MENU

3 de agosto de 2009 - 14:23Análises

Nelsinho (agora sim) fora

Foto: Steven Tee/LAT Photographic/Divulgação Renault

Foto: Steven Tee/LAT Photographic/Divulgação Renault

Em comunicado oficial, Nelsinho Piquet saltou à frente de Flavio Briatore e confirmou hoje à imprensa que está fora da Renault. Os motivos todos sabem: mau desempenho, péssimo relacionamento com Briatore, falta de ambiente. Em resumo, não dava mais.

O brasileiro, no entanto, tenta amenizar a situação. No comunicado, justifica a péssima estada na Renault utilizando como álibi a relação ruim com a equipe, a falta de apoio, os poucos testes, a atenção total a Alonso, o mau humor de Briatore e o mau hálito do engenheiro. Não que não seja verdade (o mau hálito eu inventei), mas também não explica toda a história. Por mais que Flavio Briatore seja um casca grossa, com tudo de bom e de ruim que o adjetivo oferece, não é e nem nunca foi burro. E ele jamais queimaria um piloto gratuitamente, por vaidade ou por vontade de sacanear alguém. Jamais prejudicaria abertamente a sua própria equipe apenas pelo gosto sádico de detonar um piloto que não seja de sua predileção. Pontos na Fórmula 1 valem posições no Mundial de Construtores e, por consequência, valem dinheiro. Bastante dinheiro, diga-se. E Briatore ainda não acende charutos com notas de dólar, até onde sei.

O comunicado aberto de Nelsinho, embora louvável, acaba por cair naquela batida linha do marketing corporativo e de assessoria de imprensa. Passa, mais uma vez, a impressão de “brasileirinho contra o mundo todo”, para regozijo daqueles com síndrome de vira-lata. Erra quando o expõe abertamente como vítima quando o comportamento que se espera de um grande esportista ou campeão é justamente o contrário. E erra na tentativa vã de superlativizar um feito médio, como a argumentação de que em 2008 “conquistou 19 pontos e fez a melhor temporada de estreia de um brasileiro na F1″, uma velha tática de mentir usando a verdade. De fato, ninguém nunca tinha feito 19 pontos no ano de estreia. Mas as regras de pontuação eram outras. Emerson Fittipaldi ganhou no ano de estreia. Ayrton Senna barbarizou em Mônaco e fez três pódios. Não dá para comparar.

Mas a grande revelação do comunicado acaba surgindo num ato falho. A melhor informação é aquela que o piloto não quer passar, e é isso que deixou o texto mais interessante. Nele, Nelsinho fala nas “oito corridas que fez neste ano”. Na verdade, foram dez. O que deixa claro: estava escrito há tempos. Desde as vésperas do GP da Alemanha, já sabia que era carta fora do baralho na Renault. Tudo era questão de tempo e um erro de revisão só confirmou o que se dizia à boca pequena no paddock.

Nelsinho deixa a Fórmula 1 em 2009 pela porta dos fundos. Mas tem tudo para voltar por outra equipe no ano que vem. Tem sobrenome famoso, tem uma boa história pregressa, deve ganhar uma nova chance. E torço para que a aproveite com resultados e boas corridas. A categoria é um conhecido moedor de pilotos e poucos conseguem mais do que uma chance. Mas se quiser ser grande, precisará superar adversidades e se justificar menos. O que, na primeira tentativa, não aconteceu.

Comentários do Facebook

comentários

77 comentários

  1. Marco Aurélio disse:

    O Nelsinho tinha que se livrar do seu pai, um pai sempre vai proteger o filho mesmo que ele esteja errado, além disto o Nelsão Piquet costuma primeiro falar depois pensar criando muitos inimigos no automobilismo, é impressionante como o Nelsão é mal visto nos países estrangeiros, o Nelsinho tinha um bom potencial de ser um grande piloto de F1, mas que foi desperdiçado pelas estrepulias verbais do Nelsão, aliás isto também ocorreu com o Wilsinho Fittipaldi (apelido tigrão) ele só atapalhou a carreira do irmão mais novo o Émerson, trazendo atritos com inúmeras pessoas, que diferença o Emerson é amigo, humilde, já o Tigrão é arrogante, briguento, o Tigrão também atrapalhou o filho Cristian, ele não era um bom piloto e mesmo com uma boa assessoria iria falhar, isto vale pro Ronaldinho Gaúcho o irmão mais velho só atrapalha o R10, ocasiou brigas em Porto Alegre, Milan, Barcelone, RJ e dentro de 6 meses vai brigar em BH, quando o galo for pra segunda divisão.

  2. F1byHeart disse:

    Nota ZERO pra esse cara aí!!!

    Só deu muchocho na F1… Um típico brasileiro filhinho de papai, mimado e metido… vc foi a maior desgraça que representou o Brasil na F1… BOA APOSENTADORIA! Ahh; nos vemos no kart aqui no Guará-DF – não me venha dar muchocho.

    VÁ – VÁ…

  3. frank disse:

    As novas equipes da f1 para 2010, são as que passaram alguns pilotos campeões que hoje estão na f1,e aquele piloto que ganhou quase tudo em que disputou mais que o flavio briatoa na epoca queria e cogitou ele para ser seu piloto, ele não quiz e o senhor briatoa o perseguiu,ele tem chance de voltar ao circo, esse ano ele vai ser campeão na fs e stok se não tiver armação do super circense gavião,e como ficará a narração.

  4. Celso disse:

    Caro Amigo,
    Parabens pelo Blog!
    Daria para alterar a cor de fundo (background) e a cor da fonte de caracteres de maneira a ter mais CONTRASTE e tornar o text mais legivel para monitores de LCD?
    E’ muito dificil ler seu texto por causa da diferenca de contraste entre as duas cores que o amigo escolheu.
    No momento eu estou tendo que copiar no Clipboard e colar em um arquivo texto no Notepad!
    Grato,
    Celso***

  5. samu disse:

    capelli me diz uma coisa tava vendo nuns sites a altura do “narigudo professor”,que eu saiba ele tinha 1.53 cms mas tao falando q ele tinha 1.64?qual deles é real,abraços!!!

