido escolhida para que o Alonso tivesse um companheiro que não o incomodasse, aliás notaram como o asturiano não reclamou com ninguém esse ano?

    Uma história curiosa foi em 2004, quando Jarno Trulli, que estava dando um banho de água fria no queridinho da Renault, foi demitido sem mais nem menos para que um tal campeão no segundo ano de Fórumula 1, o tal de Chicane Ambulante, fosse contratado. E todos nós sabemos como havia sido as temporadas anteriores dele né?

    Pelo menos vamos esperar que o N. Piquet Jr. tente melhorar, para pelo menos pontuar… Espero que não seja demitido se superar o Sombrancelhudo (difícil).

    Dos comentários, só não concordei com isso:
    “ele é o melhor piloto no Grid desde 2005, quando deram a ele um carro que andasse, e não uma Minardi”

    Não adianta falar, Alonso foi campeão com um carro que andava sozinho, e estava sendo novamente em 2006, porém baniram a “arma secreta” (mass dampers, ou os amortecedores de massa) da Renault e o que aconteceu? Michael Schumacher se aproximou rapidamente dele e só não ganhou o Campeonato por azar e falta de mais GPs. Mas é claro, comparar Schumacher com Alonso é covardia. (Nunca fui torcedor do Schumacher, não venham confundir as coisas).

    Sendo assim, em 2005 e 2006, o melhor piloto do grid continuava sendo Michael Schumacher, já em 2007 e 2008 acredito que tenha sido mesmo o Alonso, mas por ser o mais completo, não por ser “gênio”, pois não vi nenhum gênio na F-1 após M. Schumacher… Rubinho seria gênio (guiava carroças de forma estupenda, carroças de verdade – também não sou fã do Barrichello, mas reconheço sua habilidade), mas faltou a vontade de vencer.

    Parabéns pelo blog… Pena que as charges se foram.

  11. João Pinho disse:

    Obrigado!

    Espero que a dupla de pilotos de testes seja Grosjean/Parente, porque alguns KM’s de rodagem já seriam de grande valor para o “tuga” eheh

    Abraço

  12. Vitor, o de Recife disse:

    Douglas, o título de contrutores tem (ou tinha?*) uma diferença considerável para a equipe, pois é tendo como base a colocação neste campeonato que se dividem as fatias das cotas de patrocínio.

    * Estavam reaver a divisão das receitas, pois as equipes menores (leia-se independente) eram prejudicadas por este sistema. Mas até onde eu sei e acompanhei, a colocação no campeonato de construtores era a base para a divisão das cotas das transmissões da F1.

  13. Douglas disse:

    Concordo que a permanência de Nelsinho tem um dedo do Alonso, por não querer um companheiro combativo e sim um escudeiro. Não podemor criticar pois, além de Schumacher, Ayrton também não queria dividir a equipe com outro piloto forte. Acredito ser mais inteligente pois o que sempre tem mais destaque é o título de pilotos e não o de construtores.

  14. João Pinho disse:

    CAPELLI: e quanto aos pilotos de testes da Renault, há notícias ou ainda nada está confirmado?

  15. andré disse:

    alonso trouxe sete décimos pro R28, espero que traga mais sete pro R29, aí as coisas ficam mais fáceis pro nelsinho também.

  16. Fábio Caponi disse:

    Só está na F1 por ter o sobrenome Piquet… É muito fraco, enquanto seu companheiro de equipe desenvolveu muito o carro em 2008, fazendo muitos pontos no final, Nelsinho cansou de sair, rodar e bater absolutamente sozinho durante a temporada… Se o Vettel estivesse na Renault iria incomodar muito mais…
    Piquezinho é muito fraco…

  17. Michel disse:

    Agora, quanto ao Piquet Jr., se há este histórico de demora de adaptação a uma nova categoria (como foi dito acima), vamos dar 1 voto de confiança e aguardar 2009.

    Mas que ele saiba que é tudo ou nada. O Briatore está longe de ser burro, e o De Grassi está pronto para assumir o cockpit.

  18. Lucas Israel disse:

    Na próxima temporada ele pode até melhorar, mas com as pressões da ala francesa da equipe, se o Grosjean fizer uma temporada sem as m***** que fez esse ano na GP2 dificilmente Piquet se manterá na equipe em 2009.

  19. Michel disse:

    “Um balde de água fria em quem queria ver ele pilotando uma Ferrari logo(eu incluso)?”

