MENU

2 de fevereiro de 2011 - 18:20Análises, Automobilismo, Novos carros

A luta pela sobrevivência

Herói da resistência, último dos moicanos, o sobrevivente. Todos essas descrições podem ser atribuídas a Frank Williams, o único dos grandes chefes de equipe que até hoje consegue manter seu time vivo e competindo sem ter de vender sua alma, ou melhor, uma parte daquilo que construiu, para uma montadora.

É lógico que tudo tem um preço. Por orgulho, a Williams parou no tempo. De equipe temida, vitoriosa e modelo que todos queriam copiar, tornou-se apenas uma figurante simpática, com um orçamento infinitamente inferior aos das concorrentes que um dia deixou para trás. Mesmo assim, o nome Williams continua carregando em si a essência do automobilismo.

Para continuar viva, a equipe mais uma vez teve de ceder um cockpit a um piloto pagante de qualidade duvidosa. Se há alguns anos o sapo engolido foi Kazuki Nakajima, imposto pela Toyota, agora foi Pastor Maldonado quem desembarcou em Grove com uma mala cheia de dinheiro. Bolívares, para ser mais preciso, vindos do patrocínio da estatal petrolífera venezuelana PDVSA. A bem da verdade, Hugo Chávez salvou a Williams. Os principais patrocinadores, Philips, Royal Bank of Scotland e Air Asia, debandaram e deixaram o time sem condições de bancar a temporada de 2011. Até que apareceu o Pastor.

Em compensação, no outro cockpit, a equipe tem Rubens Barrichello. Pode não ser uma grande estrela da atualidade, mas é o mais experiente piloto, tem um alto grau de competitividade e traz um retorno espantoso na relação custo/benefício. É o nome certo para trazer resultados, sejam eles importantes pontos para o Mundial de Construtores, seja algum pódio ocasional. Mas o certo é que, sem uma estrela potencial do quilate de Nico Hulkenberg, dificilmente façanhas como a pole de Interlagos no ano passado devem se repetir.

O FW33, modelo de 2011, foi para a pista pela primeira vez ontem em Valência. A pintura ainda é temporária, um azul marinho sólido que a Williams já vem adotando na pré-temporada há vários anos. O carro traz algumas inovações interessantes, principalmente no desenho da traseira, bastante enxuta. Os motores Cosworth podem não ser a melhor opção, mas garantem um mínimo de competitividade.

Se o objetivo da Williams é sobreviver, conseguiu por mais um ano. Se o objetivo é sobreviver com dignidade, também deve conseguir. Mas se o objetivo for voltar a vencer, ainda vai demorar. E bastante.

Comentários do Facebook

comentários

15 comentários

  1. Rildo disse:

    Rildo disse…
    Olá Capeli, tudo bem? Estou num post antigo, mas achei o lugar mais adequado pra minhas dúvidas.
    Duas duvidas sobre o FW33: como é o novo cosworth 2011 em relação aos outros motores do grip? E afinal qual o tipo de KERS a williams está usando? Tenho ouvido noticias divergentes a este respeito. Abs

  2. RT @phsantos: F-1: A luta pela sobrevivência http://bit.ly/fGrUF4

  3. Mama mia! Espera aí, tem gente dizendo que Frank Williams não sabe comandar um time de F1? Se realmente alguém sabe, esse alguém é o veterano Frank. A Williams continua sendo exemplo puro de amor as corridas. é a identidade que todo fã do automobilismo tem.

  4. Rodrigo Balbino disse:

    A Williams tornou-se a Lotus dos tempos atuais: teve momentos de glória, foi inovadora no desenvolvimento do bólido, deu vitórias e títulos a pilotos medianos e hoje está decadente e sem futuro

  5. O @ivancapelli acertou ao publicar este post. A Williams é exatamente isso, por isso guardo grande simpatia por ela: http://j.mp/gcG13c

  6. Alex disse:

    Renato, como é que vc diz que um cara como Frank Williams, que está a frente da equipe há mais de 30 anos, não sabe comandar uma equipe de F-1?

    Frank Williams teve a chance de vender a equipe pra BMW em 2005, mas de forma inteligente não o fez. Caso tivesse feito, hoje sabemos que o time não mais existiria.

    O que falta a equipe é apoio, fortes patrocinadores. O time tem condições de voltar a andar na frente, como feito entre 2001 e 2005, bastam haver investidores!

  7. ricardo disse:

    bacana seu blog capelli, muito legal mesmo, esperamos mais um ano bacana da f1 .

  8. lucastex - f1 disse:

    A luta pela sobrevivência http://goo.gl/fb/O8nVN #análises #automobilismo #novoscarros #kazukinakajima #pastormaldonado #rubensbarrichello

  9. RT @ivancapelli: A luta da Williams para sobreviver. No blog: http://j.mp/exSJzD

  10. helio lima disse:

    RT @ivancapelli: A luta da Williams para sobreviver. No blog: http://j.mp/exSJzD

  11. Capelli disse:

    A luta da Williams para sobreviver. No blog: http://j.mp/exSJzD

  12. Roberto Taborda disse:

    Parabens Capelli. O retorno está espetacular!!!! No nivel que nos acostumamos nos posts!

  13. Renato disse:

    A Williams vai definhando enquanto lhe falta ambição.

    A contratação do Barrichello é a prova mais clara de que FW precisa vender o time ou passar o comando a alguém que saiba como comandar um time de F1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>