  6. Marco Toyota disse:

    Deixa o ‘óme’ descansar gente!!!!

  7. Stanis disse:

    Capelli morreu?

  8. Cassius Clay Regazzoni disse:

    Caros e nobres colegas,

    Definitivamente, nós, os adoradores da F1, temos de entender que F1 não é esporte, F1 é entreterimento.

    Diferente de outras modalidades de competição, onde o que manda é a aplicação tática e técnica das equipes ou dos atletas que se confrontam, na F1, por essência, os competidores não têm as mesmas chances independente de suas habilidades ou competências.

    Para que um embate entre atletas seja denominado esporte, durante a competição, os competidores devem ter exatamente as mesmas condições de disputá-la. Exemplo: No futebol, independente de um time ser formado por 11 Kakás e o outro por 11 Dungas, durante o jogo, a bola é a mesma, as chuteiras são iguais (tá, um é Nike a outra adidas, mas as duas só servem para o jogador correr no gramado e chutar a bola) e os uniformes são iguais, portanto, as chances são iguais. Isso se observa em todos os esportes: natação, vôlei, esgrima, basquete, tênis, atletismo, etc. Prova disso é a atual polêmica dos maiôs da natação, ou seja, quando acessórios começam a influenciar de maneira relevante o desempenho dos atletas, as respectivas confederações adotam medidas para restringir o seu uso ou torná-lo acessível a todos que competirem em alto nível. Para que fique mais claro ainda, vou além: Por exemplo: Sei que o Real Madrid tem milhões de reais a mais que o Barueri para montar um time e disputar um título, além é claro uma estrutura infinitamente superior, mas, durante a partida entre os dois clubes, as condições de disputa serão rigorosamente iguais.

    Na F1 não, apesar de certos limites técnicos, um carro de uma equipe nunca é igual ao de outra, ou seja, as condições na disputa são diferentes (aliás carros até da mesma equipe podem ter desempenhos bem diferentes, vide AlonsoXPiquet).

    Isso faz com que, por exemplo, nesta temporada, um piloto tido como excelente, Fernando Alonso, seja sistematicamente batido por um piloto não tão respeitado como Barrichello.

    Tal constatação leva a duas teses bem interessantes:

    1) não se pode esperar da F1 a mesma ética presente em categorias esportivas, ou seja, há manipulações visíveis (decisões contraditórias de comissários, punições, etc.) e há também as invisíveis (burla e interpretações contraditórias do regulamento na construção dos carros, acordos escusos, jogos de equipe), as quais acabam ditando os rumos dos campeonatos que tanto nos prendem a atenção sem que sequer tomemos conhecimento.

    2) Quando do alto de nossa pequena sapiência dizemos “fulano é mais piloto que sicrano”, nada mais estamos sendo do que grandes otários arrogantes (eu mesmo já fui várias vezes), pois, sem as mesmas condições, sem estar no lugar certo na hora certa, como podemos afirmar uma coisa que não pode ser medida com exatidão. Exemplo: Senna, enquanto não entrou dentro da McLiar e do imbatível carro de 88, não ganhou o título, e, depois que saiu, nunca mais voltou a disputá-lo.

    Por isso, não costumo meter o pau em pilotagem de piloto, apenas em suas atitudes (como faço com Barrichello), e nesse sentido, não acho que alguém aqui tenha moral para decretar que Piquet é um piloto fraco.

  9. Luiz G disse:

    Pô Capelli….o blog tá paradão….

  10. Rafael disse:

    O Piquezinho só marcou mais pontos pq no ano em que fez isso o segundo lugar valia 8 pontos enquanto Emmerson venceu uma corrida e marcou 9.

    Piquezinho, já vai tarde…

    Acelera Di Grassi!!!!!

  11. Jorge Ferrari disse:

    P – Quem foi o piloto brasileiro que mais pontos marcou na sua primeira temporada?
    Senna? Piquet pai? Fittipaldi? Barrichello? Massa? Moco?
    Não!

    R – Foi Nelson Ângelo Tamsma Piquet Souto Maior

  12. Marco Antonio 'Toyota' disse:

    Muito se falou do Nelson Angelo Piquet nessa semana, mas uma coisa não ficou clara prá grande maioria das pessoas que acompanham as noticias da F1:

    O que vem a ser um contrato de ‘management’? No que consiste esse contrato? Quais as obrigações de cada parte em um contrato desse tipo?

    Gostaria que os jornalistas especializados clareassem esse assunto para os leigos que acompanham o noticiario da F1.

    Obrigado.

  13. Lg disse:

    Uma coisa que nunca entendi foi a estratégia usada pela equipe para o Nelsinho em quase todas as corridas. Eles colocavam o tanque cheio de gasolina para ele largar e pneus duros. Nas primeiras voltas já era ultrapassado por vários pilotos mais leves e fazia a primeira “perna” da corrida muito longa. Com isso não tinha como chegar nem entre os 10 primeiros. Ate mesmo na corrida que ele foi para o Q3 e o Alonso não a opção da equipe foi pelo tanque cheio para ele largar em 10º. Uma estratégia completamente diferente do Alonso.

  14. David Bernardes disse:

    Peço perdão aos amigos que já tenha compartilhado o que irei transmitir agora, uma mera opinião. Um adeus de quem nunca chegou ou a versão com balaclava do pirulito de chuchu; a única coisa que esse rapaz fez foi ter atrapalhado o título mundial do Massa quando bateu em Singapura. Siceramente? Não fará falta.

  15. Rafael Banzales disse:

    Este fora veio tarde demais até! Como disse o “chefe” antes, ” sobrenome não vai fazer você andar mais rápido”. Acredito que Nelsinho foi muito cedo para a F1. Como o Piquet tinha condições de sustentar toda esta fase de “amadurecimento” para chegar até o topo (F1), Nelsinho teve pressa e nisso acabou mostrando a imaturidade como piloto. Em todas as provas, se mostrou despreparado. Lembro quando criança que falam mal mas muito mal de um tal de Nakajima outro De Cesaris, Gachot e ai vai. E mais recentemente. Mazacanne, Gene, Young. Todos que passaram despercebidos pela F1, ou lembrados em apenas erros e palhaçadas na pista. Acredito que a Renault está muito chatiada pelo péssimo desempenho dele e se fosse dono de equipe, jamais iria contratá-lo. Espero que ele amadureça. Vá correr na Indy, Nascar Mexico, onde for, mas aprenda a guiar com mais cabeça. Seja sortudo igual ao “alemão”.