    Não, por favor. Uma Ferrari com Alonso e Vettel (que fez mágica e miséria com uma STR), por exemplo marca 300 pontos numa temporada.

    Nada contra o Alonso, mas é visível que é o melhor piloto em termos técnicos. Se já dá calor nos adversários com uma Renault, então…

    Em termos de competitividade, o Alonso na BMW cairia como uma luva, pois com sua regularidade iria obter melhores resultados.

    Agora, ponha o Alonso na Rossa, e teremos uma nova era de monopólio.

  20. Diego - Floripa/SC disse:

    Vamos ver o Piquet em 2009, apostei nele no começo do ano e fiquei um pouco decepcionado, mas vamos ver como se sai nessa raríssima segunda chance. E Capelli, o que você achou da notícia do contrato até 2010 na Renault? Um balde de água fria em quem queria ver ele pilotando uma Ferrari logo(eu incluso)?

    E vai rolar ao menos um Rádio GP especial de fim de ano? Faz falta o programa.

    Abraço

  21. Ron Groo disse:

    Andou muito bem a Reanult.
    Garantiu um bi-campeão do mundo e um moleque que ao meu ver ainda tem futuro…
    Só tem que melhorar o carro agora.

  22. Vitor, o de Recife disse:

    Fernando Viguê, o teste do Loeb não faz parte apenas de um evento de marketing? Ele já andou com a Renault, se não me engano, mas nada sério.

  23. Jobson disse:

    Eu já esperava a confirmação de Nelson A. Piquet na Renault, assim como espero Sebastien Bourdais na Toro Rosso.
    Os novatos do ano, tiveram muitas dificuldades, mas ficou claro que ambos merecem uma nova chance. 2009 muda tudo no regulamento e eles podem surpreender.

  24. Renato Rolim disse:

    Piquet tem um histórico de toda primeira temporada em novas categorias, ir mal. Pelo menos é assim desde a F-3 Inglesa.

    Veremos agora na F1.

    Mas o certo mesmo, é que ele continuou por conta do sobrenome.

    O próximo beneficiado pelo nome, será Bruno Senna, que deve arrumar um lugar na HONDA. Infelizmente, pois Di Grassi até hoje, foi muito mais piloto que o sobrinho de Ayrton Senna.

  25. Aderson Pereira disse:

    Eu acredito que a permanencia dele foi mais pela “força” que o Nelsão e o Bernie Eclestone deram. O chamado “mexer os pauzinhos”.
    O que mais me decepcionou com o Nelsinho foram as corridas que fez em pista molhada.
    Depois de dar um show no GP da Hungria (GP2) sob chuva forte, ganhando as duas baterias.
    Esperava mais dele em nessas condições.
    Aquaplanou na Inglaterra por 2 vezes, passou a roda na tinta branca e rodou na Belgica (somente ele fez isso) e no Brasil foi aquela caca no S do senna.
    A pista estava um sabão pra quem fizesse pelo traçado normal e ele inventa de ir por fora (lado sujo) e acelerando forte. Deu no que deu né? Não completou nem a primeira volta.

  26. roger disse:

    -Com indas e vindas,,,esta tudo aí em cima…porém não concordo com a comparação com o di Cesaris (ele dava porrada para caraiii) e isto pelo menos o N.A.P não foi destaque…
    F1 é marketing, se ficou por ser Piquet que bom, tem mais gente estreando com sobrenome…que seje!!!!
    Pena prao Grassi que quero vê-lo logo pra tirar minhas dúvidas.

  27. PG disse:

    Lima, não é a primeira que um piloto é mantido numa equipe por não fazer ameaça ao número 1. Pra não ir longe, lembro apenas os escudeiros de Senna e Schumacher.

    Não sei se foi aqui no blog do Capelli que li uma nota sobre o fato de ser a primeira temporada em que todos os pilotos que começaram o Mundial terminaram. Ops, mas e a Super Aguri, que abandonou o campeonato deixando seus pilotos a pé?

  28. Valmir Passos disse:

    Lamento pelo Di Grassi. Muito melhor que o Nelson, merecia uma chance numa equipe de ponta. Infelizmente, não tem sobrenome nem tanta grana. Piquet filho fez uma temporada decepcionante.

  29. Fernando Viguê disse:

    Bom dia, Capelli.

