MENU

17 de março de 2009 - 13:04Curiosidades, Estatísticas, História

Novo regulamento não deve mudar período de decisão

Ao contrário do que poderia prever o senso comum, o novo regulamento de classificação do Mundial de Pilotos da Fórmula 1, que em 2009 considerará apenas o número de vitórias para definir o campeão, não deve mudar o período de decisão do título mundial. Pelo menos é o que nos mostra a história da categoria, desde 1950.

Aplicando nos campeonatos anteriores os mesmos critérios definidos hoje pelo Conselho Mundial da FIA, 24 títulos teriam sido definidos nas corridas de encerramento de cada temporada. Nos regulamentos antigos, a decisão na prova final aconteceu 26 vezes. Uma mudança estatisticamente desprezível.

Apenas poucos campeonatos teriam seu momento definição alterado. Os títulos de 1955 (Juan Manuel Fangio), 1967 (Dennis Hulme), 1994 (Michael Schumacher), 1996 (Damon Hill), 1997 (Jacques Villeneuve) e 2003 (Michael Schumacher), definidos apenas na corrida final, teriam sido entregues aos campeões por antecipação. Em compensação, os títulos antecipados de 1961 (Phil Hill), 1977 (Niki Lauda), 1979 (Jody Scheckter) e 2005 (Fernando Alonso) teriam sua disputa postergada até a corrida final.

Confira na tabela abaixo, ano a ano, as decisões que o novo regulamento modificaria.

Temporada Foi decidida na última corrida? E com novo regulamento?
1950 Sim Sim
1951 Sim Sim
1952 Não Não
1953 Não Não
1954 Não Não
1955 Sim Não
1956 Sim Sim
1957 Não Não
1958 Sim Sim
1959 Sim Sim
1960 Não Não
1961 Não Sim
1962 Sim Sim
1963 Não Não
1964 Sim Sim
1965 Não Não
1966 Não Não
1967 Sim Não
1968 Sim Sim
1969 Não Não
1970 Não Não
1971 Não Não
1972 Não Não
1973 Não Não
1974 Sim Sim
1975 Não Não
1976 Sim Sim
1977 Não Sim
1978 Não Não
1979 Não Sim
1980 Não Não
1981 Sim Sim
1982 Sim Sim
1983 Sim Sim
1984 Sim Sim
1985 Não Não
1986 Sim Sim
1987 Não Não
1988 Não Não
1989 Não Não
1990 Não Não
1991 Não Não
1992 Não Não
1993 Não Não
1994 Sim Não
1995 Não Não
1996 Sim Não
1997 Sim Não
1998 Sim Sim
1999 Sim Sim
2000 Não Não
2001 Não Não
2002 Não Não
2003 Sim Não
2004 Não Não
2005 Não Sim
2006 Sim Sim
2007 Sim Sim
2008 Sim Sim

 

Comentários do Facebook

comentários

14 comentários

  1. Gustavo AM disse:

    O pior mesmo seria o de 2003, seria decidido na sexta corrida com o regulamento, porque o Schumacher conseguiu 3 vitórias com este número de corridas e não foi mais alcançado.
    A FIA devia ter pensado neste tipo de possibilidade antes de criar tal regulamento.

  2. Felipe Mafra disse:

    @kzieg É cara, pode até ser, mas tb podem pegar mais no pé com o jogo de equipe. Leu esse texto do Capelli? http://is.gd/nUKq

  3. Fábio Mota disse:

    Capelli,
    É como diz meu Pai em relação ao futebol, uma coisa é vc vencer por 3 a 0 e outra é vc jogar precisando vencer por 3 a 0.
    Serve como curiosidade histórica mas não como base, ainda mais existindo o jogo de equipe. A equipes atuavam e faziam suas estratégias de acordo com do regulamento de cada ano.
    Ou será que não ocorreria mais “jogo de equipe” em outros anos se esse fosse o regulamento.
    Há outra coisa, pra quem fala que o Massa seria campeão ano passado. Será que o Hamilton perderia a vitória em Spa????? Duvido!!!!!!!!!!

  4. Capelli,

    Será que é realmente válido aplicar um novo sistema de pontuação em campeonatos do passado?

    Equipes e pilotos tendem a otimizar estratégias de acordo com o formato que o campeonato se apresenta. Se Prost soubesse que perderia o campeonato de 88 mesmo tendo mais pontos que Senna, ele teria manipulado o descarte a seu favor em algum momento.