  16. Rodrigo disse:

    ABogossian, neste caso seria um pentágono pois esqueceu da Renault…

  17. ABogossian disse:

    Capelli, não sei se já foi dito isso aqui antes,mas, a se confirmar o campeonato seja em favor da Brawn seja Red Bull, será a primeira vez, desde o Nelson em 83 com a Brabham, que o título sai do quadrilátero Ferrari-Williams-McLaren-Benneton…

    Quanto ao Nelsinho, vai mas volta…e só resta torcer para que volte mais maduro e forte, pois potencial tá na cara que ele tem.

  18. Flavio disse:

    ok, Briatore pode ser um moedor de pilotod, mas qd tentou moer o Alonso em 06 se deu mal. Decalrou que preferia o Fisichella pq continuaria na equipe em 0 e o ALonso seria da Mclaren e o Espanhol mal deixou o Briatore sonhar com isso.

    Faltou competência, velocidade, boas exibições… faltou muita coisa.

    Piquet sempre correu com equipes próprias e se saiu muito bem (apesar de acharem que essas equipes não eram as melhores, mas era sim. A Piquet Sport fez até o Xandynho campeão na F3 e o colocou algumas corridas na ponta na GP2 e ele NUNCA foi um piloto forte ou de ponta, nem no kart.) qd pegou um carro onde ão era aptrão sentiu dificuldades e enfrentou um piloto acima da média.

    Piquet no paulista de kart tb era um piloto mediano, só se dava bem em brasileiros pq senpre chegava mais bem preparado. Enquanto os outros eram estudantes com corridas, Piquet Jr. era um piloto profissional desde o kart.

    O Pai montou muito bem a carreira dele e quem o acompanhou desde o kart sabia do grande risco que seria sua entrada na F1 pq mostraria que ele é um piloto comum e pilotos comum semprem vão embora, mas ele teve o fato do sobrenome que sobrecarregou td.

    Ja vai tar de e não fará falta. Bordais por mito menos caiu fora antes dele, mas não era brasileiro e nem com sobrenome famoso, então ninguém fez esse escandalo todo.

  19. Marco Toyota disse:

    Uauuu… Uma semana de férias e a F1 parece ter sofrido um bom chacoalho!!!
    Assunto não faltou por esses dias.

    Mas falando do Nelson A Piquet:
    1. Não vejo porque desmerecer o cara por ter equipe propria (Piquet Sports) na F3 e na GP2. Muito pelo contrário. Chegou encontrando equipes fortes e experientes. Méritos prá ele e prá equipe que conseguiu colocar um carro de ponta na pista e ganhar corridas. Disputou de igual prá igual com o Hamilton na GP2, além de ter sido o mais jovem piloto a ganhar na F3 inglesa.

    2. Acho ridiculo ficar chamando o cara de ‘filhinho de papai’, como se ele fosse o único com um pai que se preocupa em aparecer nas corridas e trata dos negócios com a equipe. Ou vcs acham que Barrichelo, B Senna, e outros chegaram com a cara e a coragem, sozinhos e sem apoio? A F1 mudou. Foi se o tempo em que o cara dormia no motor home, metia mão na massa e andava com o dinheiro contado no bolso.

    3. O cara é rápido. Isso não se questiona. Tem bom ritmo de corrida, mas ainda sofre com a classificação (ele mesmo admite isso). Vai melhorar, com certeza.

    4. Que consiga uma boa equipe e possa mostrar serviço!

  20. Alessandro disse:

    Essas atualizações tecnológicas também ocorrem de forma diferenciada na Mclaren. É uma forma de adiantar a evolução de um dos carros da equipe. Se isto não acontece, a equipe é obrigada a aguardar o próximo GP. Briatore estava recebendo uma grande pressão de Alonso por reivindicar um carro melhor, então ele se via forçado a adiantar as evoluções tecnológicas no carro do espanhol. Aliás, até o próprio Nelsinho admitiu isso em comunicado com a imprensa. Nelsinho afirmou que se tivesse no lugar de Alonso faria do mesmo jeito, ou seja, requereria de Briatore um carro melhor para competir. Depois de tantas acusações ao Briatore, pelo menos teve bom senso em se sentir um pouco na pele dele.

  21. Mauricio disse:

    A F1 perde Nelsinho e ganha Schumacher de volta.
    Bela troca!

  22. Daniel Ramos de Oliveira disse:

    Pra mim até demorou pra a Renault tirar ele da equipe.Pra mim eles tavam certo em tirar ele,e nada a ver essa história do Piquet que ele conseguiu fazer 19 pontos e dai?Ele conseguiu alguma vitória?Ah dai vão dizer ele chegou em terceiro,sério?Mas olha as condições que foi feita a corrida,naquela vez na relergada teve até Spyker na primeira posição,então eu posso dizer que ela conseguiu um primeiro lugar?Claro que não.
    Acredito que só tem duas opções pro Piquet JR voltar:Ele entra em uma das equipes novas ou entre na “Piquet Racing”,equipe que provavelmente ira substituir a BMW Sauber,nem precisa dizer de quem é né?

  23. Pedro Ivo disse:

    Agora cabe à gente tentar adivinhar qual equipe o Piquet deve entrar. Aproveito e pergunto: Capelli, das equipes atuais do grid, qual vc acha q pode colocar o Piquet ainda essa temporada? Há alguma que fará isso ou a maior probabilidade é de deixá-lo engavetado pra 2010?