    Acho que nem é o nome Piquet que o fez ficar na Renault e sim a grana Piquet. Obviamente que o nome puxa muito pa(i)trocínio para a equipe em que este garoto estiver, mas tem nomes muito melhores disponíveis no mercado. Lucas Di Grassi é um exemplo, o próprio Giorgio Pantano é outro, Sebastien Löeb parece que vai testar pela RBR ou STR, não me lembro exatamente, Bruno Senna é um excelente piloto (bastou vê-lo pilotar na chuva pela GP2 para dar arrepio na espinha).

    Concordo com a opinião do amigo Antônio acima. Piquet hoje, infelizmente, é ameaça zero para o queridinho da Renault, Fernando Alonso. Não estou com desdém para cima do asturiano (ele é o melhor piloto no Grid desde 2005, quando deram a ele um carro que andasse, e não uma Minardi) pois o considero muitos anos-luz na frente de qualquer outro piloto. Mas é muito melhor manter um piloto que sabe-se que sofre de pressão por todos os lados pelo seu nome do que colocar um piloto extremamente promissor, que é muito rápido e que a equipe adora (Di Grassi).

    Acredito que o Flavio Briatore tenha pensado no seguinte: Fernando Alonso é o primeiro piloto. Fato. Vamos manter o Piquet como segundo piloto, pois assim o Alonso não sofrerá com o companheiro de equipe e ele vai conseguir um bom resultado ali e aqui para ajudar a equipe. Por fim, mantemos Di Grassi como piloto de testes para desenvolver o carro, pois já não é dúvida de que ele é muito bom nisso.

    Abraços.

  30. Vamos ser sinceros, rapaziada…

    O Antonio aqui em cima está coberto de razão. É a primeira vez que eu vejo um piloto na Formula 1 manter o seu lugar porque é medíocre e não pode oferecer resistência ao seu companheiro.

    O Estreante Heikky Kovalainen fez 30 pontos em 2007 (O Júnio fez 19, esse ano!) e corridas soberbas, como as de Fuji e Hungria. O que aconteceu? Foi metido no bolo da negociação que resultou na saida do Alonso da McLaren. No fundo, deu uma tremenda sorte.

    Ponha o Di Grassi nesse carro. o Garoto tem boa experiência como piloto de testes, sendo convidado, todo ano, para testar e desenvolver os carros da GP2 além do que a sua temporada na GP2 desse ano foi excelente. Se ele tivesse entrado no início do campeonato eu não tenho dúvidas de que teria vencido.

    Eu tenho certeza de que ele seria muito mais valioso para a equipe do que o “average” Piquet.

    Abandonar 7 vezes, mais de um terço da temporada, sem qualquer problema mecânico, para mim é demais…

    Abs.

  31. Antonio disse:

    Esperto esse Alonso, hein? Não quer competição dentro da equipe…….

    Tomara que o Piquet Jr. “acorde”.
    Chega de “escudeiros” brasileiros!

    Abraço.

  32. Cristiano disse:

    Engraçado, o Alonso ganhar duas corridas do jeito que ganhou, é talento. O segundo lugar do Piquet, é sorte. Só que a sistemática não foi assim tão diferente…

  33. Definitivamente ficou muito mais pelo sobrenome famoso do que pelo resultado apresentado. Teve todo suporte da equipe desde 2007 pra aprender a guiar o carro, testar, estava muito mais habituado ao R27 e por dentro do R28 do que o Alonso, e mesmo assim chegou a dar pena a apresentação dele. Depois daquele “sorry guys” de Cingapura acreditei que ele ia procurar refúgio em outra equipe “emprestado” pelo Flavio.

  34. Jonas disse:

    Com certeza o sobrenome pesou demais na decisão. Kovalainen, que não é lá essas coisas, fez uma temporada de estréia muito melhor numa renault muito pior, não terminando apenas a última corrida de 2007. O “Piquetzinho” me parece fraco demais para a Fórmula 1. Estou com o parceiro de leituras aí de cima: Lucas di Grassi sim, esse merece um lugar ao lado de Fernando Alonso. Pelo menos a gente ia ter certeza que não ia rolar um banho de 18×0 em classificações…

  35. julio disse:

    se não fosse Piquet teria sido substituído no meio do ano, ele pode melhor agora mas pelo que ele demonstro esse ano ele não teria como renova o contrato, eu se fosse a renault teria ficado com o Di Grassi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>