    Quando se pensa regulamentos do passado aplicando conceitos estabelecidos hoje, a gente tende a subestimar o que equipes e pilotos planejavam e pensavam em suas épocas, e isso é um erro.

    Como curiosidade histórica eu acho válido, mas eu tenho sérias dúvidas se é uma forma de prever ou ao menos indicar uma tendência do que pode ou não acontecer na próxima temporada.

    • Capelli disse:

      Becken, sim e não. É lógico que uma mudança de regulamento muda o desenrolar do campeonato. Mas, ao mesmo tempo, o importante na F1 sempre foi a vitória. Então dá para traçar um paralelo… o que pode modificar totalmente o panorama é uma possível decisão das equipes em optar por determinado piloto logo no começo do campeonato. Mas se isso vai acontecer ou não, só vamos saber mais adiante.

  5. Rodrigo disse:

    Vamos parar de reclamar com comentários !
    Vamos nos mobilizar ! Captar o máximo de fãs e encher o email da FOTA para ela se mobilizar contra essa rídicula mudança de regras !!!
    Percebe-se que não vai adiantar reclamar com a FIA !!! É solicitar a FOTA para ela se mobilizar ! A FOTA precisa reconhecer o poder que tem ! Sem as equipes , a F1 não é nada !

    Site da FOTA :
    http://www.teamsassociation.org/

    Vamos nos mobilizar ! Vamos encher eles de emails reclamando !

    Vamos criar um email padrão e enviar para a FOTA.

    É essencial reclamar em Ingles ! Alguem poderia criar uma carta padrão para todos enchermos a caixa postal da FOTA para ela tentar ir contra essa medida ridícula !

    PS : Já mandei meu email reclamando e lembrando a FOTA que ela é a alma da F1. Pois ela representa as equipes. Sem Equipes, não existe a F1.

  6. Thiago Leopoldo disse:

    @Rodrigo

    Não chega a ser tão ruim quanto o sistema de medalhas, mas cria espaços para estratégias mirabolantes.

    Pois na situação do segundo colocado de alguma prova, alguém da equipe pode simplesmente achar melhor mandar trazer o carro de volta para o box e tentar uma melhor posição de largada na corrida seguinte do que tentar tirar 20 segundos de vantagem na mesma prova. Dadas as limitações de uso dos motores.

    No fom do ano, sequer acredito que tal coisa venha a acontecer, ou que o campeonjato seja destruído por estas regras. Porém edições futuras, com menos pilotos disputando o título, a coisa ficará muito feia.

    No momento, estou pensando o que os patrocinadores acharam disso. Pois se não agradar a muitos, equipes podem virar fumaça no fim da temporada.

  7. Rodrigo disse:

    Então pronto, não precisa desse chororô todo que estão fazendo na mídia. Isso mostra que o novo sistema é bom e o pessoal que tá criticando usa exemplos extremos e irreias.

  8. [...] momento, analistas concentram-se na controversa e surpreendente mudança do sistema de pontuação feita pela…, mas há outras mudanças ainda mais surpreendentes feitas pela entidade, tanto no campo esportivo [...]

  9. A questão aqui não é dar “piti” em função da antecipação ou não da decisão do título, e sim a perda da graça que era acompanhar a tabela de pontos e ver se seu piloto ou equipe prediletos tinha alguma chance de alcançar os ponteiros ou até mesmo entrar na disputa pelo campeonato. Limitando tudo apenas à vitória, tudo isso se perdeu.

  10. Rodrigo disse:

    Capelli, em 1997 o Villeneuve chegou na ultima corrida, em Jerez, com sete vitórias, eqanto o Schumacher chegou com cinco. Desta forma o mundial já estaria decidido em favor do canadense.

  11. Emmanuel disse:

    Então, no fim não muda coisa nenhuma. Só aquele negócio chato de regularidade que muda. Se o cara quiser ser campeão vai ter que literalmente ganhá-lo. Historicamente não muda muita coisa, ao que parece Piquet e Lauda seriam os que mais perderiam título, e vamos combinar, seria mais do que justo que Jim Clarck fosse tetra campeão.

    Tá aí uma mudança conceitual pra F1 ser mais atraente, se reinventar.

  12. Júlio disse:

    É, para mostrar que todo esse “piti” que estão dando por causa dessa mudança não tem fundamento…

    Mas é explicável, afinal o ser humano é resistente a mudanças, faz parte de sua natureza…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>