    Ao meu ver, como muita gente aqui tá falando ele deve ir mesmo pra a Williams. Só q o problema é q se ele for pra a Williams ficará numa situação parecida com a que ele estava na Renault, só q no lugar do Alonso tem o Rosberg, e lá na Williams acho q é evidente a questão de primeiro e segundo pilotos… E aí aproveito e faço outra pergunta pra o pessoal aqui e pra o Capelli: Com a saída confirmada do Nelsinho da Renault, quem entra? Grosjean? Di Grassi? Ou outro cara?

  24. Sambrunell disse:

    “Sorry guys”

  25. Aparentemente eu vejo como ambos os lados terem culpa. Mas que o Briatore queimou muito piloto, queimou. Até o Rubinho ele ferrou em 1996.

  26. Roberto disse:

    O Briatore pode ser realmente um “moedor de pilotos” ….mas somente dos mediocres …eu não entendo pq pegam tanto no pé dele, os métodos podem ser questionados, mas os resultados não …. afastou os fracos e medianos (Moreno, Truli, Fisico, entre outros) e revelou 2 gênios (Schumi e Fernando) ….além de ser o Manager do Webber, que corre sério risco de ser campeão ….quer resultado melhor do que esse?

  27. Gustavo disse:

    Demorô!

    Acredito que Piquet pai, vai comprar uma equipa para o Júnior correr. OU, entao, pelo que diz o Jr no twitter, ele já deve ter contrato assinado com outra equipe, possivelmente a Wiliams.

    Não achei ele um grande piloto, e digo isso para todos, desde o ano passado, apos 3 ou 4 corridas. Não sei se ele não consegue domar o F1, ou se ele não tem o talento necessario para pilotar um F1 de forma rapida, consistente e regular.

    Que não existiram equipamentos iguais a gente percebe, mas não acho que seja tudo culpa do Briatore não.

    []s

  28. HEBERTHY disse:

    Capelli…
    como assim o Mansell não fez nada em 1994? Ele venceu o GP da Austrália!
    Pode ser pouco mas com toda certeza, é mais que nada, não acha? Será que o Schumacher vencerá 1 prova?! Qto ao Nelsinho, azar o dele. Ele assinou o contrato. Agora, ele que segure a onda. Mesmo assim, torço por ele.

    • Capelli disse:

      Foi circunstancial, Herberthy. O Leão voltou muito mal, andou bem abaixo do que se esperava. Tanto que a Williams não o quis para 1995, ficando com David Coulthard. A McLaren comprou seu passe e o dispensou depois de duas provas.

  29. Vinicius disse:

    Concordo com Angelo e Fábio. Capelli meu ultimo comentario ficou preso na moderação!!!!

  30. Antenor disse:

    Muito boa avaliacao do press release do Nelsinho. No final das contas, a culpa e dele por dois motivos simples que os fas do Nelsinho ainda nao enxergaram:

    -se o Briatore estava sabotando o Nelsinho, ele tinha que ter pulado fora da Renault e evitado todo esse desgaste que culminou c/ a demissao; acomodou-se c/ uma situacao que o desfavorecia;
    -essa comparacao Nelsinho/Alonso e secundaria; o problema nao e tomar tempo do Alonso, o problema e tomar tempo do Sutil, Nakajima e outros; o Nelsinho era o PENULTIMO no campeonato, disputava entre os piores do grid. Sorte p/ ele no futuro.

  31. Fabio disse:

    Temos que fazer algumas ponderações para analisar a passagem e quem sabe a volta e permanência do Nelsinho pela F1.

    - O Alonso, ao voltar para a Renault, garantiu em contrato que não haveria a menor chance de ser incomodado pelo companheiro de equipe. Não cabe a discussão aqui se ele precisa desse tipo de cláusula ou não, mas que ela existe é notório. Como isso é executado no dia a dia? Testes, equipamento, melhor equipe técnica e de corrida… são vários fatores.

    - Apesar do carro da Renault não ser lá uma Brastemp, também não era/é uma lavadora com rodas. Pode-se dizer que é um carro muito mais honesto do que muitos outros brasileiros tiveram à sua disposição em seu ano de estréia e, quiçá, durante toda sua carreira na F1. A lista é imensa: Pizzonia (a chance de verdade foi na Williams), Burti, Tarso Marques, Ricardo Rosset, Christian Fittipaldi, PP Diniz, Roberto Moreno…. Novamente não cabe a discussão do potencial desses pilotos citados, mas apenas uma constatação do equipamento de que dispuseram.

    - Posto isso, qual seria a obrigação do Piquetzinho? Manter a barata na pista, demonstrar velocidade quando necessário, mas preservar o equipamento, manter-se longe de confusões e tentar coletar posições e pontos. É o que se deve fazer quando o carro não é bom. Quando o fez, conseguiu alguns resultados, mas na maioria das vezes não fez. Lógico que carro era infinitamente melhor, mas o que o Hamilton fez nas primeiras corridas de 2007, enquanto o Alonso se engalfinhava com as Ferraris? Manteve o carro na pista, e coletou pontos importantes.

    Não é o bração que estão pintando, mas também não mostrou a que veio na F1. Mostrou seu potencial nas categorias de base, por mais que o tenha feito em equipes montadas pelo Piquet Pai. Vai ter que se agarrar a esse retrospecto para bater na porta das equipes, e, se a chance surgir novemente, aproveitar com mais sabedoria.

  32. Ângelo Mello disse:

    “E ele jamais queimaria um piloto gratuitamente, por vaidade ou por vontade de sacanear alguém. Jamais prejudicaria abertamente a sua própria equipe apenas pelo gosto sádico de detonar um piloto que não seja de sua predileção”

    Capelli, pergunte ao Trulli e ao Button o que eles acham de sua opinião. Briatore é uma máquina de moer pilotos. Sempre foi.
    Quanto a Nelsinho só ter tido sucesso em categorias de base por causa do pai, o mesmo vale pra Hamilton, que sempre todo o apoio da McLaren desde o kart, mas nunca vi ninguém questionando o talento dele por isso. Na F-3 inglesa Piquet ganhou tudo com uma equipe própria que era novata e que corria contra grandes e tradicionais equipes inglesas que tinham todas as condições de investir.

