MENU

25 de março de 2009 - 15:59Curiosidades, História

7, outro número maldito

Foto: Divulgação/Renault

Foto: Divulgação/Renault

Enquanto por aqui discute-se a curiosidade do número 21 de Rubens Barrichello ser aquele com menos vitórias na Fórmula 1, na Espanha faz-se o mesmo com Fernando Alonso. O Diário AS fez um levantamento e descobriu que o 7, destinado ao asturiano pela Renault, é um algarismo que nunca conquistou um título mundial.

De 1974 para cá, quando a numeração fixa por temporada foi adotada, apenas dez diferentes números conquistaram títulos: nove vezes o 1, oito vezes o 5, três vezes o 2, o 6 e o 11, duas o 3, o 8, o 12 e o 27 e apenas uma vez o 22, com Lewis Hamilton, no ano passado. Dos números formados por um algarismo, apenas o 4, o 7 e o 9 nunca foram campeões. Más notícias para, além de Alonso, Kimi Raikkonen e Jarno Trulli.

Mas ainda existem outros indícios piores para o 7, segundo o AS. Pelo levantamento feito, 79 diferentes pilotos correram com este número e somente 12 conseguiram vencer corridas. Num total de 680 corridas, escassas 27 vitórias. Adicionando agora curiosidades capellescas, foi com o 7 que Alain Prost perdeu o título mundial para Niki Lauda em 1984 na última corrida. Jean Alesi, com a competitiva Benetton, não conseguiu vencer com o número 7 na temporada de 1997. Nigel Mansell usava o mesmo número quando foi demitido pela McLaren em 1995, encerrando sua carreira. Também na McLaren, Michael Andretti fez uma temporada desastrosa com o 7 em 1993 e foi para o olho da rua antes do fim do campeonato.

Sorte de Nelsinho Piquet que a Renault atribuiu a ele o número 8.

Comentários do Facebook

comentários

33 comentários

  1. Renan Martins Frade disse:

    @Hamilton

    De tempos em tempos, equipes sumiam e dava para dar um “jeitinho” na numeração. O 7 e o 8 eram, desde 1985, da Brabham, que havia recebido a numeração da campeã de 1984, McLaren. Nos anos seguintes, a McLaren correu com 11 e 12, 1 e 2 e 27 e 28. Em 92 a Williams foi campeã e deveria repassar mesmo o 5 e 6 para a McLaren, mas Ron Dennis deve ter entrado em algum acordo com a FIA pedindo o 7 e 8 novamente, já que a Brabham havia falido. Vai ver que Dennis preferia estes números ou a própria FIA não queria mais ver uma numeração baixa sem ser utilizada. O 5 e 6 passaram para a Benneton, que havia crescido muito e ainda tinha uma numeração alta.

  2. Kamikaze disse:

    Pelos menos, Barrichello escapou do “24″, hehehe.
    Curiosidade: em 1993, Christian Fittipaldi usaria o numero 24. Pediu para ser o 23. E o 24 ficou com o companheiro da Minardi, Fabricio Barbazza.

    Menos “sorte” teve o tio, Emerson: Em Watkins Glen 1970, Emmo correu com o 24. Pelo menos, venceu.

  3. Kamikaze disse:

    Hamilton, durante muito tempo (1973 a 1995) a numeracao era +ou- fixa. Com excecao do 1 e 2, muitas equipes corriam com os mesmos numeros, o que facilitava bastante para o publico.
    Ken Tyrrel foi o primeiro a perceber a isso. Por isso, a Tyrrel corria com os numeros 3 e 4 (22 anos: recorde). A McLaren gostava de usar 7 e 8. A Williams usava 5 e 6 (antes usava 27 e 28). A Lotus 11 e 12. A Ferrari 27 e 28 (as vezes 11 e 12). A Brabham variava um pouco: ora 5 e 6, ora 7 e 8.
    Em 1996, Bernie & Max mataram essa “tradicao numerologica”.
    Antes era facil ver o numero do carro (+ou- 30 cm). E agora, se voce tem dificuldade de ver o numero do carro, nao se preocupe. Voce nao eh o unico. A FIA ordenou a reducao para 20 cm. Fazer o que, neh?! :(

  4. Ty G; disse:

    capelli, o barrichello agora vai ser o 23, a force india reclamou com a FIA e ficou com o 20 e 21, por causa q ja tinha feito todo marketing em cima desses numeros, a brawn ficou com 22 e 23, button e barrichelo! abs!