    Concordo que ele errou muito, mas ele fez corridas boas na Alemanha, na Hungria e no Japão. Esse ano ele já entrou sem clima e sem apoio, aí desandou de vez. O Rosberg cansou de errar nas suas tres primeiras temporadas pela Willians, mas tio Frank teve paciência e o alemão finalmente mostrou a que veio. Ainda acredito no Piquet, mas se ele nunca mais voltar a sentar num F-1, não vai ser o fim do mundo. Ele chegou onde milhões gostariam, pode aproveitar a grana da família e ser feliz trabalhando ou correndo em outra categoria.

  33. Roberto disse:

    Capelli,

    excelente análise! Perfeita!

    é claro que a assessoria não gostou, pergunte ao tal Bruno S. e ao tal Walter se eles vão fazer vaquinha para comprar uma equipe para Piquetzinho andar …esqueceram (?!) de mencionar na carta, que a carreira dele sempre foi vitoriosa APENAS nas equipes financiadas pelo papi …

    Piquetzinho foi muito mal, e a mania de desculpas pelo visto não é somente dele…
    pelo menos não vamos mais ouvir o “..sorry guys…”

  34. Sandro disse:

    Capelli, por uma corrida que não vai acontecer um fato inusitado: um piloto ter corrido em épocas distintas com duas gerações de uma mesma família! No caso, o piloto, claro, é Michael Schumacher. E a família, obviamente, Piquet! (em 1991 com Nelson Piquet e em 2009 com Nelson Angelo Piquet!)
    E que Nelsinho tenha melhor sorte em 2010 – seja na F-1 ou outra categoria…

  35. Vinicius disse:

    Eu acho que a temporada 2008 do Nelsinho foi aceitável para um estreante, porém não correspondeu as expectativas do Briatore que queria dele um desempenho fora de série. Na temporada 2009 devido a frustraçao do Briatore com a de 2008 o Nelsinho praticamente correu sem equipe, pois foi tratado como um lixo. Assim, eu dispenso fazer qualquer comentário sobre seu talento nesta temporada. Agora analisando a temporada de 2008 na qual ele teve um tratamento melhor e um carro razoavel, o Nelsinho realmente cometeu erros primarios, mas também teve momentos em que mostrou talento e ficou na frente de Alonso. Pode -se dizer, então, que Nelsinho teve ainda apenas uma temporada na F1 com condições de desenvolver seu trabalho, ja que em 2009 não teve condições de evoluir em nada pilotando esse caminhão da Renault e ignorado pela equipe. Vamos lembrar também que Massa o qual hoje é o icone brasileiro no automobilismo, se eu não me engano, já está na setima temporada pela F1, mas só começou a se mostrar um piloto realmente consistente a partir de 2008, ou seja, durante 5 temporadas ele também cometeu erros primarios como Nelsinho. Em 2007 já com condições de disputar um titulo pela Ferrari ou no minimo um vice campeonato amargou a quarta colocação no campeonato. Em 2008 ano em que foi vice, fez uma corrida bizonha no Gp da Inglaterra. Infelizmente a F1 não dá tantas chanches quanto o Massa teve para todos os pilotos evoluirem. Por isso não vamos julgar ainda a competencia desse piloto. Espero que ele tenha mais algumas temporadas com condições para evoluir e mostrar seu talento. Vamos julgar os que realmente já pilotaram com todos os fatores a seu favor durantes alguns anos mas não corresponderam… alguns já tiveram até 17 oportunidades, o Nelsinho só teve uma.

  36. Joel Gayeski disse:

    Tomara que o Nelsão vire mesmo dono de equipe e que o filho corra.
    Assim teremos certeza se ele é ruim ou não.

  37. Emilio disse:

    Capelli, penso que nunca houve um estreante brasileiro na F1 com tanta obrigação de resultado. Soma-se o sobrenome à expectativa gerada pelos titulos e vice-campeonatos em outras categoarias e tá feita a pressão natural. Some + Alonso + Briatore que aborda seus “súditos” com arrogância, deu no que deu. Imagino Bruno Senna nestas circunstâncias que desastre poderia ocorrer. No mais, só vi Nelsinho se justificar de fato nesta carta final pois nas declarações anteriores vi sinceridade e reconhecimento de erros.

  38. Coelho disse:

    não acredito na Williams… agora que esta se recuperando Frank vai querer um piloto que ja tenha mostrado resultado, alguem bem melhor que o Nakajima como 1º piloto… o japonês tem sido mais consistente e cometido menos erros que o Nelsinho… tem sido rápido… se os dois correrem juntos e o Nelsinho perder pro Nakajima… ai sim eh Stock Car, Indy, Nascar…

  39. Lucius disse:

    Quem primeiro levantou essa questão do Piquet ser o melhor piloto brasileiro (em relação a pontos) numa primeira temporada foi a imprensa. Li isso em no Grande Prêmio e em vários outros lugares.

    Não dá para comparar a situação do Rubinho com o Piquet, porque o Rubens já era um piloto rodado, que já tinha pilotado por duas equipes, inclusive tinha sido mandado embora da Jordan, caso não esteja enganado.

    A situação na Ferrari era outra, uma equipe que funcionava, com um bom carro.

    Briatore já detonou vários pilotos, inclusive o líder da temporada.

    Piquet versus Nigel era situação bem diferente. O Nelson já era bi campeão mundial.

    Acho que a pior coisa para o Piquet foi o fato de ficar um ano parado.

  40. Luiz G disse:

    Acho que Nelsinho vai para a Williams em 2010, no lugar de Rosberg, que já está de saída para a McLaren.

  41. Infelizmente, a F1 é assim. Ainda não vi caso contrário.

  42. Robson, talvez meu comentário não tenha ficado claro. É importante para ENTRAR, que não é mais o caso do Nelson Piquet. Agora a questão é permanecer, e o que ele fez ou deixou de fazer nas categorias-base pesa nada na balança em comparação com seus próprios resultados dentro da categoria.

  43. nino disse:

    Sinceramente, a entrada de Nelsinho na F-1 foi um fiasco. Na primeira vez que ele é colocado na posição de não-filhinho de papai, não mostrou personalidade para dar a volta por cima. Até agora Nelsão tinha tratado de tudo, mas agora mudou de figura e esta ai o resultado.
    Pra mim, falta garra e personalidade; tem talento, mas não é o suficiente….

    Desejo o melhor para ele, mas assim, não vai ser facil

  44. Fernando Kesnault disse:

    Me desculpe o Waltinho Ferrari, mas dizer que o Nelsinho chegou à f-1 pór merecimento é brincar com a nossa capacidade de raciocinar e analisar. É óbvio que ele só está lá em função de ser filho do Nelson Piquet e só. Se fosse um piloto sem sobrenome famoso estaria “pastando” por ai. Melhor que o Nelsinho posso citar pelo menos uns 3 brasileiros: João Paulo de Oliveira, Augusto Farfus Jr. e Jaime Melo. O negócio é que ele sempre teve o melhor material à disposição (que o pai comprou e se pode comprar porque não certo??) e o errado é como o Capelli diz: “todos contra o coitadinho”, queriam o quê?? Condições iguais entre um bicampeão e um novato?? Pasmem, fica calado, mostra resultado (na pista) que as coisas se encaixam por si só. E um lembrete: Tomou “pau de montão” do Rosberginho de qdo. estavam a treinar na Williams.

  45. Julio disse:

    Boa tarde Capelli,

    Seu texto não é ótimo. É maravilhoso. Perfeito.
    Um abraço,
    Júlio

  46. Robson Moraes disse:

    Larissa, permita-me discordar da sua opinião, mas acho que dizer que feitos do passado não valem nada na Fórmula 1 é ver a questão por um ângulo muito limitado. Ninguém entra na F1 hoje em dia se não tiver no currículo resultados significativos nas categorias inferiores. A menos, é claro, que pague para correr, como alguns pilotos menos cotados já o fizeram. E esse não parece ser o caso do Nelson Angelo Piquet.
    É uma pena que nós, brasileiros, de uma forma geral, tenhamos uma tendência tão grande a esquecer conquistas passadas em detrimento de resultados ruins ou escândalos pessoais. Seria o mesmo que dizer que o Hamilton é um piloto medíocre só por estar fazendo uma temporada ruim em 2009. Nada vai apagar a ótima temporada que o inglês fez no ano passado. Assim como nada vai apagar as conquistas do Nelsinho nas categorias de base.
    Se ele vai receber outra chance ou não e se será digna dela, só o tempo irá dizer.

  47. @ivancapelli mandou bem na análise da saíde de @nelsonpiquet da Renault. Vale a pena ler: http://tinyurl.com/makryt #f1

  48. Cassius Clay Regazzoni disse:

    É isso aí, a verdade é que cada um de nós jamais saberá de tudo o que rolou dentro da Renault esses dois anos.

    Porém, os fatos estão aí e são os seguintes:

    1. Nelson não teve as mesmas condições que Alonso (Briatore admitiu publicamente).
    2. Nelson cometeu muitos erros durante as 2 temporadas.
    3. Nelson teve alguns momentos de piloto acima da média.
    4. Nelson foi engolido pela equipe e por Alonso.

    Dando uma olhada, a conclusão que eu chego é que Nelson pode dar a volta por cima caso tenha uma nova chance e que a culpa não foi só do Briatore.

    Espero que Piquet se dê bem como nas categorias de base,

  49. O que um piloto venceu antes de chegar à F1 não significa absolutamente nada, não conta pontos no campeonato. Há muitos exemplos dessas promessas que não conseguiram vencer sequer uma corrida. Não gosto quando insistem nesse ponto pois a F1 está em outro patamar. Espero que Nelson Jr consiga mostrar tudo isso que ele diz que não pode mostrar na Renault, mas por favor esqueça o passado.

  50. Bruno S. disse:

    Capelli, valeu pela resposta. Mal-entendidos acontecem… Ainda mais quando os assuntos são tão delicados. Quiçá, o erro de interpretação tenha sido do meu lado também.

    Valter, apenas um dado que a maioria das pessoas não sabem: o Piquet fez muito mais do que apoiar o Moreno, e ele só foi demitido porque não acreditou em palavras de quem era um exímio negociador na F1 – o próprio tricampeão. O Moreno foi demitido em uma jogada de marketing, mas que não deixou de ser um excelente negócio para a equipe, com a entrada do Schumi no cockpit. Mas focando no meu ponto, o Piquet colocou o Moreno na Benetton e só não o manteve lá por temosia do conterraneo candango.

  51. valter disse:

    Não sei se Briatore apenas fez valer o contrato, mas acredito que a equipe cumpriu o acertado em função do Alonso, vacinado contra o Hamilton.

    Vale lembrar que Briatore já havia sacaneado o Roberto Pupo Moreno e Nelson Sr não deu uma palavra de apoio ao Roberto.

    De toda forma, em apoio ao Piquet Jr, cancelei a compra de um Renault Clio.

  52. Capelli disse:

    Bruno, talvez eu tenha escrito mal. Não duvido da origem da carta… apenas disse que ela caiu na linha de assessoria e discurso corporativo. Se foi de próprio punho dele, ótimo! Não questiono isso. Questiono é o modo como as coisas foram colocadas.

    E que bom que você entende as opiniões. Abraço!