  5. Gláuber disse:

    Agora Barrica é 23! Tomara que dê sorte!

  6. Hamilton disse:

    outra dúvida:

    na troca de números em 1993, a McLaren pegou o 7-8 e a Williams, campeã, levou dela o 1-2 (no caso, 0-2). Mas a McLaren não devia ter ficado com o 5-6 da Williams? Por que não ficou?

  7. Hugo Becker disse:

    Não sei não, imagino que o Alonso pode se dar bem com o número 7. Mas ainda assim não quebrará a sina que mantém o tal número sem título mundial. Enquanto negocia com a Ferrari, vencerá uma prova aqui, outra ali… nada demais. O ano do Tri será 2010.

  8. Leonardo disse:

    Capelli,

    Gostaria de saber, afinal, de onde você tira essas informações?? Não é possível, você deve ter uma base de dados gigantesca pra cruzar o número do carro com o ano de demissão do piloto!!!

  9. PG disse:

    ROb,
    Fórmula 1 não é um esporte supersticioso?
    Ah vá. Então vai você pilotar o carro número 13.

  10. Robson Moraes disse:

    Capelli, Lewis Hamilton tem 13 letras.

  11. RT @f1brasil: Curiosidades: 7, outro número maldito na #f1 http://migre.me/e2f [Blog do Capelli]

  12. Curiosidades: 7, outro número maldito na #f1 http://migre.me/e2f [Blog do Capelli]

  13. Nino Barlini disse:

    Há uma pequena ressalva, Capelli: embora não tenha corrido o ano inteiro com esse número, na corrida em que o Surtees venceu o título, em 1964, ele estava correndo com o número 7.

  14. …Mas é interessante. Seria tambpém interessante saber se algum fora de série já vestiu o 7, daí poderia se explicar por que o número nunca ganhou nada…

    Em 95 o Mansel estava gordo
    Em 97 o Vileneuve tinha um carro de outro planeta
    Em 93 o Michael Andretti não era piloto para F1
    Em 84 o Prost perdeu um título por que se borrou em Mônaco, naquela famosa corrida em que o Ayrton fez o nome.

    Ponha Alonso ali com o 7 e veremos se a coisa não pode mudar de figura…

  15. ROb disse:

    Na Boa, uma grande perda de tempo essas supertiçoes sobre numeros.
    Formula 1 nao é nem de perto um esporte superticioso

  16. Renan Martins Frade disse:

    @Pablo

    Faltou explicar a McLaren com 27 e 28! Esqueci.
    Em 1990, Prost foi pra Ferrari, levando o 1 para os italianos e “dando” o 27 e 28 deles para a antiga equipe. Porém, Senna deu o troco no fim do ano, devolvendo o número alto para a Ferrari.

  17. Renan Martins Frade disse:

    @Pablo

    27 e 28 nunca foram números favoritos da Ferrari. Tanto é que, no começo dos anos 80, tentaram trocar com a Tyrrel, que tinha o 3 e 4.

    Na verdade, o número “clássico” da Ferrari era o 11 e 12. Porém, a Williams, de origem muito humilde e com os números 27 e 28, conseguiu o seu primeiro título mundial em 1980. Como a Ferrari era a campeã anterior, cedeu o 1 e o 2 para a Williams e recebeu os números da equipe inglesa, 27 e 28. Como depois vieram os anos de jejum, a Scuderia só se livrou deles quando mudou o critério de numeração.

    Já a Williams se consagrou com os 5 e 6 por causa do Nelson Piquet, que foi campeão com o 5 em 1981 e repassou este número para a Williams.