  53. As palavras do Bruno S. são boas. E sábias. Ultimamente tenho convivido de perto com jornalistas e admito que a profissão de vcs é complicada. Complicada pois, muitas vezes, é necessário assumir uma posição, dar uma opinião, sem ter de fato em quem acreditar a não ser em fontes. Pois bem: Aqui está alguém que não e fonte, não é um jornalista, mas que viu de perto esse ano tudo o que o Nelsinho escreveu. Capelli me conhece, me segue no Twitter e sabe quem sou. O comunicado é dele sim. Claro. De coração aberto e vontade própria. Demonstrando que e de fato o cara que mostrou ser no Twitter: Sincero, amigo e não um menino bobo como muitos citaram. Do ponto de vista marketeiro, talvez exista sim a necessidade de mudanças no texto. Mas não era o que ele queria fazer. Seus comentários sobre o Briatore, Capelli, são embasados em teorias lógicas: Ele não se queimaria, não queimaria a equipe, não faria isso ou aquilo. Te digo, porque vi de perto: Não existem regras claras quando o assunto é Flávio Briatore. Ele faz o que quer, não se preocupa com a equipe, com o que pensam. Pensa em si, no que quer, no seu umbigo e no seu ego. Nelsinho está longe de ser um piloto completo, ainda falta amadurecer em muitas áreas. Mas está MUITO longe de ser um piloto medíocre. O clima, a tensão, a pressão, a desigualdade, a pouca experiencia e talvez a falta da louca genialidade que faziam do pai dele um cara que se sobressaia no caos, podem o ter sufocado. Mas aos que dizem que ele não mostrou nada, deveriam pensar se lhe foram dadas condições de mostrar. E se não acreditam, pensem se estavam lá para ver, assim como muitos que estavam podem afirmar. A mídia, as fontes da mídia, as conversas da mídia, já provaram ser ALTAMENTE voláteis, fracas, sem embasamento. Prova disse é o comentário de Galvão Bueno que teve que engolir 140 caracteres de orgulho, seco. Outra prova disso, da especulação descarada, eu soltarei amanhã no meu Twitter. Fora isso, Capelli, nos resta torcer por um piloto brasileiro que mostrou ser tão rapido quanto Hamilton, tão forte quando Rosberg e que chegou a F1 por merecimento. Porque ganhou tudo por onde passou. Resta-nos lembrar do Felipe que foi massacrado pela mídia em sua época de Sauber e que hoje é idolatrado por todos. E restará a ele lembrar, quando voltar ao topo, de quem tentou levanta-lo… ou afunda-lo de vez.

    Eu fico com a primeira opcao.

    Boa percepcao sua sobre a questao das 8 corridas. Mas foi um erro nao de revisao. Nao seriamos idiotas a esse ponto. Mas sim um erro de “contagem” de alguém. Até aqui, nada estava de fato definido. E náo haveria porque esconder isso agora. Nada mudaria.

    A gente se ve por ai, meu bom!

    Abraco!

    • Capelli disse:

      Fala, Waltinho!

      Bom saber dessas informações. E que fique claro: não acho Nelsinho um medíocre, acho apenas que ele não foi bem no começo, o que acontece. Aconteceu também com o Felipe, como você bem lembrou. Abraço!

  54. Fabricio Cecilio disse:

    -Pô pai e agora?!
    -Fica assim não filhão que ano que vem papai compra uma equipe só pra você!Venha tesouro, não se misture com essa gentalha……….
    É bom o Nelsinho parar de andar com o Rubinho (alíás esse negócio de INHO nunca funcionou na F1),porque chorando desse jeito só se o paizão comprar uma equipe ele consegue correr ano que vem.
    Na boa, sejamos sinceros, o Nelsinho não disse a que veio na F1, desempenho lastimável durante quase toda a temporada do ano passado, diversos erros bobos e esse ano, andou atrás de muita gente, por muito tempo.Se não fosse o paizão, ele já estaria fora da Renault depois da quarta ou quinta corrida……

  55. Onyas disse:

    Speed, escrevi no meu comentário “até o Rubinho” não para menosprezá-lo (ele já o faz sozinho), mas só porque eu o citei juntamente com Émerson e Senna e não queria – e nunca deveria – colocá-los no mesmo patamar.

    Tambem concordo com o Alvaro, acho o Nelsinho mediano. Mas, pela idade, pode evoluir, embora seu filme, durante essas duas temporadas, já esteja bem queimado.

  56. Bruno S. disse:

    Capelli, infelizmente pra quem está de fora, as informações são desencontradas. Para sua informação, o texto foi de coração do Chitão (como os amigos do cerrado o chamam). Eu, como consultor online dele, só dito os caminhos e ensino as ferramentas – até porque o Nelsão nem em assessoria acredita. O que ele tem feito nos últimos meses, e que culminou nessa carta aberta, é a tentativa de abrir um espaço para falar com os fãs – já que em fins de semana de corrida é impossível achar um minuto de folga. Ele tem mostrado um lado humano que poucos conheciam devido à sua timidez. Sobre a interferência do pai nessas últimas corridas, deve-se ao fato de que ele queria se concentrar na pilotagem e deixar as conversas de bastidores para alguém que fosse agir como um manager deveria. Altos, baixos, pontos fortes e fracos todos temos, mas é indiscutível o talento dele, como colocado em alguns comentários. Ah… só por curiosidade. Se ele tivesse pedido minha opinião sobre publicar essa carta, eu teria dito não e respondido de outra forma.

    :) Cara, todos nós (e vou incluir o Nelson) somos fãs e seguimos seu blog, mas não achei justo o jeito como especulou a origem da carta. Sobre qualquer outro comentário que tenha feito, respeitamos o seu ponto de vista! Blz? Abração!

  57. Vinicius disse:

    Capelli acho que você foi muito rude com Nelsinho. Não é preciso enteder muito de F1 para saber que existia na Renault um grande favorecimento a Fernando Alonso, até no que diz respeito ao carro. Eu acho que a diferença entre a competencia de Schumacher e Rubens era muito maior do que a que existe entre Nelsinho e Alonso, no entanto a diferença de resultados nas corridas entre Alonso e Piquet são mil vezes maior do que entre Rubens e Schumacher. Nelsinho recebia um tratamento mil vezes pior do que o Rubens em tempos de Ferrari, por isso que eu acredito em tudo que ele disse e acho que ele tem direito desse desabafo. A Renault quer um piloto francês para proxima temporada, segundo o proprio pilotos de testes Luca de Grassi já informou, então é obvio o motivo por que eles escorraçaram o Nelsinho da equipe.

    • Capelli disse:

      Vinicius, posso até ter sido rude, mas não foi a intenção. Só achei negativo para a imagem do Nelsinho ele escrever um comunicado colocando toda a culpa no Briatore. Não acredito nesse tipo de simplismo. Todo mundo sabe que Briatore não ajudou, mas daí a dizer que todo o problema é culpa dele vai uma longa diferença. Ele não foi bem, ponto. Tomara que melhore na próxima, mas acho muito negativo transferir toda a responsabilidade para os outros. Nelsinho tem, sim, boa parcela de culpa pelo mau desempenho. E não percebi nenhum “mea culpa” nesse sentido.

  58. Alvaro disse:

    Não acho que ele seja um fenomeno das pistas… a vida todo sempre correu com $$ e melhor equipamento…

    Pra mim apenas um piloto mediano!

  59. Pedro Ivo disse:

    Pra o Piquet Junior conseguir se segurar no circo já foi provado que sobrenome, por mais forte que seja no automobilismo, não segura.
    Então acho q ele só tem duas chances pra se manter no circo: ou ele mostra no braço q n tem só um sobrenome de força, ou consegue o apoio de uma grande montadora, e ainda assim msm terá q mostrar serviço

  60. anônimo disse:

    É incrível. O Nelsinho é mimado, até agora não se mostrou um bom piloto, tem tendência a dar desculpas por seus erros, mas eu ainda acho que ele tem mais carisma que uns outros pilotos por aí que andam soltando molas pela pista. Torço por ele. Não sei por que, mas torço. Força Nelsinho!

  61. Renato RRE disse:

    O ano de estréia do Massa também foi bem ruim, tanto que foi despedido da Sauber (não fosse a Ferrari, o Peter Sauber não teria o contratado novamente). Porém conseguiu uma segunda chance e está ai até hoje mostrando que tinha valor. O mesmo não pode estar acontecendo agora???? Espero que consiga um carro para 2010 e de a volta por cima.
    Abs

  62. Caique disse:

    se o Nelsao demitir o Nelsinho a Stock Car esta a espera

  63. Luiz G disse:

    Acredito em tudo que Nelsinho escreveu em seu comunicado.

    No entanto, Nelsão, em 86 e 87 também não teve vida fácil na Williams, uma equipe inglesa, com Mansell como primeiro piloto. Piquetzão teve competência para virar o jogo a seu favor e se despedir da equipe com um título.

    Então, minha crítica a Nelsinho, fica pelo fato dele não ter tido o “jogo de cintura” de fazer as coisas correrem a seu favor.

    Torço por seu sucesso na F1 e espero que ele não corra numa equipe do pai.
    Quem sabe na Williams?

  64. Não vejo ninguém disposto a dar um lugar a Piquet. A possibilidade é que se confirme o boato de que Nelsão vai entrar ao lado de Peter Sauber com uma equipe.

    Agora fiquei encucado. Se Nelsinho correr pra equipe do pai e fizer resultados até piores do que tem feito, o que Nelsão poderá fazer? Vai demitir o moleque? Fechar a equipe? Complicado, hein…

  65. Speed disse:

    até rubinho é sacanagem heim!
    o cara tem talento, só não tem força mental. Com certeza o acidente dele, a morte do senna tirou velocidade dele, não arrisca mais o q arriscaria antes.

    quanto ao nelsinho complicado dizer. o cara tem potencial e talento sim, não é pq o pai dele montou equipes q o carro foi lá sozinho e se sagrou campeão. E não duvido nada em relação a equipe no tratamento, a espanhola chiliquenta – lembrem bem – pediu pra sair ao ver o hamilton ameçando dar uma taca nele!
    Não deviam eh ter acreditado q teria condições iguais com o alonso, e ido pra outra equipe.

    quero só ver o q o outro chiliquento vai fazer – grosélian

  66. João B. disse:

    NInguém viu os termos do contrato que ele diz ter assinado? Então pronto, ele saiu porque não cumpriu o contrato. Esse foi o motivo da saída, o resto do que está escrito é só enfeite.

    Abs!

  67. Boa sacada sobre as 8 ou 10 corridas, Capelli!

    E se for confirmada a compra do espólio (palavra horrível) da BMW pelo Nelsão Piquet + Peter Sauber, o Nelsinho vai ficar com (mais) fama de filhinho do papai… E aí não vai dar pra reclamar de tomar tempo do Kubica. haha

    Em tempo: torço MUITO pelo Piquetzinho. Principalmente depois que passei a acompanhá-lo no twitter.

    Abraço!

  68. marielmoura disse:

    RT @ivancapelli: Comentários capellescos sobre o comunicado de @NelsonPiquet. http://bit.ly/uX9sF

  69. RT @ivancapelli: Comentários capellescos sobre o comunicado de @NelsonPiquet. http://bit.ly/uX9sF

  70. Onyas disse:

    Nelsinho, em sua carta aberta, diz que foi o brasileiro com o melhor ano de estréia. Claro, há controvérsias, embora não dê para negar que ele fez 19 pontos. Para mim ele só correu bem na Alemanha, sua terra natal, diga-se de passagem, e ainda assim seu resultado foi circunstancial.

    Mas aproveito esse gancho para pedir ao Capelli fazer um levantamento dos anos de estréia dos brasileiros na F1. Não só em números, mas em feitos também. Émerson ganhou uma corrida que deu o título póstumo à Rindt, em 70. Senna fez o que fez. Até Rubinho fez corridas impressionante, como em Donington Park.

    Fica aí a dica, Capelli.

  71. Daniel Gomes disse:

    Torço pelo Piquet Jr., mas realmente este comunicado/justificativa pelo seu mau desempenho só tem a denegrir uma imagem que, como ele mesmo disse, foi tão bem construída ao longo de sua carreira em cateogorias de base.

    Piquet Sr. vai ter que dar uma cartada de mestre pra não fazer com que seu filho seja considerado um completo idiota em 2010, quando, em uma equipe nova e pouco expressiva, conseguir resultados ainda piores que aqueles na Renault.

    Só o tempo dirá, mas é louvável a iniciativa de Piquet pai para montar sua própria equipe, independentemente de ter Nelsinho como piloto ou não. A isso, todos nós devemos apoiar!

  72. Rodrigo Dias disse:

    Ele é bom. Mas sofreu a síndrome do Rubinho. Coloca a culpa nos outros pelos resultados pífios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>