  18. Pablo disse:

    Esses levantamentos são interessantes, mas se fosse verdade, nunca que o 22 ganharia um campeonato como ocorreu em 2008.
    Se Button ou Barrichello forem campeões então 20 ou 21 entrarão na lista de números altos.

    O 27 só entrou antes por que era o número favorito da Ferrari e porque a McLaren o utilizou em 90.

    Agora duas curiosidades:
    Qual foi a equipe campeã que teve a pior posição entre os construtores no ano anterior?
    E em se tratando de pilotos?

  19. Pedronha disse:

    Eu já escrevi e vou escrever de novo.
    Se mandinga, macumba, numerologia, o cacete a 4 funcionasse…..campeonato baiano terminava empatado!!!
    Acredito em sorte? sim, claro…….mas em competência acima de tudo!

    O resto é desculpa de perdedor!

  20. Renan Martins Frade disse:

    Capelli, aproveitando o tema “números”, há alguns poucos anos a FIA tentou “recongelar” a numeração. Lembra de algo assim ou eu estou viajando?

  21. Rodrigo disse:

    caceta… agora entendi pq tô tão fodido na vida… nasci em 77… agora tá tudo explicado!

  22. Renan Martins Frade disse:

    Vale lembrar que o 1 só está bem nas estatísticas graças ao Schumacher. Entre 2001 a 2005, Schumi teve várias vitórias e conquistou quatro títulos com o número 1. Fora o de 1996, com o 1 na Benneton.

    Se “descontar” o efeito Schumacher, o número 5 é o maior vencedor da F1 e digno da melhor sorte. São 8 títulos!

    Sem os títulos seguidos do Schumacher na Ferrari, o númer 1 teria 5 títulos, o que é pouco se considerarmos que ele é sempre destinado ao campeão anterior. Isto prova a força do Schumacher e da Ferrari no começo da década.

  23. Olá Capelli!
    Vou imprimir seu trunfo das equipes.
    Você já finalizou?
    Agurdo equipes se não finalizou.
    Abração
    Gabriel

  24. Marcus disse:

    Assim é melhor a Formula 1 aderir as letras ao invés dos números. Mas então haverá post dissertando que “a letra “U” é amaldiçoada pois é a primeira letra de ‘ÚLTIMO”!

  25. Caio Signorelli disse:

    E Capelli, o Arlindo é mais um Luciano do Valle hehehehehe…. Cade o seu diploma Capelli ? huahuahuahuahua…… Continue com as “Curiosidades da F1″ !!!

  26. Arlindo disse:

    Aahhh pelo amor de meus filhinhos.. Esse Capelli é muito supersticioso, só faz post sobre tabus, pilotos zicados, numeros zicados, zé do caixao, etc, etc.. Em vez de correr atrás de informações fica fazendo cálculos pra saber qual é o número mais zicado.. ele é jornalista mesmo?

  27. Bruno R. disse:

    Hamilton, não há nenhuma obrigatoriedade na distribuição dos números para as equipes. Aparentemente, há uma convenção tácita de colocar o “primeiro piloto” com numeração inferior, mas cada equipe tem seus critérios. Certamente o Senna teve suas razões para escolher o 12 em 1986…

    • Capelli disse:

      Naquela época, como as equipes sempre mantinham seus números (à exceção de quando fosse campeã), os pilotos tendiam a manter seus números também. Senna ficou com o 12 na Lotus porque Elio de Angelis era o 11 há vários anos. No ano seguinte De Angelis saiu, mas Senna manteve o 12. Era algo bastante normal.

  28. Hamilton disse:

    A propósito,

    nunca entendi porque o Senna, sendo primeiro piloto da McLaren, correu com o 8 em vez do 7.
    Se bem que ele como primeiro piloto da Lotus corria com o 12 ao invés do 11.

    • Capelli disse:

      Senna ainda não tinha confirmado participação no campeonato até as vésperas do GP da África do Sul. Como Ron Dennis não sabia quem guiaria o segundo carro, deu o 7 para o Andretti.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>